"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

sábado, 30 de novembro de 2013

AINDA ESTAMOS AQUI, SEUS DESGRAÇADOS..



As 3 frases que um médico brasileiro precisa conhecer para tornar-se chefe de seus colegas no serviço público são: “isso sempre foi assim”, “eu não estava sabendo disso”, e “desde que fique bom pra vocês; por mim tudo bem”. Foi esse tipo de gente que tornou possível o advento de uma aberração como o Programa Mais Médicos. Filiados ao PIP – Partido do Interesse Próprio – mais de uma vez meus chefes garantiram que não tinham qualquer ligação formal com o PT. Acredito piamente no que me disseram! Não tenho qualquer dúvida da sua “independência” e até mesmo aversão ao partido dos petralhas, mas mesmo assim afirmo que são o tipo de gente preferida por esses bandidos para manter a administração pública sob seu controle.
A característica fundamental dos chefes, coordenadores, diretores, gerentes, ou seja lá qual for o nome que tenham essas criaturas que coordenam os serviços públicos brasileiros no governo petista, não é o fanatismo, não é a convicção no socialismo nem a militância política, mas sim a mais completa indiferença, omissão e negligência com o que acontece no seu ambiente de trabalho. Um chefe, para servir ao PT, deve ser alguém completamente “apolítico”...sua integração com os interesses do partido deve dar-se de maneira silenciosa; não ativamente. É calando-se com relação a tudo aquilo que sabe estar errado que esse tipo de mau-caráter sobe na vida chegando aos altos cargos de direção. Sua consciência política é zero! Ele não tem – nem poderia ter – qualquer tipo de opinião a ser defendida perante os seus superiores. Trata-se normalmente de alguém tecnicamente medíocre e moralmente amorfo..de um burocrata que usa frases como “isso chegou até mim”...e “isso veio de cima, infelizmente não posso fazer nada”..
Desde 2003, toda máquina pública brasileira tornou-se refém desse tipo de gente. Nos hospitais brasileiros, mesmo que ocupem os cargos técnicos, essas criaturas curvam-se docilmente às ordens finais da legião de alcoólatras, militantes dos movimentos de minorias e sindicalistas que tem a palavra final em praticamente tudo que vai ser decidido.
Há muitos anos esse processo de aparelhamento vem acontecendo. A tomada de decisões nesse tipo de organograma é feita a partir do conceito de “centralismo democrático”..em outras palavras: uma ordem é dada por alguém que, muitas vezes, sequer é conhecido pelos subordinados e transmitida numa cadeia de hierarquia de forma que só se sabe que “veio de cima”...é a mediocridade, a covardia dos intermediários nesse “telefone sem fio” que garante o cumprimento rigoroso da estratégia do Partido-Religião. O efeito da administração dessa ralé na saúde pública do Brasil está cada vez mais evidente: falta tudo! Desde soro fisiológico até fio de sutura o que se observa dentro dos hospitais é uma carência total no que se refere às mínimas condições de trabalho. Os setores de compras dos hospitais públicos, por exemplo, são administrados (aí sim) por gente de confiança do partido que não saberia a diferença entre um litro de soro fisiológico e um de coca cola. Esse estado caótico de coisas é acompanhado, além do mal-estar, pela sensação terrível de que nada há a ser feito...pela ideia de que “não é culpa de ninguém” e pelo contínuo pavor de ver-se envolvido em sindicância e inquéritos administrativos sem fim...
É fundamental apontar entre os médicos brasileiros a existência de uma classe de canalhas, de um grupo de médicos capazes de fazer qualquer coisa (na prática deixar de fazer) a fim de receber uma “gratificação por cargo de chefia” no contracheque...1500 a 2500 reais por mês são suficientes para que essa ralé esqueça tudo que aprendeu..para que traia tudo que jurou e para que abandone seus colegas de profissão a mercê das patrulhas de “profissionais da saúde” dentro dos hospitais. Verdadeira legião de recalcados, esse último grupo serve para fazer o trabalho sujo do PT....para conduzir abaixo-assinados..para elaborar memorandos e fazer queixas capazes de colocar as notas das avaliações funcionais (dos famosos estágios probatórios) dos seus inimigos políticos em níveis vergonhosos...
Tudo isso que escrevi aqui eu enfrentei, e enfrento até hoje, pessoalmente. Meu caso está longe de ser o único. A guerra que os médicos brasileiros estão enfrentando dentro da administração pública está muito longe de ter um fim. Os efeitos todos nós sabemos quais são: tristeza, sensação de impotência, abandono e a já conhecida sensação de que “ser médico não vale à pena”...
Um recado meu e de todos os verdadeiros médicos brasileiros a essa escória que administra a saúde no Brasil: Ainda não desistimos...Ainda estamos aqui, seus desgraçados...

dedicado ao “Dignidade Médica”...rsss..

Porto Alegre, 30 de novembro de 2013




Observatório Latino com o médico Milton Pires | RADIOVOXRADIOVOX


Observatório Latino com o médico Milton Pires | RADIOVOXRADIOVOX

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Pressão sobre Hospitais

Mais Médicos tira pressão dos hospitais, diz Dilma - http://redir.folha.com.br/redir/online/emcimadahora/rss091/*http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/11/1378367-mais-medicos-tira-pressao-dos-hospitais-diz-dilma.shtml

Essa notícia é simplesmente fantástica! Uma declaração desse tipo é a prova geométrica de que todo bandido é burro. Vejam que, sem querer, Dilma conseguiu literalmente entregar "de bandeja" o verdadeiro objetivo dessa aberração chamada "Mais Médicos"..Impedir a "pressão" sobre os hospitais ou, trocando em miúdos como diz o companheiro Chico Buarque, impedir que as pessoas - que precisam de hospitais - consigam chegar até eles, né?? Faz sentido: se existe uma crise gravíssima na rede hospitalar, os companheiros podem resolvê-la de duas maneiras - a primeira seria construindo mais hospitais (dessa, a gente já sabe que eles não querem saber de maneira alguma) a segunda; impedir que as pessoas consigam chegar nos hospitais que já existem e estão superlotados atrasando a vida (no caso a doença..rss) delas com essa bobagem de "acolhimento"..."amorosidade" e outras besteiras..Pergunto a vocês: são ou não são bandidos fascinantes esses petistas???

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

RECEBIDO POR EMAIL



MORAR EM RORAIMA - LEIAM E PASMEM !!!!

BRASIL TERRA DE NINGUÉM.
>  Segue abaixo o relato de uma pessoa que passou recentemente em um
> concurso público federal e foi trabalhar em Roraima. Trata- se de um
> Brasil que a gente não conhece...
>
>  As duas semanas e Manaus foram interessantes para conhecer um Brasil um
> pouco diferente, mas chegando em Boa Vista (RR) não pude resistir a
> fazer um relato das coisas que tenho visto e escutado por aqui.
>
> Conversei com algumas pessoas nesses três dias, desde engenheiros até
> pessoas com um mínimo de instrução.
>
> Para começar, o mais difícil de encontrar por aqui é roraimense. Para
> falar a verdade, acho que a proporção de um roraimense para cada 10
> pessoas é bem razoável, tem gaúcho, carioca, cearense, amazonense,
> piauiense, maranhense e por aí vai. Portanto, falta uma identidade com a
> terra.
>
> Aqui não existem muitos meios de sobrevivência, ou a pessoa é
> funcionária pública, (e aqui quase todo mundo é, pois em Boa Vista se
> concentram todos os órgãos federais e estaduais de Roraima, além
> da prefeitura é claro) ou a pessoa trabalha no comércio local ou recebe
> ajuda de Programas do governo.
>
> Não existe indústria de qualquer tipo. Pouco mais de 70% do território
> roraimense é demarcado como reserva indígena, portanto restam apenas
> 30%, descontando-se os rios e as terras improdutivas que são muitas,
> para se cultivar a terra ou para a localização das próprias cidades.
>
> Na única rodovia que existe em direção ao Brasil (liga Boa Vista a
> Manaus, cerca de 800 km ) existe um trecho de aproximadamente 200 km
> reserva indígena (Waimiri Atroari) por onde você só passa entre 6:00 da
> manhã e 6:00 da tarde, nas outras 12 horas a rodovia é fechada pelos
> índios (com autorização da FUNAI e dos americanos) para que os mesmos
> não sejam incomodados...
> >>
> Detalhe : Você não passa se for brasileiro, o acesso é livre aos
> americanos, europeus e japoneses. Desses 70% de território indígena,
> diria que em 90% dele ninguém entra sem uma grande burocracia e
> autorização da FUNAI.
>
>  Outro detalhe: americanos entram à hora que quiserem. Se você não tem
> uma autorização da FUNAI mas tem dos americanos então você pode entrar.
> A maioria dos índios fala a língua nativa além do inglês ou francês, mas
> a maioria não sabe falar português. Dizem que é comum na entrada de
> algumas reservas encontrarem- se hasteadas bandeiras americanas ou
> inglesas. É comum se encontrar por aqui americano tipo  *nerd* com cara
> de quem não quer nada, que veio caçar borboleta e joaninha e
> catalogá-las, mas no final das contas, pasme, se você quiser montar uma
> empresa para exportar plantas e frutas típicas como cupuaçu, açaí,
> camu-camu etc., medicinais ou componentes naturais para fabricação de
> remédios, pode se preparar para pagar '*royalties*' para empresas
> japonesas e americanas que já patentearam a maioria dos produtos típicos
> da Amazônia...
>
> Por três vezes repeti a seguinte frase após ouvir tais relatos: Os
> americanos vão acabar tomando a Amazônia. E em todas elas ouvi a
> mesma resposta em palavras diferentes.. Vou reproduzir a resposta de
> uma senhora simples que vendia suco e água na rodovia próximo de
> Mucajaí:
>
> Irão não minha filha, tu não sabe, mas tudo aqui já é deles, eles
> comandam tudo, você não entra em lugar nenhum porque eles não deixam.
>
> Quando acabar essa guerra aí eles virão pra cá, e vão fazer o que
> fizeram no Iraque quando determinaram uma faixa para os curdos onde
> iraquiano não entra, aqui vai ser a mesma coisa!!!
>
> A dona é bem informada não? O pior é que segundo a ONU o conceito de
> nação é um conceito de soberania e as áreas demarcadas têm o nome de
> nação indígena. O que pode levar os americanos a alegarem que estarão
> libertando os povos indígenas. Fiquei sabendo que os americanos já estão
> construindo uma grande base militar na Colômbia, bem próximo da
> fronteira com o Brasil numa parceria com o governo colombiano com o
> pseudo objetivo de combater o narcotráfico. Por falar em narcotráfico,
> aqui é rota de distribuição, pois essa mãe chamada Brasil mantém suas
> fronteiras abertas e aqui tem estrada para as Guianas e Venezuela.
> Nenhuma bagagem de estrangeiro é fiscalizada, principalmente se for
> americano, europeu ou japonês, (isso pode causar um incidente
> diplomático). Dizem que tem muito colombiano traficante virando
> venezuelano, pois na Venezuela é muito fácil comprar a cidadania
> venezuelana por cerca de 200 dólares.
>
> Pergunto inocentemente às pessoas: porque os americanos querem tanto
> proteger os índios ? A resposta é absolutamente a mesma, porque as
> terras indígenas além das riquezas animal e vegetal, da abundância de
> água, são extremamente ricas em ouro - encontram-se pepitas que chegam a
> ser pesadas em quilos), diamante, outras pedras preciosas, minério e nas
> reservas norte de Roraima e Amazonas, ricas em PETRÓLEO.
>
> Parece que as pessoas contam essas coisas como que num grito de
> socorro a alguém que é do sul, como se eu pudesse dizer isso ao
> presidente ou a alguma autoridade do sul que vá fazer alguma coisa.
>
> É, pessoal... saio daqui com a quase certeza de que em breve o Brasil
> irá diminuir de tamanho.
>
> Será que podemos fazer alguma coisa???
> Acho que sim
>
> Repasse esse e-mail para que um maior número de brasileiros fique
> sabendo desses absurdos.
>
> Mara Silvia Alexandre Costa
> Depto de Biologia Cel. Mol. Bioag.Patog. FMRP - USP
>
> Opinião pessoal:
>   Gostaria que você que recebeu este e-mail, o repasse para o maior
> número possível de pessoas. Do meu ponto de vista seria interessante que
> o país inteiro ficasse sabendo desta situação através dos
> telejornais antes que isso venha a acontecer. 

Médico cubano identifica líquido amniótico...em HOMEM


RUMORES DA INTERNET..

Lula briga com Bastos, desiste do Planalto em 2014 e se preocupa com saúde e processo por improbidade.
 Pode até ser candidato ao Senado por São Paulo, para ajudar o PT a conquistar o Palácio dos Bandeirantes, mas Luiz Inácio Lula da Silva decidiu que não vai se candidatar a Presidente da República em 2014. Pretende apoiar a reeleição de Dilma Rousseff ou apostar em um “poste novo” – se as condições políticas permitirem. Foi o que Lula confidenciou a amigos próximos – que não conseguem guardar a língua entre os dentes nos fofoqueiros bastidores do poder em Brasília.
 Lula agora tem duas preocupações imediatas com o futuro: cuidar da saúde e usar seu prestígio pessoal para evitar que pipoquem ações judiciais contra ele no pós-mensalão. O medo maior é a Ação Civil Pública (processo 0007807-08.2011.4.01.3400) que corre na 13ª Vara Federal pela improbidade administrativa de fazer um esforço de propaganda para o banco BMG endividar aposentados e pensionistas do INSS. O humor de Lula anda péssimo e gerando atritos com amigos e aliados que entendem a delicada situação dele.

Recentemente, brigou com o criminalista Márcio Thomaz Bastos. O ex-Presidente resolveu condenar seu ex-ministro da Justiça pela atuação em defesa de réus da Ação Penal 470. Bastos teve de aturar Lula reclamar que o advogado não devia ter aceitado participar diretamente da causa. Motivo: a marca Lula ficou atrelada ao nome do defensor. A ríspida conversa abalou o cordial relacionamento entre os dois.

Lula somatiza o Mensalão. O problema mexe com seu ânimo e afeta sua resistência física. As derrotas no STF – principalmente com as condenações dos companheiros “Zés” (Dirceu e Genoíno) – o abalaram emocionalmente. A tensão permanente, que alternou raiva e depressão, prejudicou o tratamento de Lula contra os efeitos colaterais provocados pela pesada quimio e radioterapia que extirparam o tumor maligno em sua laringe.

O processo contra Lula é sérioO ex-presidente foi autuado no dia 31/01/2011 pelo juiz Paulo Cesar Lopes, mas o caso ficou abafado até recentemente. Na ação civil pública por dano ao erário e improbidade administrativa, Lula e seu ex-ministro da Previdência. Amir Francisco Lando são processados a pedido do Ministério Público Federal, em Brasília. O curioso é que, na tela de acesso ao processo, o nome de Lula está escrito erradamente. Lá aparece Luis com “S” e não com “Z”.
 Grafia equivocada à parte, a procuradora Luciana Loureiro de Oliveira pede que, condenados, os réus devolvam aos cofres públicos o montante de R$ 9.526.070,64 gastos com as cartinhas enviadas aos aposentados e pensionistas do INSS, convidando-os a fazer crédito consignado com o banco BMG – citado no processo do Mensalão. O andamento do processo pode ser acompanhado em:http://processual.trf1.jus.br/consultaProcessual/processo.php?secao=DF&proc=78070820114013400

Sem foro privilegiado para prolongar a costumeira impunidade, além deste processo, Lula corre risco de sofrer danos em outra ação parecida. Tudo vai depender da sede de Justiça do presidente do Supremo Tribunal Federal.Joaquim Barbosa pode retirar o estranho segredo de Justiça sobre o Processo Investigatório 2.474. Os 77 volumes em sigilo apuram as supostas irregularidades no convênio entre o Banco BMG e o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), com a participação da Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência (Dataprev), para a “operacionalização de crédito consignado a beneficiários e pensionistas”. O caso dormita “blindado”, desde 2007, no Supremo.

Por isso, de pouco adiantam manobras de ilusionismo como a feita na terça-feira, durante indigesto jantar da Presidenta Dilma Rousseff com ministros, senadores e deputados do PT e do PMDB, no Palácio da Alvorada. Alegar que “nunca esteve com esse cidadão (Marcos Valério)” é chover no molhado. Embora vá morrer dizendo o contrário, Lula tem medo de uma reviravolta conjuntural que o leve às barras dos tribunais. O risco é mais real que nunca, embora, no Brasil, a pizza sempre seja saboreada no final das contas...
 A sorte de Lula é que a cúpula da oposição insiste em poupá-loAs presidências do PSDB e DEM reprovam o pedido de investigação contra Lula feito pelo presidente do PPS, Roberto Freire, e mais três senadores tucanos independentes. O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, tem o dever de abrir inquérito para investigar se Lula participou do mensalão – conforme recentes insinuações do condenado operador publicitário do esquema, Marcos Valério Fernandes de Souza.
 E na hora que a investigação dos R$25.000.000,00 que a Rosemary desembarcou em Portugal em mala diplomática aí vai explodir tudo de uma vez! Pra quem foi a grana? Foi depositada em que conta? O Governo português já confirma a entrada do dinheiro. Lula tem o monossílabo no ponto! 

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

HOTEL ESTRELA VERMELHA


Administração: José Dirceu


Confira as nossas vantagens..

1. Recepção – não temos isso..nós usamos “acolhimento” para receber os hospedeiros (mistura de hóspede+companheiro)

2. Rotas de Fuga exclusivas para membros do Congresso Nacional.

3. Serviço de Acompanhantes femininos – Direção de Antônio Palocci e Jeany Mary Corner apresentando esse mês a vencedora do Concurso Miss Iran 2013 (ou aquilo que sobrou dela depois de ser apedrejada em praça pública)

4. Ventiladores de Teto e Mosqueteiros em Todos os Quartos – isopor com cerveja no modelo usado pelo churrasqueiro de Lula.

5. Exclusivo sistema de desbloqueio de tornozeleiras eletrônicas. Segurança do hotel feita pela mesma equipe escolhida por Celso Daniel em Santo André..

6. Camas com colchas vermelhas e franjas verdes no modelo de bom gosto definido pela ex-primeira dama Marisa Letícia e pela segunda dama Rosemary Noronha. Todos os quartos com espelho no teto..Travesseiros em forma de estrela vermelha com foice e martelo.

7. Internet exclusiva com conexão com o Badoo (Google Chinês) e Foicebook já com autorização para participar do “Diversidade Médica”..

8. Suítes com camas redondas, aparelho de ar condicionado da URSS e fotos provocantes de Dilma, Martha Suplicy e Maria do Rosário em tomadas excitantes feitas nas praias de Cuba.

9. Pagamento da Diária feito sempre em dinheiro, com notas pequenas, não sequenciais, entregues em locais públicos e sem testemunhas ou em contas nas Ilhas Cayman

10. Café da Manhã com pratos típicos da Coréia do Norte (os pratos são lindos, estão atrás de vitrines com vidros a prova de bala e uma cerca elétrica) que nunca foram usados (dizem que nunca colocaram comida alguma neles)

11. Exclusivo Museu do Mensalão – sala de exposição do Hotel em que se pode contar toda história recente da corrupção no Brasil.

12. Plano de Saúde exclusivo garantindo o bem estar do Hóspede com a COMECU – Cooperativa dos Médicos Cubanos..

13. Passeios Turísticos - “O caminho da Corrupção”.... “Bairro das Negociatas”...e “Tudo Termina em Pizza” (esse último é a noite)..

Porto Alegre, 27 de novembro de 2013 PVC (posterior a vinda dos cubanos)

Milton Pires & Inglourious Doctors....


DIREITOS HUMANOS


EXCELENTÍSSIMO SENHOR DEPUTADO FEDERAL  MARCOS FELICIANO – PRESIDENTE DA COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS  E MINORIAS DA CÂMARA FEDERAL.


                          A ASSOCIAÇÃO DOS MILITARES DA RESERVA REMUNERADA, REFORMADOS E PENSIONISTAS DAS FORÇAS ARMADAS – AMIR, neste ato, representada por seu Presidente JOÃO ANTÔNIO CARREIRA, com  espeque no que insculpe o Art. 5º, Inciso  XXXIV, Letra a) da Constituição Federal, de 05 de outubro de 1988, vem, mui respeitosamente, à ilustre e culta presença de Vossa Excelência, expor e a final REQUERER, com base nas motivadoras de fato e nos fundamentos de DIREITO, a seguir aduzidos:

MATÉRIA FACTUAL:

DA REQUERENTE:

                        A Requerente é uma Associação de Personalidade Jurídica Civil  inscrita no CNPJ sob o n.: 26126599 – 0001/06,  sita na Rua Howian, 40, Centro, na cidade de Juiz de Fora – MG, CEP n.: 36.060 – 060,  com Telefones de números: (32)  – 3216 - 4513 e 3217 – 8685, funcionando de segunda a sexta – feira no horário compreendido entre 14:30 às 17:30 horas.
                     O seu quadro de associados é constituído por Militares Inativos e Pensionistas da Marinha, Exército e Aeronáutica, residentes e domiciliados na Guarnição de Juiz de Fora e cidades circunvizinhas.

                     Destaca – se que residem e são domiciliados na cidade de Juiz de Fora mais de 6.000 (Seis Mil) Militares Inativos e Pensionistas.
                     Ressalta – se que a Constituição Federal e o Estatuto da AMIR garantem para esta Associação  legitimidade ativa Constitucional e Legal para a representação ora postulada.

DAS ATRIBUIÇÕES DA COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS E MINORIAS DA CÂMARA:

                       É de trivial sabença que as atribuições Constitucionais e Regimentais da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara estabelecem que:

                      Compete a essa Comissão RECEBER, avaliar e INVESTIGAR denúncias de VIOLAÇÕES DE DIREITOS HUMANOS.

                      Neste contexto fica crível que a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara têm como escopo contribuir para a GARANTIA dos DIREITOS HUMANOS.
                      Neste foco, torna – se visível que TODA E QUALQUER PESSOA, independentemente, de quaisquer situações, são detentoras de DIREITOS BÁSICOS eINALIENÁVEIS que devem ser PROTEGIDOS pelo ESTADO e por toda Comunidade Internacional.

                       Portanto esta Comissão tem como atribuição Constitucional e Regimental o dever de RECEBER, ANALISARINVESTIGAR e tomar as providências pertinentes a DENÚNCIA exposta nesta Petição.

DOS DIREITOS HUMANOS:

                        Rogamos “vênia” a essa Nobre Comissão para que se atente sobre o Princípio da UNIVERSALIDADE que rege os DIREITOS HUMANOS, Princípio este que assegura  a cada  SER HUMANO a GARANTIA dos DIREITOS BÁSICOS.

                        Sob essa ótica, os DIREITOS HUMANOS são os DIREITOS FUNDAMENTAIS que o HOMEM possui pelo fato de SER HUMANO, por sua própria natureza e pela dignidade que a ela é inerente.  

                       Tanto é que a DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS estabelece que:

ART. 1º TODOS OS HOMENS NASCEM LIVRES E IGUAIS EM DIGNIDADE E DIREITOS.

ART. 2º TODO O HOMEM TEM CAPACIDADE PARA GOZAR DIREITOS E AS LIBERDADES ESTABELECIDAS NESTA DECLARAÇÃO, SEM DISTINÇÃO DE QUALQUER ESPÉCIE......”

                     Estes dispositivos demonstram com muita clareza o caráter de UNIVERSALIDE que os DIREITOS HUMANOS abrigam.

                      Não há como deixar de reconhecer a UNIVERSALIDADE dos DIREITOS HUMANOS que é ofertada a todos os SERES HUMANOS indiscriminadamente.

                      Frisa – se que a REAFIRMAÇÃO DA UNIVERSALIDADE dos DIREITOS HUMANOS constitui uma das conquistas da DECLARAÇÃO DE VIENA ao afirmar que:

ART. 1º A NATUREZA UNIVERSAL DE TAIS DIREITOS  E LIBERDADES NÃO ADMITE DÚVIDAS.”


                     Ante ao exposto, fica patente que os SERES HUMANOS que foram ASSASSINADOS e TORTURADOS por TERRORISTAS durante o período compreendido entre 1964 a 1974, tiveram seus DIREITOS HUMANOS VIOLADOS.  

                    Egrégia Comissão, pesquisando jornais referentes ao período de 1964 a 1974, constatamos  as seguintes publicações:

                   CIDADÃOS CIVIS,  que estavam no exercício de seus labores,  foram impiedosamente EXECUTADOS durante a realização de ROUBOS, praticados por grupos que atuavam objetivando implantar no Brasil regimes que regiam, à época,em Países como Cuba, Rússia e China.

                 CIDADÃOS CIVIS, simplesmente, porque não pactuavam da IDEOLOGIA que era defendida pelos homicidas, foram TORTURADOS MORTOS de formaTORPE CRUEL:

                 CIDADÃOS E CIDADÃS CIVIS  exercitando o direito de ir e vir, quando transitavam pelas ruas e locais públicos foram MORTOS ou MUTILADOS por explosões de artefatos bélicos colocados por homicidas, em nome de uma “causa”.

                   Chamamos a atenção dessa Egrégia Comissão para os conceitos abaixo mencionados:

                 “TERRORISMO é a dominação pelo TERROR. Essa dominação verifica – se em atos VIOLENTOS cujo fim é o semear TERROR. O TERRORISMO  procura coagir e pressionar os governos ou a sociedade em geral para impor os seus apelos e as suas proclamações.”

               “TERRORISMO REVOLUCIONÁRIO é quando os seus praticantes ficaram conhecidos como GUERRILHEIROS URBANOS MARXISTAS (Maoístas, Castristas, Trotskistas e Leninistas).”

               Transportando para a prática os métodos estabelecidos pelos CONCEITOS retro citados, chega – se, facilmente, a ilação de que os ATOS VIOLENTOS e CRUÉISque vitimaram os CIDADÃOS E CIDADÃS CIVIS, durante o lapso temporal compreendido entre 1964 a 1974, foram praticados por TERRORISTAS.

               Destaca – se que o TERRORISMO costuma atuar em contexto onde não há um conflito formalizado e atingem pessoas que não tem relação direta com os inimigos dos terroristas, tal qual, como ocorreu com os ASSASSINATOS DE CIDADÃOS E CIDADÃS nominados nesta Peça.

              Aqueles que eram militarespoliciais militares e policiais civis e que foram ASSASSINADOS brutalmente, fora do contexto das ações de conflitos armados, também, se inserem como vítimas de ATENTADOS TERRORISTAS, como nos preleciona os conceitos acima mencionados.

              Para que fique bem marcada a condição do que é um TERRORISTA, trazemos à colação, a expressão alcunhada por FRANÇOIS RENÉ CHATEAUBRIAND que assim afirmou: “NÃO HÁ NADA MAIS SERVIL, DESPREZÍVEL E TACANHO QUE UM TERRORISTA.”

            Destaca – se que a VIOLAÇÃO AOS DIREITOS HUMANOS desencadeadas por AÇÕES praticadas por TERRORISTAS, não exime a  RESPONSABILIDADE do ESTADOsobre estes lamentáveis atos.

            Esta condição está muito bem definida mediante a LIÇÃO do renomado Mestre Antônio Augusto Cançado Trindade, que através da obra intitulada de: “A proteção dos Direitos Humanos nos planos  nacional  e internacional: perspectivas brasileiras. San José: IIDH, 1992, assim nos preleciona: 

ESTADO É RESPONSÁVEL POR OMISSÃO, OU SEJA, POR NÃO TOMAR AS MEDIDAS POSITIVAS DE PROTEÇÃO. ALÉM DO ESTADO, ACREDITA – SE QUE PODEM AS ORGANIZAÇÕES INTERNACIONAIS, AS EMPRESAS MULTINACIONAIS, ÓRGÃOS DE COMUNICAÇÃO, OS GRUPOS  GUERRILHEIROS OU TERRORISTAS E OS DELINQUENTES COMUNS EM RELAÇÕES INTER - INDIVIDUAIS COMETEREM VIOLAÇÕES AOS DIREITOS HUMANOS.”
(Grifos Nossos)

                   Mas, não é só estes ensinamentos, a Norma regida sob a égide da DECLARAÇÃO DE VIENA também caminha nesta mesma trilha, uma vez que,  o seu Art. 5º  afirma de forma concreta que: “OS ESTADOS TÊM O DEVER DE PROMOVER  E PROTEGER TODOS OS DIREITOS, INDEPENDENTEMENTE DOS RESPECTIVOS SISTEMAS.”     

                   Assim, verificando o que estabelece a DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS, a DECLARAÇÃO AMERICANA DE DIREITOS HUMANOS, aDECLARAÇÃO DE VIENA e outros Instrumentos Internacionais, dos quais, o Brasil é signatário, fica pontificado que compete ao ESTADO DEVER de apurar, investigar e tomar as medidas que a Lei impõe, quando se constata a quebra dos DIREITOS HUMANOS, independente de quem o sofreu e de quem o violou.

               Nesse sentido nunca é demais recordar os ensinamentos da insigne Professora FLÁVIA PIOVESAN, expostos na sua consagrada Obra: “DIREITOS HUMANOS E O DIREITO CONSTITUCIONAL INTERNACIONAL – 7ª Edição, São Paulo, Saraiva,  2006, quando assim afirmou:

“NO MOMENTO EM QUE OS SERES HUMANOS SE TORNAM SUPÉRFLUOS E DESCARTÁVEIS, NO MOMENTO EM QUE VIGE A LÓGICA DA DESTRUIÇÃO, EM QUE CRUELMENTE SE ABOLE O VALOR DAS PESSOAS HUMANASTORNA – SE NECESSÁRIO A RECONSTRUÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS, COMO PARADIGMA ÉTICO DE RESTAURAR A LÓGICA DO RAZOÁVEL.”

                 Nobres Integrantes da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, rogamos vênia, para que sejam examinadas as questões a seguir expostas:
PRIMEIRO:
                
                Que atentem para o que determinam os cânones da DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS DA ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS – ONU e daDECLARAÇÃO  DE  VIENA acima transcritos, os quais, têm o caráter de UNIVERSALIDADE, ou seja, asseguram a todos os SERES HUMANOS, indiscriminadamente,  a proteção dos DIREITOS HUMANOS.

SEGUNDO:

                Que observem o PRINCÍPIO DE IGUALDADE, de ISONOMIA que é GARANTIDO por CLÁUSULA PÉTREA do nosso ORDENAMENTO CONSTITUCIONAL.

TERCEIRO:

                 Com base no consagrado PRINCÍPIO DA UNIVERSALIDADE estabelecido pela DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS DA ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS e da DECLARAÇÃO DE VIENA, que se exija que a LEI n.: 12.528, de 18 de novembro de 2011, que “objetiva promover o esclarecimento circunstanciado dos casos de tortura, mortes entre 1946 a 1988” se estenda sobre aqueles que tiveram os seus DIREITOS HUMANOS VIOLADOS e que estão relacionados neste Petitório, ou seja, que a dita “COMISSÃO DA VERDADE” cumpra com o  que está estabelecido pelas DECLARAÇÕES ORA CITADAS , bem como, com o PRINCÍPIO ISONÔMICO DA IGUALDADE contido em CLÁUSULA PÉTREA DO NOSSO ORDENAMENTO CONSTITUCIONAL, ou seja, que INVESTIGUEM e APUREM as VIOLAÇÕES DE DIREITOS HUMANOS SOFRIDOS PELAS VÍTIMAS QUE TOMBARAM POR ATOS DE TERRORISTAS E GUERRILHEIROS, trazendo a tona, realmente,  a VERDADE, inserindo estes atos na história política do Brasil, para que fatos como este não mais se repitam e que seja concedido AMPARO ESTATAL para os FAMILIARES DAS VÍTIMAS AQUI MENCIONADAS, no mesmo “Modus Operandi” que TERRORISTAS, SINDICALISTAS e outros vêm recebendo da União.

                  Não se pode olvidar que VERDADE significa aquilo que está intimamente ligado a tudo que é SINCERO, que é VERDADEIROÉ a ausência da MENTIRA.

                VERDADE não está só de um lado ou tão somente na ótica daqueles que querem escrever a história diversa da realidade. 

                 Ou será que a Lei não reconhece como SER HUMANO aqueles que tombaram por atos praticados por GUERRILHEIROS e TERRORISTAS ?

                  Ou será que a Norma acha que TERRORISMO é um ato normal, legal e moral?

              Ante ao exposto, estamos enviando esta PETIÇÃO para essa COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS E MINORIAS DA CÂMARA, esperando que seja cumprido o dispositivo constitucional e regimental desta Comissão, no sentido  de INVESTIGAR as denúncias de VIOLAÇÕES DE DIREITOS HUMANOS relatadas nesta Peça e que as providências pertinentes sejam devidamente tomadas.
     
           Estamos, também, enviando este mesmo documento para o ALTO COMISSARIADO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA  OS DIREITO HUMANOS, para a CORTE INTERAMERICANA DE DIREITOS HUMANOS DA ORGANIZAÇÃO DOS ESTADOS AMERICANOS, para o HUMAN RIGHTS WATCH e outros Órgãos Internacionais pertinentes, bem como, para a IMPRENSA FALADA e ESCRITA.

         A seguir, relação das vítimas que tiveram seus DIREITOS HUMANOS VIOLADOS:

ANO DE 1964:


12 DE NOVEMBRO: PAULO MACENA Vigia – RJ
         Explosão de bomba deixada por uma organização comunista nunca identificada, em protesto contra a aprovação da Lei Suplicy, que extinguiu a UNE e a UBES.  Esteatentado terrorista ocorreu no Cine Bruni, Flamengo, na cidade do Rio de Janeiro, com um saldo de:  seis feridos graves e 01 morto.

ANO DE 1965:
27 de março: CARLOS ARGEMIRO CAMARGO - Sargento do Exército – Paraná
      Emboscada de um grupo de militantes da Força Armada de Libertação Nacional (FALN), chefiado pelo ex-coronel Jefferson Cardim de Alencar Osório.  Camargo foi morto a tiros. Sua mulher estava grávida de sete meses.

ANO DE 1966:
25 de julho: EDSON RÉGIS DE CARVALHO - Jornalista – Pernambuco.
                                  NELSON GOMES FERNANDES - Almirante – Pernambuco.
                Explosão de bomba no Aeroporto Internacional de Guararapes, com 17 feridos e 02 mortos. Entre as vítimas deste ATO TERRORISTA, estão o então Coronel do Exército Sylvio Ferreira da Silva que sofreu fraturas expostas e teve amputados quatro dedos da mão esquerda e o Sr. Sebastião Tomaz de Aquino - Guarda Civil, que teve a perna direita amputada.

ANO DE 1967:
24 de novembro: JOSÉ GONÇALVES CONCEIÇÃO (Zé Dico) – Fazendeiro -  São Paulo.
       Morto por Edmur Péricles de Camargo, integrante da Ala Marighella, durante a invasão da fazenda Bandeirante, em Presidente Epitácio. 

      Zé Dico foi trancado num quarto, TORTURADO e, finalmente, MORTO com vários tiros. O filho do fazendeiro que tentara socorrer o pai foi baleado por Edmur com dois tiros nas costas.

15 de dezembro: OSÍRIS MOTTA MARCONDES -  Bancário – São Paulo.
       MORTO quando tentava impedir um ROUBO PRATICADO POR TERRORISTAS ao Banco Mercantil, do qual era o gerente.

ANO DE 1968:
10 de janeiro:  AGOSTINHO FERREIRA LIMA – Marinha Mercante – Rio Negro - / Amazonas
          No dia 06/12/67, a lancha da Marinha Mercante “Antônio Alberto” foi ATACADA por um grupo de NOVE TERRORISTAS liderados por Ricardo Alberto Aguado Gomes “Dr. Ramon”, o qual, posteriormente, ingressou na Ação Libertadora Nacional (ALN).

         Neste ataque Agostinho Ferreira Lima foi ferido gravementevindo a falecer no dia 10/01/68.

31 de maio: AILTON DE OLIVEIRA - Guarda Penitenciário – Rio de Janeiro.
         O Movimento Armado Revolucionário (MAR) montou uma ação para libertar nove de seus membros que cumpriam pena na Penitenciária Lemos de Brito (RJ) e que, uma vez libertados, deveriam seguir para a região de Conceição de Jacareí, onde o MAR pretendia estabelecer o “embrião do foco guerrilheiro”. 

          No dia 26/05/68, o estagiário Júlio César entregou à funcionária da penitenciária Natersa Passos, num pacote, três revólveres calibre 38. 

          Às 17h30, teve início a fuga. 

         Os terroristas foram surpreendidos pelos guardas penitenciários Ailton de Oliveira e Jorge Félix Barbosa. Foram feridos, e Ailton morreu no dia 31/05/68. Ainda ficou gravemente ferido o funcionário da Light João Dias Pereira, que se encontrava na calçada da penitenciária. O autor dos disparos que atingiram o Guarda  Civil  Ailton de Oliveira foi o terrorista Avelino Brioni Capitani.

26 de junho: MÁRIO KOZEL FILHO – Soldado do Exército – SP (Um jovem de dezenove anos que estava cumprindo o Serviço Militar Obrigatório por força de Lei.)
           No dia 26/06/68, o Soldado Kozel estava de serviço, de Guarda do Quartel, no posto,  como sentinela do Quartel General do II Exército. 

           Às 4h30, um tiro é disparado por  um outro soldado contra uma camioneta que, desgovernada, tenta penetrar no quartel. Seu motorista saltara dela em movimento, após acelerá-la e direcioná-la para o portão do QG. 

         O soldado Rufino, também sentinela, dispara seis tiros contra o mesmo veículo, que, finalmente, bate na parede externa do quartel. 

         Kozel sai do seu posto e corre em direção ao carro para ver se havia alguém no seu interior. 

         Havia uma carga com 50 quilos de dinamite, que, segundos depois, explode. 

         O corpo de Kozel é dilacerado

         Os soldados João Fernandes, Luiz Roberto Julião e Edson Roberto Rufino ficam muito feridos.

          Foi mais um ato terrorista da organização chefiada por Carlos Lamarca, a VPR – Vanguarda Popular Revolucionária.
        Participaram do crime os TERRORISTASDiógenes José de Carvalho Oliveira – DIÓGENES DO PT,  Waldir Carlos Sarapu, Wilson Egídio Fava, Onofre Pinto, Edmundo Coleen Leite, José Araújo Nóbrega, Oswaldo Antônio dos Santos, Dulce de Souza Maia, Renata Ferraz Guerra Andrade e José Ronaldo Tavares de Lima e Silva. 

27 de junho: NOEL DE OLIVEIRA RAMOS – Civil – Rio de Janeiro.
          Morto com um tiro no coração em conflito na rua. Estudantes distribuíam no Largo de São Francisco, panfletos a favor do governo e contra as agitações estudantis conduzidas por militantes comunistas. 
          Gessé Barbosa de Souza, eletricista e militante da VPR, conhecido como “Juliano” ou “Julião”, infiltrado no movimento, tentou impedir a manifestação com uma arma. 
          Os estudantes, em grande maioria, não se intimidaram e tentaram segurar Gessé que fugiu atirando, atingindo mortalmente Noel de Oliveira Ramos e ferindo o engraxate Olavo Siqueira.

27 de junho: NELSON DE BARROS – Sargento PM -  Rio de Janeiro.
            No dia 21/06/68, conhecida como a “Sexta-Feira Sangrenta”, realizou-se no Rio uma passeata contra o Governo. Nesta passeata os manifestantes ergueram barricadas, incendiaram carros, agrediram motoristassaquearam lojasatacaram a tiros a embaixada americana e as tropas da Polícia Militar

            No fim da noite, pelo menos 10 mortos e centenas de feridos. Entre estes, estava o Sargento da PM Nelson de Barros, que morreu no dia 27.

01 de julho: EDWARD ERNEST TITO OTTO MAXIMILLIAN VON WESTERNHAGEN – Major do Exército Alemão – Rio de Janeiro.
           Morto no Rio de Janeiro, onde fazia o Curso da Escola de Comando e Estado Maior do Exército. 

           Assassinado na Rua Engenheiro Duarte, Gávea, por ter sido confundido com o Major Boliviano Gary Prado, suposto matador de Che Guevara, que também cursava a mesma escola. 

           Autores: Severino Viana Callou, João Lucas Alves e um terceiro não identificado. Todos pertenciam à organização terrorista COLINA- Comando de Libertação Nacional.

07 de setembro: EDUARDO CUSTÓDIO DE SOUZA – Soldado PM – São Paulo.
           
          Morto com sete tiros por terroristas de uma organização não identificada quando de sentinela no DEOPS, em São Paulo.

20 de setembro: ANTÔNIO CARLOS JEFFERY – Soldado PM – São Paulo.
        Morto a tiros quando de sentinela  no quartel da então Força Pública de São Paulo (atual PM) no Barro Branco. Organização terrorista que praticou o assassinato: Vanguarda Popular Revolucionária. Assassinos: Pedro Lobo de Oliveira, Onofre Pinto, Diógenes José Carvalho de Oliveira, atualmente conhecido como “Diógenes do PT”,ex-auxiliar de Olívio Dutra no Governo do RS.

12 de outubro: CHARLES RODNEY CHANDLER  – Capitão do Exército dos Estados Unidos – São Paulo.
                 Herói na guerra com o Vietnã, veio ao Brasil para fazer o Curso de Sociologia e Política, na Fundação Álvares Penteado, em São Paulo/SP. 
                 No início de outubro de 68, um Grupo Terrorista composto pelos dirigentes da VPR (Vanguarda Popular Revolucionária), Onofre Pinto (Augusto, Ribeiro, Ari), João Carlos Kfouri Quartin de Morais (Maneco) e Ladislas Dowbor (Jamil), condenou o capitão Chandler à morte, porque ele “seria um agente da CIA”. 

                 Os levantamentos da rotina de vida do capitão foram realizados por Dulce de Souza Maia (Judite). 

                 Quando retirava seu carro da garagem para seguir para a Faculdade, Chandler foi assassinado com 14 tiros de metralhadora  e vários tiros de revólver,  nafrente da sua mulher, Joan,  e de seus 3 filhos

                 O grupo de execução era constituído pelos terroristas   Pedro Lobo de Oliveira (Getúlio), Diógenes José de Carvalho Oliveira – DIÓGENES DO PT (Luis, Leonardo, Pedro) e Marco Antônio Bráz de Carvalho (Marquito).

24 de outubro: LUIZ CARLOS AUGUSTO – Civil  - Rio de Janeiro.  
               Morto, com um tiro, durante uma passeata estudantil.

25 de outubro: WENCESLAU RAMALHO LEITE – Civil – Rio de Janeiro. 
               Morto, com quatro tiros de pistola Luger 9mm,  durante o roubo de seu carro, na avenida 28 de Setembro, Vila Isabel, Rio de Janeiro. 

               Autores: Murilo Pinto da Silva (Cesar ou Miranda) e Fausto Machado Freire (Ruivo ou Wilson), ambos integrantes da organização terrorista COLINA (Comando de Libertação Nacional).

07 de novembro: ESTANISLAU IGNÁCIO CORREIA – Civil – São Paulo. 
              Morto pelos terroristas Ioshitame Fugimore, Oswaldo Antônio dos Santos e Pedro Lobo Oliveira, todos integrantes da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR),quando roubavam seu automóvel na esquina das ruas Carlos Norberto Souza Aranha e Jaime Fonseca Rodrigues, em São Paulo.

ANO DE 1969:
07 de janeiro: ALZIRA BALTAZAR DE ALMEIDA – Dona de Casa – Rio de Janeiro. 
                  Uma bomba jogada por terroristas, embaixo de uma viatura policial, estacionada em frente à 9ª Delegacia de Polícia, ao explodir, matou a jovem Alzira Baltazar de Almeida, de apenas 18 anos de idade, uma vítima inocente que na ocasião transitava na rua.

11 de janeiro: EDMUNDO JANOT – Fazendeiro – Rio de Janeiro. 
                 Morto a tiros, foiçadas e facadas por um grupo de TERRORISTAS que havia montado uma base de guerrilha nas proximidades da sua fazenda.

20 de janeiro: CECILDES MOREIRA DA SILVA – Sub – Inspetor de Polícia – Belo Horizonte.
20 de janeiro: JOSÉ ANTUNES FERREIRA – Guarda Civil – Belo Horizonte.
                  Durante a abordagem de um aparelho do Comando de Libertação Nacional (Colina), na Rua Itacarambu nº 120, Bairro São Geraldo, na cidade de Belo Horizonte – MG,  a equipe de segurança foi recebida por rajadas de metralhadora, disparadas por Murilo Pinto Pezzuti da Silva, “Cesar” ou “Miranda”, que, com 11 tirosmataram o Sub Inspetor  da Polícia Cecildes Moreira da Silva, que deixou viúva e oito filhos e o Guarda Civil José Antunes Ferreira, ferindo, ainda, o Investigador José Reis de Oliveira
31 de março: MANOEL DA SILVA DUTRA – Civil – Rio de Janeiro. 
                   Morto durante ROUBO ao Banco Andrade Arnaud. Destaca – se que um dos então terroristas que participaram da operação se chamava Carlos Minc.  

                 Ele vinha  do  COLINA  que se fundiu com a VPR para formar a VAR-PALMARES (VANGUARDA ARMADA REVOLUCIONÁRIA – PALMARES).


14 de abril: BENTO DA SILVA – Motorista – São Paulo.
14 de abril: LUIZ FRANCISCO DA SILVA – Guarda Bancário – São Paulo. 
                    Mortos durante um ROUBO, praticado pela Ala Vermelha do PC do B ao carro pagador (uma Kombi) do Banco Francês-Italiano para a América do Sul, na Alameda Barão de Campinas, na cidade de São Paulo,  quando foram roubados vinte milhões de cruzeiros. 

                           Participaram desta ação os seguintes terroristas: Élio Cabral de Souza, Derly José de Carvalho, Daniel José de Carvalho, Devanir José de Carvalho, James Allen Luz, Aderval Alves Coqueiro, Lúcio da Costa Fonseca, Gilberto Giovanetti, Ney Jansen Ferreira Júnior, Genésio Borges de Melo e Antônio Medeiros Neto.

08 de maio: JOSÉ DE CARVALHO – Investigador de Polícia – São Paulo. 
                         Atingido com um tiro na boca durante um ROUBO ao Banco denominado de União de Bancos Brasileiros, em Suzano, no dia 07 de maio, vindo a falecer no dia seguinte. Nessa ação, os terroristas feriram, também, Antonio Maria Comenda Belchior e Ferdinando Eiamini
                        
                       Participaram deste ROUBO,  os seguintes TERRORISTAS da Ação Libertadora Nacional (ALN): Virgílio Gomes da Silva, Aton Fon Filho, Takao Amano, Ney da Costa Falcão, Manoel Cyrilo de Oliveira Neto e João Batista Zeferino Sales.

09 de maio: ORLANDO PINTO DA SILVA – Guarda Civil – São Paulo. 
                      Morto com dois tiros, um na nuca e outro na testa, disparados por Carlos Lamarca, durante ROUBO ao Banco Itaú, na Rua Piratininga, Bairro da Mooca, na cidade de São Paulo.

                     Na ocasião, também,  foi esfaqueado o gerente do Banco, Norberto Draconetti. 

                     Organização responsável por esse assalto: Vanguarda Popular Revolucionária (VPR).

27 de maio: NAUL JOSÉ MANTOVANI – Soldado PM – São Paulo.
                      Em 27/05/69, houve um ataque terrorista contra  o 15º Batalhão da Força Pública de São Paulo, atual PMESP, sediado na Avenida  Cruzeiro do Sul, na cidade de São Paulo. 

                      Os terroristas:  Virgílio Gomes da Silva, Aton Fon Filho, Carlos Eduardo Pires Fleury, Maria Aparecida Costa, Celso Antunes Horta e Ana Maria de Cerqueira César Corbusier metralharam o soldado Naul José Montovani, que estava de sentinela, morrendo instantaneamente. 

                       O soldado Nicário Conceição Pulpo que correu ao local ao ouvir os disparos, foi gravemente ferido na cabeça, tendo ficado paralítico.

22 de junho: GUIDO BONÉ e NATALINO AMARO TEIXEIRA – Soldados da PM – São Paulo.
                        Mortos por militantes da ALN que atacaram e incendiaram a Rádio-Patrulha RP 416, da então Força Pública de São Paulo, hoje Polícia Militar, matando os seus dois ocupantes, os soldados Guido Boné e Natalino Amaro Teixeira,  roubando suas armas.

11 de julho: CIDELINO PALMEIRAS DO NASCIMENTO – Motorista de Táxi – Rio de Janeiro. 
                       Morto a tiros quando conduzia,  em seu carro, policiais que perseguiam terroristas que haviam ROUBADO o Banco Aliança, agência Muda, na cidade do Rio de Janeiro.

                      Participaram deste assassinato os terroristas Chael Charles Schreier, Adilson Ferreira da Silva, Fernando Borges de Paula Ferreira, Flávio Roberto de Souza, Reinaldo José de Melo, Sônia Eliane Lafóz e o autor dos disparos Darci Rodrigues, todos pertencentes à organização terrorista VAR -Palmares.

24 de julho: APARECIDO DOS SANTOS OLIVEIRA – Soldado PM  – São Paulo. 
                       O Banco Bradesco, na Rua Turiassu, no Bairro de Perdizes, na cidade de São Paulo foi ROUBADO por uma frente de grupos de esquerda. 

                       Foram roubados sete milhões de cruzeiros. 

                      Participaram da ação: Pelo Grupo de Expropriação e Operação: Devanir José de Carvalho, James Allen Luz, Raimundo Gonçalves de Figueiredo, Ney Jansen Ferreira Júnior e José Couto Leal;
pelo Grupo do Gaúcho: Plínio Petersen Pereira, Domingos Quintino dos Santos e Chaouky Abara; pela VAR-Palmares: Chael Charles Schreier, Roberto Chagas e Silva, Carmem Monteiro dos Santos Jacomini e Eduardo Leite.


20 de agosto: JOSÉ  SANTA  MARIA – Gerente de Banco – Rio de Janeiro.
                      Morto por terroristas que ROUBARAM o Banco de Crédito Real de Minas Gerais, do qual era gerente.



31 de agosto: MAURO CELSO RODRIGUES – Soldado PM – Maranhão. 
                     Morto quando procurava impedir a luta entre proprietários e posseiros, incitada por movimentos subversivos.

03 de setembro: JOSÉ GETÚLIO BORBA – Comerciário e JOÃO GUILHERME DE BRITO – Soldado da Força Pública (Hoje PM) – São Paulo. 
                      Os terroristas da Ação Libertadora Nacional (ALN) Antenor Meyer, José Wilson Lessa Sabag, Francisco José de Oliveira e Maria Augusta Tomaz resolveram comprar um gravador na loja Lutz Ferrando, na esquina da Avenida Ipiranga com a Rua São Luis, na cidade de São Paulo.

                      O pagamento seria feito com um cheque roubado num ROUBO. 
                       Descobertos, receberam voz de prisão e reagiram. 
  
                       Na troca de tiros, o guarda civil João Szelacsak Neto ficou ferido com um tiro na coxa, e o funcionário da loja, José Getúlio Borba foi mortalmente ferido. Perseguidos pela polícia, o terrorista José Wilson Lessa Sabag matou a tiros o soldado da Força Pública (atual PM) João Guilherme de Brito.

20 de setembro: SAMUEL PIRES – Cobrador de Ônibus – São Paulo. 
                      Morto por terroristas quando ROUBAVAM uma empresa de ônibus.

22 de setembro: KURT KRIEGEL – Comerciante – Alegre – Rio Grande do Sul. 
                      Comerciante Kurt Kriegel, morto pela Var-Palmares em Porto Alegre.

30 de setembro: CLÁUDIO ERNESTO CANTO – Agente da Polícia Federal – São Paulo.
                       Após ter efetuado a prisão de um terrorista, foi atingido na coluna vertebral, vindo a falecer em conseqüência desse ferimento.

04 de outubro: EUCLÍDES DE PAIVA CERQUEIRA – Guarda de Empresa – Rio de Janeiro.
                     Morto por terroristas durante ROUBO ao carro transportador de valores do Banco Irmãos Guimarães.

06 de outubro: ABELARDO ROSA LIMA – Soldado PM – São Paulo.
                    Metralhado por terroristas numa tentativa de ROUBO ao Mercado Peg - Pag. 

                   Autores: Devanir José de Carvalho (Henrique), Walter Olivieri, Eduardo Leite (Bacuri), Mocide Bucherone e Ismael Andrade dos Santos. Organizações Terroristas: REDE (Resistência Democrática) e MRT (Movimento Revolucionário Tiradentes).

07 de outubro: ROMILDO OTTENIO – Soldado PM – São Paulo. 
                    Morto quando tentava prender um terrorista.

31 de outubro: NILSON JOSÉ DE AZEVEDO LINS – Civil – Pernambuco. 
                    Gerente da firma Cornélio de Souza e Silva, distribuidora da Souza Cruz, em Olinda. 

                    Foi ROUBADO e morto quando ia depositar no Banco, o dinheiro da firma. 

                    Organização: PCBR (Partido Comunista Brasileiro Revolucionário). 

                    Autores: Alberto Vinícius Melo do Nascimento, Rholine Sonde Cavalcante Silva, Carlos Alberto Soares e João Maurício de Andrade Baltar.


04 de novembro:  ESTELA BORGES MORATO – Investigadora do DOPS, FRIEDERICH ADOLF ROHMANN – Protético e ORLANDO GIROLO – Bancário – São Paulo.

                 Mortos
 por terroristas durante 
ROUBO ao Bradesco, na cidade de São Paulo – SP.

17 de novembro: JOEL NUNES – Subtenente da PM – Rio de Janeiro. 
                Neste dia, o PCBR ROUBOU o Banco Sotto Maior, na Praça do Carmo, no subúrbio carioca de Brás de Pina, de onde foram roubados cerca de 80 milhões de cruzeiros. 

                Na fuga, obstados por uma viatura policial, Avelino Bioni Capitani  matou o sargento da PM Joel Nunes.

18 de dezembro: ELIAS DOS SANTOS – Soldado do Exército. – Rio de Janeiro. Elia
                 O jovem Elias dos Santos era tão somente um SOLDADO do EXÉRCITO que estava cumprindo o SERVIÇO MILITAR OBRIGATÓRIO por força de Lei, portanto, não era um MILITAR DE CARREIRA. 
                Havia um aparelho do PCBR na Rua Baronesa de Uruguaiana nº 70, no bairro de Lins de Vasconcelos. Ali, Prestes de Paula, ao fugir pelos fundos da casa,disparou um tiro de pistola 45 contra Elias dos Santos, matando – o.


ANO DE 1970:

17 de janeiro: JOSÉ GERALDO ALVES CURSINO – Sargento da PM – São Paulo.
                   Morto a tiros por terroristas.

20 de fevereiro: ANTÔNIO APARECIDO  POSSO NOGUERÓ – Sargento PM – São Paulo.

                   Morto pelo terrorista Antônio Raimundo de Lucena
 quando tentava impedir um ato terrorista no Jardim Cerejeiras, Atibaia/SP.

11 de março: NEWTON DE OLIVEIRA NASCIMENTO – Soldado PM – Rio de Janeiro.
                    No dia 11/03/70, os militantes do grupo tático armado da ALN Mário de Souza Prata, Rômulo Noronha de Albuquerque e Jorge Raimundo Júnior deslocavam-se num carro Corcel azul, roubado, dirigido pelo último, quando foram interceptados no bairro de Laranjeiras- RJ por uma patrulha da PM. 

                    Suspeitando do motorista, pela pouca idade que aparentava, e verificando que Jorge Raimundo não portava habilitação, os policiais ordenaram-lhe que entrasse no veículo policial, junto com Rômulo Noronha Albuquerque, enquanto Mauro de Souza Prata, acompanhado de um dos soldados, iria dirigindo o Corcel até a delegacia mais próxima. 

                    Aproveitando-se do descuido dos policiais, que não revistaram os detidos, Mário, ao manobrar o veículo para colocá-lo à frente da viatura policial, sacou de uma arma e atiroumatando com um tiro na testa o soldado da PM Newton Oliveira Nascimento, que o escoltava no carro roubado. 

                    O soldado Newton deixou a viúva dona Luci e duas filhas menores, de quatro e dois anos.

31 de março: JOAQUIM MELO -  Investigador de Polícia – Pernambuco
                   Morto por terroristas durante ação contra um “aparelho”.

02 de maio: JOÃO BATISTA DE SOUZA – Guarda de Empresa – São Paulo.
                   Um grupo terrorista integrado por:  Devanir José de Carvalho, Antonio André Camargo Guerra, Plínio Petersen Pereira, Waldemar Abreu e José Rodrigues Ângelo integrantes do Movimento Revolucionário Tiradentes (MRT) e Eduardo Leite (Bacuri) da Resistência Democrática (REDE) ROUBARAM a Companhia de Cigarros Souza Cruz, no Cambuci/SP. 

                  Na ocasião Bacuri assassinou o guarda de segurança João Batista de Souza.

10 de maio: ALBERTO MENDES JÚNIOR – PRIMEIRO TENENTE DA PM – SÃO PAULO. 
                 Esta é uma das maiores expressões da covardia e da violência de que era capaz o terrorista Carlos Lamarca

                 No dia 08/05/70, sete terroristas chefiados por Carlos Lamarca, estavam numa  pick-up e pararam num posto de gasolina em Eldorado Paulista. 

                 Foram abordados por policiais e reagiram à bala, conseguindo fugir. 

                 Ciente do ocorrido, o Tenente Mendes organizou uma patrulha. 

                  Em duas viaturas, dirigiu-se de Sete Barras para Eldorado Paulista. 

                  Por volta das 21h, houve o encontro com os terroristas, que estavam armados com fuzis FAL, enquanto os PMs portavam o velho fuzil Mauser modelo 1908. 

                  Em nítida desvantagem bélica, vários PMs foram feridos, e o Tenente Mendes verificou que diversos de seus comandados estavam necessitando de urgentes socorros médicos. Julgando-se cercado, Mendes aceitou render-se desde que seus homens pudessem receber o socorro necessário. Tendo os demais  componentes da patrulha permanecido como reféns, o Tenente levou os feridos para Sete Barras.

                De madrugada, a pé e sozinho, Mendes buscou contato com os terroristas, preocupado que estava com o restante de seus homens. 
                 Encontrou Lamarca, que decidiu seguir com seus companheiros e com os prisioneiros para Sete Barras. 
                 Ao se aproximarem dessa localidade, foram surpreendidos por um tiroteio, ocasião em que dois terroristas – Edmauro Gopfert e José Araújo Nóbrega – desgarraram-se do grupo, e os cinco terroristas restantes embrenharam-se no mato, levando junto o Tenente Mendes. 
                 Depois de caminharem um dia e meio na mata, os terroristas e o tenente pararam para descansar. 
                 Carlos Lamarca, Yoshitame Fujimore e Diógenes Sobrosa de Souza afastaram-se e em ato continuo decidiram  assassinar o Tenente Mendes. Os outros  dois, Ariston Oliveira Lucena e Gilberto Faria Lima, ficaram vigiando o prisioneiro.
                Poucos minutos depois, os três terroristas retornaram. 
                 Yoshitame Fujimore desfechou-lhe violentos golpes na cabeça, com a coronha de um fuzil
                Caído e com a base do crânio partida, o Tenente Mendes gemia e se contorcia em dores. 
                  Diógenes Sobrosa de Souza desferiu-lhe outros golpes na cabeça, esfacelando-a. 
                 Ali mesmo, numa pequena vala e com seus coturnos ao lado da cabeça ensangüentada, o Tenente Mendes foi enterrado.
11 de junho: IRLANDO DE MOURA RÉGIS – Agente da Polícia Federal – Rio de Janeiro. 
                    Foi assassinado durante o seqüestro do embaixador da Alemanha, Ehrendfried Anton Theodor Ludwig Von Holleben. 

                    A operação foi executada pelo Comando  de Juarez Guimarães de Brito. 
                   Participaram do seqüestro:  Jesus Paredes Soto, José Maurício Gradel, Sônia Eliane Lafóz, José Milton Barbosa, Eduardo Coleen Leite (Bacuri)  que matou Irlando, Herbert Eustáquio de Carvalho, José Roberto Gonçalves de Rezende, Alex Polari de Alverga e Roberto Chagas da Silva.


15 de julho: ISIDORO ZAMBOLDI – Guarda de Segurança – São Paulo. 
                  Morto pela terrorista Ana Bursztyn durante assalto à loja Mappin.

19 de agosto: VAGNER LÚCIO VITORINO DA SILVA – Guarda de Segurança – Rio de Janeiro. 
                Morto durante ROUBO praticado pelo Grupo Tático Armado da organização terrorista MR-8 ao Banco Nacional de Minas Gerais, no bairro de Ramos na cidade do Rio de Janeiro.

                Sônia Maria Ferreira Lima foi quem fez os disparos que mataram VAGNER LÚCIO VITORINO DA SILVA

                Participaram, também, dessa ação os terroristas Reinaldo Guarany Simões, Viriato Xavier de Melo Filho e Benjamim de Oliveira Torres Neto.

29 de agosto: JOSÉ ARMANDO RODRIGUES – Comerciante – Ceará. 
               Proprietário da firma Ibiapaba Comércio Ltda. 

               Após ter sido ROUBADO em sua loja, foi seqüestrado, barbaramente torturado morto a tiros por terroristas da ALN. 

              Depois do cruel assassinato de JOSÉ ARMANDO RODRIGUES o seu carro foi lançado num precipício na serra de Ibiapaba, em São Benedito, CE. 

              Autores: Ex-seminaristas Antônio Espiridião Neto e Waldemar Rodrigues Menezes (autor dos disparos), José Sales de Oliveira, Carlos de Montenegro Medeiros, Gilberto Telmo Sidney Marques, Timochenko Soares de Sales e Francisco William.

14 de setembro: BERTOLINO FERREIRA DA SILVA – Guarda de Segurança – São Paulo.  
             Morto durante assalto praticado pelas organizações terroristas ALN e MRT, durante ROUBO ao carro pagador da empresa Brinks, no Bairro do Paraíso em São Paulo.

21 de setembro: CÉLIO TONELLY – Soldado PM – São Paulo. 
          Morto em Santo André. Quando de serviço em uma rádio-patrulha, tentou deter terroristas que ocupavam um automóvel.

27 de outubro: WALTER XAVIER DE LIMA – Sargento da Aeronáutica – Bahia. 
        Morto quando, ao volante de uma viatura, conduzia terroristas presos, em Salvador. 

       O assassino Theodomiro Romeiro dos Santos (Marcos) o atingiu com um tiro na nuca. 

       Organização: PCBR (Partido Comunista Brasileiro Revolucionário).

10 de novembro: JOSÉ MARQUES DO NASCIMENTO – CIVIL; GARIBALDO DE QUEIROZ – Soldado PM e JOSÉ ALEIXO NUNES – Soldado PM – São Paulo. 
        Mortos em confronto com terroristas da VPR (Vanguarda Popular Revolucionária) que faziam uma panfletagem armada na Vila Prudente, São Paulo.

10 de dezembro: HÉLIO DE CARVALHO ARAÚJO – Agente da Polícia Federal – Rio de Janeiro.
        No dia 07/12, o embaixador da Suíça no Brasil, Giovanni Enrico Bucher, foi seqüestrado pela VPR. 

        Participaram da operação os terroristas: Adair Gonçalves Reis, Gerson Theodoro de Oliveira, Maurício Guilherme da Silveira, Alex Polari de Alverga, Inês Etienne Romeu, Alfredo Sirkis, Herbert Eustáquio de Carvalho e Carlos Lamarca. 

        Após interceptar o carro que conduzia o Embaixador, Carlos Lamarca bateu com um revólver Smith-Wesson, cano longo, calibre 38, no vidro do carro. 

        Abriu a porta traseira e, a uma distância de dois metros, atirouduas vezes contra o agente Hélio

        Os terroristas levaram o embaixador e deixaram o agente agonizando

       Transferido para o hospital Miguel Couto, morreu no dia 10/12/70.


ANO DE 1971:

07 de janeiro: MARCELO COSTA TAVARES  - ESTUDANTE  DE APENAS 14 ANOS DE IDADE – MINAS GERAIS.
          MORTO  por terroristas durante um ROUBO ao Banco Nacional de Minas Gerais.

          Participaram da ação: Newton Moraes, Aldo Sá Brito, Marcos Nonato da Fonseca e Eduardo Antonio da Fonseca.

12 de fevereiro: AMÉRICO CASSIOLATO – SOLDADO PM – SÃO PAULO. 
         Morto, friamente, por assassinos em Pirapora do Bom Jesus, quando tentava impedir  ações criminosas.

20 de fevereiro: FERNANDO PEREIRA – COMERCIÁRIO – RIO DE JANEIRO.
        Morto por terroristas quando tentava impedir um ROUBO ao estabelecimento “Casa do Arroz”, do qual era gerente.

08/03/71 – Djalma Peluci Batista – Soldado PM – Rio de JaneiroMorto por terroristas, durante assalto ao Banco do Estado do Rio de Janeiro.

24 de março: MATEUS LEVINO DOS SANTOS – TENENTE DA FAB – PERNANMBUC
         O PCBR planejou  roubar um carro para participar do seqüestro do cônsul norte-americano, em Recife.  No dia 26/06/70, o grupo decidiu roubar um Fusca,estacionado em Jaboatão dos Guararapes, na Grande Recife, nas proximidades do Hospital da Aeronáutica. 

          Ao tentarem render o motorista, descobriram tratar-se de um tenente da AeronáuticaCarlos Alberto disparou dois tiros contra o militar: um na cabeça e outro no pescoço

          Depois de nove meses de intenso sofrimento, morreu no dia 24 de março de 1971, deixando viúva e duas filhas menores. O imprevisto levou o PCBR a desistir do seqüestro.

04 de abril: JOSÉ JÚLIIO TOJA MARTINEZ – MAJOR DO EXÉRCITO – RIO DE JANEIRO. 
           No início de abril, a Brigada Pára-Quedista recebeu uma denúncia de que um casal de terroristas ocupara uma casa localizada na Rua Niquelândia, 23, em Campo Grande/RJ. 

           Não desejando passar esse informe à 2ª Seção do então I Exército, sem aprofundá-lo, a 2ª Seção da Brigada, chefiada pelo Major Martinez, montou um esquema de vigilância da casa. 

           Por volta das 23:00 horas, chega um casal de táxi. A mulher ostentava uma volumosa barriga, sugerindo gravidez.

          Julgando que o casal nada tinha a ver com a subversãoMartinez iniciou a travessia da rua, a fim de solicitar-lhe que se afastasse daquela área
          Ato contínuo,  da barriga, formada por uma cesta para pão, com uma abertura para saque da arma ali escondidaa “grávida” retirou um revólver, matando-o antes que pudesse esboçar qualquer reação. O capitão Parreira, de sua equipe, ao sair em sua defesa, foi gravemente ferido por um tiro desferido pelo terrorista.
         Os assassinos eram os militantes do MR-8 Mário de Souza Prata e Marilena Villas-Bôas Pinto, responsáveis por uma extensa lista de atos terroristas.  
         No “aparelho” do casal, foram encontrados explosivos, munição e armas, além de dezenas de levantamentos de bancos, de supermercados, de diplomatas estrangeiros e de generais do Exército. 
         Martinez deixou viúva e quatro filhos, três meninas e um menino, a mais velha, à época, com 11 anos.
07 de abril: MARIA ALICE MATOS – EMPREGADA DOMÉSTICA – RIO DE JANEIRO.
        Morta por terroristas quando do ROUBO a um depósito de material de construção.

15 de abril:  HENNING ALBERT BOILESEN – INDUSTRIAL – SÃO PAULO. 
       Por decisão de Lamarca, Boilesen, um dinamarquês naturalizado brasileiro, foi assassinado. Participaram da ação os terroristas Yuri Xavier Pereira, Joaquim Alencar Seixas, José Milton Barbosa, Dimas Antonio Casimiro e Antonio Sérgio de Matos.  No relatório escrito por Yuri, e apreendido pela polícia, aparecem às frases “durante a fuga trocávamos olhares de contentamento e satisfaçãoMais uma vitória da Revolução Brasileira”. Vários carros e casas foram atingidos por projéteis
       Duas mulheres foram feridas
       Sobre o corpo de Boilesenatingido por 19 tiros, panfletos da ALN e do MRT, dirigidos “Ao Povo Brasileiro”, traziam a ameaça: “Como ele, existem muitos outros e sabemos quem são. Todos terão o mesmo fim, não importa quanto tempo demore; o que importa é que eles sentirão o peso da JUSTIÇA REVOLUCIONÁRIA. Olho por olho, dente por dente”.
10 de maio: MANOEL DA SILVA NETO – SOLDADO PM – SÃO PAULO.
       Morto por terroristas durante ROUBO à Empresa de Transporte Tusa.

14 de maio: ADILSON SAMPAIO – ARTESÃO – RIO DE JANEIRO.
       Morto por terroristas durante ROUBO às lojas Gaio Marti.

09 de junho: ANTÔNIO LISBOA CERES DE OLIVEIRA – CIVIL – RIO DE JANEIRO. 
       Morto por terroristas durante ROUBO à boate Comodoro.

01 de julho: JAIME PEREIRA DA SILVA – CIVIL – RIO DE JANEIRO.
      Morto por terroristas na varanda de sua casa durante tiroteio entre terroristas e policiais.

02 de setembro: GENTIL PROCÓPIO DE MELO – MOTORISTA – PERNAMBUCO.
      A organização terrorista denominada Partido Comunista Revolucionário determinou que um carro fosse roubado para realizar um ROUBO

     Cumprindo a ordem recebida, o terrorista José Mariano de Barros tomou um táxi em Madalena, Recife. 

     Ao chegar ao Hospital das Clínicas, quando fingia que ia pagar a corrida, apareceram seus comparsas, Manoel Lisboa de Moura e José Emilson Ribeiro da Silva, que se aproximaram do veículo. 

     Emilson matou Procópio com dois tiros.

02 de setembro: JAYME CARDENIO DOLCE – GUARDA DE SEGURANÇA – RIO DE JANEIRO; SILVÂNO AMÂNCIO DOS SANTOS – GUARDA DE SEGURANÇA – RIO DE JANEIRO e DEMERVAL FERREIRA DOS SANTOS – GUARDA DE SEGURANÇA – RIO DE JANEIRO. 
     MORTOS pelos terroristas: Flávio Augusto Neves Leão Salles, Hélio Pereira Fortes, Antônio Carlos Nogueira Cabral, Aurora Maria do Nascimento Furtado, Sônia Hipólito e Isis Dias de Oliveira, durante ROUBO à Casa de Saúde Dr. Eiras.

     Outubro: ALBERTO DA SILVA MACHADO  - CIVIL – RIO DE JANEIRO. 
    Morto por terroristas durante ROUBO à Fábrica de Móveis Vogal Ltda, da qual era um dos proprietários.

22 de outubro: JOSÉ DO AMARAL – SUB – OFICIAL DA RESERVA DA MARINHA – RIO DE JANEIRO. 
    Morto por terroristas  da  VAR-PALMARES e do MR-8 durante ROUBO a um carro transportador de valores da Transfort S/A. 

    Foram feridos o motorista Sérgio da Silva Taranto e os guardas Emílio Pereira e Adilson Caetano da Silva.

    Autores: James Allen Luz (Ciro), Carlos Alberto Salles (soldado), Paulo Cesar Botelho Massa, João Carlos da Costa.
01 de novembro: NELSON MARTINEZ PONCE – CABO PM  - SÃO PAULO.
     Metralhado por Aylton Adalberto Mortati durante um atentado praticado por cinco terroristas do MOLIPO (Movimento de Libertação Popular) contra um ônibus da Empresa de Transportes Urbano S/A, em Vila Brasilândia, São Paulo.

10 de novembro: JOÃO CAMPOS – CABO PM – SÃO PAULO. 
     Morto na estrada de Pindamonhangaba, ao interceptar um carro que conduzia terroristas armados.

22 de novembro: JOSÉ AMARAL VILELA – GUARDA DE SEGURANÇA – RIO DE JANEIRO. 
    Neste dia os terroristas:  Sérgio Landulfo Furtado, Norma Sá Ferreira, Nelson Rodrigues Filho, Paulo Roberto Jabour, Thimothy William Watkin Ross e Paulo Costa Ribeiro Bastos ROUBARAM um carro-forte da firma Transfort, na Estrada do Portela, em Madureira.

27 de novembro: EDUARDO TIMÓTEO FILHO – SOLDADO PM – RIO DE JANEIRO. 
     Morto por terroristas, durante ROUBO contra as Lojas Caio  Marti.

13 de dezembro: HÉLIO FERREIRA DE MOURA – GUARDA DE SEGURANÇA – RIO DE JANEIRO. 
    Morto, por terroristas, durante ROUBO contra um carro transportador de valores da Brink’s,  na Via Dutra.

ANO DE 1972:
18 de janeiro: TOMAZ PAULINO DE ALMEIDA – SARGENTO PM – SÃO PAULO. 
    Morto, a tiros de metralhadora, no bairro Cambuci, quando um grupo terrorista ROUBAVA o seu carro.

    Autores do assassinato: João Carlos Cavalcante Reis, Lauriberto José Reyes e Márcio Beck Machado, todos integrantes do Movimento de Libertação Nacional (Molipo).

   Obs.: JOÃO CARLOS CAVALCANTE REIS,  LAURIBERTO JOSÉ REYES e MÁRCIO BECK MACHADO MATAM UM CIDADÃO POR ESTAREM ROUBANDO O SEU VEÍCULO e, quiçá,  em face do cometimento deste DELITO (LATROCÍNIO)  as suas As famílias foram indenizadas pela Lei nº 9.140/95.
             E a FAMÍLIA do cidadão que foi assassinado quando teve o seu automóvel ROUBADO por estes TERRORISTAS, não recebeu qualquer indenização. 
20 de janeiro: SYLAS BISPO FECHE – CABO PM – SÃO PAULO. 
            A equipe do Cabo Sylas Bispo Feche  executava uma ronda, quando um carro volkswagen, ocupado por duas pessoas, cruzou um sinal fechado,  quaseatropelando uma senhora que atravessava a rua com uma criança no colo. 

            A sua equipe saiu em perseguição ao carro suspeito, que foi interceptado. 

            Ao tentar aproximar-se para pedir os documentos dos dois ocupantes do veículo, o cabo Feche foi, covardemente, metralhado por eles.

           Os assassinos do Cabo Feche, ambos membros da Ação Libertadora Nacional (ALN), mortos no tiroteio que se seguiu, foram Gelson Reicher “Marcos” que usava identidade falsa com o nome de Emiliano Sessa, chefe de um Grupo Tático Armado (GTA) e já tinha praticado mais de vinte atos terroristas, inclusive o seqüestro de um médico; e Alex Paula Xavier Pereira “Miguel”, que usava identidade falsa com o nome de João Maria de Freitas, com curso de guerrilha em Cuba e autor de mais de quarenta atos terroristas, inclusive atentados a bomba na cidade do Rio de Janeiro.

          As famílias dos assassinos Gelson Reicher e Alex Paula Xavier Pereira foram indenizadas pela Lei nº 9.140/95. 


25 de janeiro: EIZO ITO – ESTUDANTE – SÃO PAULO. 
           Aluno do Centro de Formação de Pilotos Militares, morto por terroristas quando roubavam seu carro.

01 de fevereiro: IRIS DO AMARAL – CIVIL – RIO DE JANEIRO. 
        Morto durante um tiroteio entre terroristas da ALN e policiais. 

       Ficaram feridos nesta ação os civis Marinho Floriano Sanches, Romeu Silva e Altamiro Sinzo

       Autores: Flávio Augusto Neves Leão Salles (”Rogério”, “Bibico”) e Antônio Carlos Cabral Nogueira (”Chico”, “Alfredo”.)

05 de fevereiro: DAVID A. CUTHBERG – MARINHEIRO INGLÊS – RIO DE JANEIRO.
         A respeito desse assassinato, sob o título “REPULSA”, o jornal “O Globo” publicou:

        “Tinha dezenove anos o marinheiro inglês David  A. Cuthberg que, na madrugada de sábado, tomou um táxi com um companheiro para conhecer o Rio, nos seus aspectos mais alegres. 
        Ele aqui chegara como amigo, a bordo da flotilha que nos visita para comemorar os 150 anos de Independência do Brasil. 
        Uma rajada de metralhadora tirou-lhe a vida, no táxi que se encontrava. 
        Não teve tempo para perceber o que ocorria e, se percebesse, com certeza não poderia compreender.
       Um terrorista, de dentro de outro carro, apontara friamente a metralhadora antes de desenhar nas suas costas o fatal risco de balas, para, logo em seguida,completar a infâmia, despejando sobre o corpo, ainda palpitante, panfletos em que se mencionava a palavra liberdade. 
     Com esse crime repulsivo, o terror quis apenas alcançar repercussão fora de nossas fronteiras para suas atividades, procurando dar-lhe significação de atentado político contra jovem inocente, em troca da publicação da notícia num jornal inglês.
    A ação criminosa foi praticada pelos seguintes terroristas, integrantes de uma frente formada por três organizações comunistas:
 ALN – Flávio Augusto Neves Leão Salles (”Rogério”, “Bibico”), que fez os disparos com a metralhadora, Antônio Carlos Nogueira Cabral (”Chico”, “Alfredo”), Aurora Maria Nascimento Furtado (”Márcia”, “Rita”), Adair Gonçalves Reis (”Elber”, “Leônidas”, “Sorriso”);
VAR-PALMARES – Lígia Maria Salgado da Nóbrega (”Ana”, “Célia”, “Cecília”), que jogou dentro do táxi os panfletos que falavam em vingança contra os “Imperialistas Ingleses”; Hélio Silva (”Anastácio”, “Nadinho”), Carlos Alberto Salles(”Soldado”);
- PCBR – Getúlio de Oliveira Cabral (”Gogó”, “Soares”, “Gustavo”)
15 de fevereiro: LUZIMAR MACHADO DE OLIVEIRA – SOLDADO PM – GOIÁS. 
       O terrorista Arno Preiss  encontrava-se na cidade de Paraiso do Norte, que estava incluída no esquema de trabalho de campo do MOLIPO.
      
      Usava o nome falso de Patrick McBundy Comick. 
       
      Arno tentou entrar com sua documentação falsa no baile carnavalesco do clube social da cidade. 
       
      Sua documentação levantou suspeita nos policiais, que o convidaram a comparecer à delegacia local. 
     
      Ao deixar o clube, julgando-se desmascarado, Arno sacou seu revólver e disparou à queima roupa contra os policiais, matando o PM Luzimar Machado de Oliveira e ferindo gravemente o outro PM,  que o conduzia, Gentil Ferreira Mano. 

18 de fevereiro: BENEDITO MONTEIRO DA SILVA – CABO PM – SÃO PAULO. 
    Morto quando tentava evitar um ROUBO praticado por terrorista a uma agencia bancária em Santa Cruz do Rio Pardo.

27 de fevereiro: NAPOLEÃO FELIPE BERTOLANE BISCALDI – CIVIL – SÃO PAULO. 
  Morto durante um tiroteio entre os terroristas Lauriberto José Reyes e José Ibsem Verões com policiais, na Rua Serra de Botucatu, no bairro Tatuapé. 

  Nesta ação, um policial foi ferido a tiros de metralhadoras por Lauriberto. 

12 de março: MANOEL DOS SANTOS – GUARDA DE SEGURANÇA – SÃO PAULO – ANÍBAL FIGUEIREDO DE ALBUQUERQUE – CORONEL REFORMADO DO EXÉRCITO  - EMPRESÁRIO – SÃO PAULO.
    Mortos durante ROUBO praticado por terrorista à fábrica de bebidas Charel Ltda.


08 de maio: ODÍLO CRUZ ROSA – CABO DO EXÉRCITO – PARÁ.
    Morto na região do Araguaia quando uma equipe comandada por um tenente e composta ainda, por dois sargentos e pelo Cabo Rosa foram emboscados por terroristas comandados por Oswaldo Araújo Costa, o “Oswaldão”, na região de Grota Seca, no Vale da Gameleira. 

    Neste tiroteio foi morto o Cabo Rosa e feridos o Tenente e um Sargento.

02 de junho: ROSENDO – SARGENTO PM – SÃO PAULO.
   Morto ao interceptar 04 terroristas que ROUBARAM um bar e um carro da Distribuidora de Cigarros Oeste LTDA.

29 de junho: JOÃO PEREIRA – MATEIRO – REGIÃO DO ARAGUAIA – PARÁ. 

    A respeito, deste assassinato,  Ângelo Arroyo declarou em seu relatório: “A morte desse bate-pau causou pânico entre os demais da zona”.

09 de setembro: MÁRIO DOMINGOS PANZARIELO – DETETIVE DA POLÍCIA CÍVIL – RIO DE JANEIRO. 
    Morto ao tentar prender um terrorista da ALN.

23 de setembro: MÁRIO ABRAIM DA SILVA – SEGUNDO SARGENTO DO EXÉRCITO – PARÁ. 

    Pertencia ao 2º Batalhão de Infantaria de Selva, com sede em Belém. 

    Sua Companhia foi deslocada para combater a guerrilha na região do Araguaia. 

   Morto em combate, durante um ataque guerrilheiro no lugarejo de Pavão, base do 2º Batalhão de Selva.

   Obs.: se o militar foi morto em combate, significa que ele morreu em decorrência de estar batendo – se contra, ou seja,  combatendo um inimigo, conforme explicita os mais renomados dicionaristas pátrios.
   
  Do outro lado, havia um grupo de guerrilheiros que o mataram em combate.

  Guerrilha é um tipo de Guerra não convencional no qual o principal estratagema é a ocultação e extrema mobilidade dos combatentes chamados de guerrilheiros e que, via de regra,  agem com extrema violência e crueldade.
   
 Aqueles guerrilheiros que morreram em combate, a exemplo do Sargento do Exército acima nominado, encontravam – se em situação similar ao militar da Força Terrestre.
 Com base no Princípio Isonômico estabelecido por Cláusula Pétrea do nosso Ordenamento Constitucional Guerrilheiro e Militar da Força Convencional merecem o mesmo tratamento, como  aliás, determina a Convenção de Genebra.
 Portanto, um não pode ser qualificado como assassino e nem o outro de vítima.

    Se a família do Guerrilheiro recebe indenização paga pelo Estado, por que não a família do militar não faz jus a este benefício?


    Um estava a serviço, na condição de servidor do Estado, cumprindo o que determinava a Lei, enquanto que o outro estava tão somente por opção pessoal, por voluntariedade e cônscio dos riscos eminentes que correm aqueles que estão em combate nas ações de guerrilha.

   Que estas condicionantes possam ser levadas em consideração e que a JUSTIÇA possa ser restaurada.
27 de setembro: SÍLVIO NUNES ALVES – BANCÁRIO – RIO DE JANEIRO. 
   Morto durante ROUBO ao Banco Novo Mundo, na Penha, pelas organizações terroristas PCBR – ALN – VPR – Var Palmares e MR8. 

    Autor do assassinato: José Selton Ribeiro.

Setembro: OSMAR POSSEIRO – PARÁ.
    Assassinado na região do Araguaia pelos guerrilheiros por ter permitido que uma tropa de pára-quedistas acampasse em suas terras.

1º de outubro: LUIZ HONÓRIO CORREIA – CIVIL – RIO DE JANEIRO.
    Morto por terroristas no ROUBO à empresa de Ônibus Barão de Mauá.

06 de outubro: SEVERINO FERNANDES DA SILVA – CIVIL e JOSÉ INOCÊNCIO BARRETO – CIVIL -  PERNAMBUCO. 
    Mortos  por terroristas durante agitação no meio rural.


ANO DE 1973:

21 de fevereiro: MANOEL HENRIQUE DE OLIVEIRA – COMERCIANTE – SÃO PAULO. 
        O comando “Aurora Maria do Nascimento Furtado”, constituído por Arnaldo Cardoso Rocha, Francisco Emanuel Penteado, Francisco Seiko Okama e Ronaldo Mouth Queiroz foi encarregado da missão e assassinou, no dia 21 de fevereiro, o comerciante Manoel Henrique de Oliveira, que foi metralhado sem que pudesse esboçar um gesto de defesa. Seu corpo foi coberto por panfletos da ALN, impressos no Centro de Orientação Estudantil da USP por  interveniência do militante Paulo Frateschi.
22 de fevereiro: PEDRO AMÉRICO MOTA GARCIA – CIVIL – RIO DE JANEIRO. 
          Por vingança, foi  assassinado, por terroristas por haver impedido um ROUBO contra uma agência da Caixa Econômica Federal.

25 de fevereiro: OCTÁVIO GONÇALVES MOREIRA JÚNIOR – DELEGADO DE POLÍCIA – SÃO PAULO. 

12 de março: PEDRO MINEIRO – CAPATAZ DA FAZENDA CAPINGO.
      Assassinado  por Guerrilheiros na Guerrilha do Araguaia.

24 de julho: FRANCISCO VALDIR DE PAULA – SOLDADO DO EXÉRCITO – REGIÃO DO ARAGUAIA – PARÁ.
     Morto por Guerrilheiros no município de Xambioá. 


ANO DE1974:

10 de abril: GERALDO JOSÉ NOGUEIRA – SOLDADO PM – SÃO PAULO.
     Morto numa operação de captura de terroristas.

                          TOTAL DE VÍTIMAS TORTURADAS E ASSASSINADAS POR TERRORISTAS:  116 (CENTO E DEZESSEIS PESSOAS), AS QUAIS, TIVERAM SEUS DIREITOS HUMANOS VIOLADOS.

           Esperamos que esta COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS E MINORIAS DA CÂMARA, não se deixem levar por SEMÂNTICAS daqueles que estão acastelados no Governo e que foram companheiros dos TERRORISTAS aqui nominados, tais como:  “agimos para expropriar”, foi condenado por “tribunal do povo”.
            Estas alegações não procedem e nem justificam a prática de crimes.
            
            Atentem para os conceitos, a seguir explanados:  

           “EXPROPRIAÇÃO” :  é a modalidade de desapropriação FORÇADA POR LEI. 

            Não havia qualquer LEI que autorizava os TERRORISTAS a realizarem os ATOS CRIMINOSOS que praticaram contra o Patrimônio.
           Portanto, não há como se justificar utilizando – se do termo “Expropriação”, porquanto, legalmente, este conceito não se aplica nos fatos aqui relatados.
          
          O que ocorreu foi ROUBO, conforme está explicito por artigo do Código Penal Brasileiro, senão vejamos:


          ROUBO: É a subtração de coisa alheia móvel para si ou para outrem, porém com a existência de grave ameaça ou com EMPREGO DE VIOLÊNCIA contra a pessoa. 

           Heleno Cláudio Fragoso explicitou que “Roubo é quando o arrebatamento é PÚBLICO e VIOLENTO”. 

         Portanto, ante ao prescrito pela Lei acima exposta, fica crível que os TERRORISTAS cometeram o CRIME DE ROUBO e quando ocorreu MORTE se deu o LATROCÍNIO.
         
         Ante ao exposto, espera e confia que esta Comissão tomará as providências que o caso requer.

        Nós, Brasileiros compromissados com a VERDADE e não com a “VERDADE” criado para atender interesses político partidários, assim como, com um BRASIL SOBERANO, DEMOCRÁTICO, JUSTO E LIVRE,  esperamos que esta Comissão cumpra com o seu dever constitucional e regimental.

       Aproveitamos para externar os nossos protestos de estima e apreço, augurando aos membros dessa Comissão êxito neste empreendimento

Atenciosamente,


JOÃO  ANTÔNIO  CARREIRA
PRESIDENTE DA AMIR/JF