"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

A MEDICINA NA ESCURIDÃO !

Antonio Cardoso Farinha Neto Escuridão essa noite na Maternidade Dona Evangelina Rosa, referência em Ginecologia e Obstetrícia no norte e nordeste do Brasil.https://www.facebook.com/revalida.diploma.sim



NEURÔNIO DE JALECO



“É um médico que toca a pessoa, é um médico que escuta o que ela quer falar, e é um médico que, muitas vezes, vai até à casa da pessoa ─ como já nos relataram ─ olhar, por exemplo, no caso de uma criança asmática, olhar se naquela casa tinha, de fato, as condições necessárias para uma criança asmática, e dar orientação: ‘Olha, tem que tirar isso, aquilo e aquilo outro porque isso provoca asma, porque provoca alergia’”.


Dilma Rousseff, na delirante entrevista em Havana, afirmando que os médicos brasileiros deveriam ter aulas de asma com os jalecos cubanos.

Comentário meu: Vejam só como os médicos brasileiros são "deficientes" e tem mesmo muito que aprender: Tratar asma nós não sabemos; tratar o câncer da Dilma e do seu amigo alcoólatra no melhor hospital do país; sim! 

fonte original - http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/sanatorio-geral/neuronio-de-jaleco-2/



quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

PT NA INTERNET

30/01/2014
 às 12:27 \ Opinião

Reynaldo-BH: Os ‘soldados da web’ do PT foram mobilizados para a invasão dos blogs de quem tem mais de um neurônio

REYNALDO ROCHA
Há um movimento nas redes sociais comandado pela tropa de “soldados da WEB” do PT que saiu em defesa de Dilma e do lulopetismo neste ano de eleições. E que invade blogs independentes para ofender e provocar comentaristas não alinhados com o pensamento único.
Nada disso é novo. Há anos sei o que é isso e como funciona. Assim como o titular deste blog.
Reinaldo Azevedo publicou nesta terça-feira um post em que explicita este comportamento e o acusa de tentar impedir a interação entre quem tem ideias (nós) e quem segue cartilhas e ordens (eles). É verdade.
O aviso, certamente, será útil para muitos. Não pensem que estamos, comentaristas, imunes às agressões ou mesmo ameaças.
Não estamos, nem estivemos nestes anos negros. É uma prática comum aos milicianos de plantão, que usam a rede para tentar pasteurizar a corrupção e implantar um regime protoditatorial.
Só discordo da opção de Reinaldo Azevedo, a quem respeito sempre! Não preciso que me “protejam” de ataques e ameaças. Deixem-me escolher o que farei ou como agirei, dentro das regras de cada espaço.
Mas é importante que todos saibamos de mais esse desvio de caráter da canalha petista, que paga por opiniões amestradas e defesas do indefensável.
Não é lenda urbana nem desconfiança exagerada. A coisa tem nome, identidade e regras, como se vê nos sites do tal movimento do PT para tomar de assalto a internet.
Nada contra usar a WEB. Tudo contra falsificar a opinião e o número de aderentes (modess) a partir de uma trupe paga e dependente de neurônios.
É a censura às avessas. Se não se pode (ainda, nos sonhos deles) censurar, que ao menos se emporcalhe o espaço de debates.
Alguns colunistas ─ a exemplo de RA ─ não permitem a entrada dos ratos nos ambientes. Outros oferecem o espaço em troca de surras de rabo de tatu e abraços de jegue, o que só excita os pretensos invasores em busca de masoquismo. E outros tentam uma convivência com alguém que tenha um mínimo de respeito pelo espaço democrático que disponibilizam.
2014 é guerra. E não será por uma tropa de descerebrados que vamos abandonar nossa frente de luta. Nem deixar de ridicularizar os filhotes de Dilma.
Sei que quase nada se aproveita depois de eliminados os palavrões. Quando assim acontecer ─ se houver algo a responder ─ estaremos por aqui.
Sempre. Eles são pagos. Nós somos LIVRES.

LOBÃO ENTREVISTA: LOBÃO ENTREVISTA MEGA ESPECIAL: com Olavo de Carva...

LOBÃO ENTREVISTA: LOBÃO ENTREVISTA MEGA ESPECIAL: com Olavo de Carva...:   Texto de Rodrigo Constantino sobre o hangout: “ É isso mesmo. Nessa quinta, 30/01/2014, às 21h, Hangout com Lobão, Olavo de Carvalho e es...

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

CUIDADO COM MENSAGENS DE E-MAIL !


CHAMEM OS MOTORISTAS CUBANOS PARA PORTO ALEGRE.


Milton Pires

Hoje, dia 29 de janeiro de 2014, a cidade de Porto Alegre amanheceu sem absolutamente nenhum ônibus circulando. Trata-se da mais abrangente greve dos rodoviários de que me recordo aqui na cidade. O impasse provocado pelo ex-petista José Fortunati, agora prefeito, existe pelo fato de que os proprietários das empresas de ônibus querem “atrelar” o aumento dos salários dos trabalhadores ao aumento das tarifas. Astuto, o prefeito sabe da consequência de um aumento para ordem pública aqui em Porto Alegre. Subindo o preço da passagem, a reação dos integrantes do Movimento Passe Livre (MPL) vai ser radical: novos ataques às lojas, bancos, e demais estabelecimentos comerciais...ônibus incendiados, e por aí vai: tudo aquilo que já conhecemos em 2013.
Curioso em tudo isso é o tratamento que a grande imprensa está dando ao tema. Ao contrário da polêmica envolvendo a vinda dos médicos cubanos, quando toda ela ficou contra a classe médica brasileira, agora leio, assisto e escuto gente (de grandes meios de comunicação) que dá razão aos motoristas! Por que, hein? O que diferencia uma questão da outra?
Lendo o que escrevo aqui, tem gente que vai perguntar: Milton, o que “tem a ver” uma coisa com a outra? Motoristas não são médicos, ganham muitíssimo menos! O lucro dos empresários é enorme. Médicos encontram emprego em qualquer lugar; motoristas não!
Ora, não me interessa a diferença que existe entre médicos e motoristas! O importante é que o Poder Público apresenta (e ingressa na justiça contra) os dois serviços – os de saúde e de transporte – como “essenciais à população”. Se são essenciais, se há tanto tempo existe greve de rodoviários no Brasil, por que o tratamento que a imprensa dá aos dois temas é tão diferente?
Em abril de 2003 eu passei por uma das experiências mais vergonhosas de toda minha vida profissional. Decretada uma greve dos médicos municipários de Porto Alegre, a Prefeitura ingressou na justiça e o movimento foi considerado ilegal. Ameaçado com uma enorme multa, no dia 12 de abril de 2003 (ou foi no dia 16? Não me lembro mais..), perante um auditório da Associação Médica do Rio Grande do Sul lotado, o presidente do SIMERS, Paulo de Argollo Mendes, decretou o fim da greve. A partir daquela data, jurei para mim mesmo que nunca mais em toda minha vida eu participaria pessoalmente de qualquer movimento grevista na minha profissão.
Hoje, 29 de janeiro, motoristas de ônibus e cobradores estão mostrando uma coragem milhares de vezes maior do que a dos médicos. Trabalham em verdadeiras carroças...saunas ambulantes aqui da nossa cidade, sem segurança alguma, levando gente como gado para o abate e mantendo intacta uma máfia que controla todo transporte público de um país que deveria ser baseado fundamentalmente em trens e navios. Não tenho dúvida alguma de que os rodoviários tem mais dignidade e coragem do que os médicos brasileiros. Não tenha dúvida de que o prejuízo para população vai ser enorme, mas afirmo com todas as letras que ninguém merece tanto um prejuízo político como esse quanto o prefeito de Porto Alegre. Junto com o nosso secretário municipal da saúde, outro defensor ferrenho do Programa Mais Médicos, ele agora está numa encruzilhada da qual quero ver como vai sair. Enquanto não encontra o caminho, deixo aqui a minha sugestão: Chamem motoristas cubanos para Porto Alegre!

Porto Alegre, 29 de janeiro de 2014.

"O PREÇO DE UMA ASSOMBRAÇÃO"

Quanto um Demônio desses cobra para assombrar uma casa de 4 peças com garagem, dependência de empregada e uma piscina com aquela coisa de limpar a água que fica se arrastando sozinha de noite??

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

NOTÍCIA POLÍTICA MAIS IMPORTANTE DO ANO, ATÉ AGORA

Polícia Federal confirma abertura de inquérito contra sonegação da Globo!

Enviado por  on 27/01/2014 – 2:59 pm36 comentários
Agora já temos um número e um delegado responsável. É o inquérito 926 / 2013, e será conduzido pelo delegado federal Rubens Lyra.
O chefe da Delegacia Fazendária da Polícia Federal do Rio de Janeiro, Fabio Ricardo Ciavolih Mota, confirmou à comitiva do Barão de Itararé-RJ que o visitou hoje: o inquérito policial contra os crimes fiscais e financeiros da TV Globo, ocorridos em 2002, foi efetivamente instaurado.
Os crimes financeiros da TV Globo nas Ilhas Virges Britânicas foram identificados inicialmente por uma agência de cooperação internacional. A TV Globo usou uma empresa laranja para adquirir, sem pagar impostos, os direitos de transmissão da Copa do Mundo de 2002.
A agência enviou sua descoberta ao Ministério Público do Brasil, que por sua vez encaminhou o caso à Receita Federal. Os auditores fiscais fizeram uma apuração rigorosa e detectaram graves crimes contra o fisco, aplicando cobrança de multas e juros que, somados à dívida fiscal, totalizavam R$ 615 milhões em 2006. Hoje esse valor já ultrapassa R$ 1 bilhão.
Em seguida, houve um agravante. Os documentos do processo foram roubados. Achou-se uma culpada, uma servidora da Receita, que foi presa, mas, defendida por um dos escritórios de advocacia mais caros do país, foi solta, após conseguir um habeas corpus de Gilmar Mendes.
Em países desenvolvidos, um caso desses estaria sendo investigado por toda a grande imprensa. Aqui no Brasil, a imprensa se cala. Há um silêncio bizarro sobre tudo que diz respeito à Globo, como se fosse um tema tabu nos grandes meios de comunicação.
Um ministro comprar uma tapioca com cartão corporativo é manchete de jornal. Um caso cabeludo de sonegação de impostos, envolvendo mais de R$ 1 bilhão, seguido do roubo do processo, é abafado por uma mídia que parece ter perdido o bonde da história.
Nas “jornadas de junho”, um grito ecoou por todo o país. Foi talvez a frase mais cantada pelos jovens que marchavam nas ruas: “A verdade é dura, a Rede Globo apoiou a ditadura”.
A frase tem um sentido histórico. É como se a sociedade tivesse dito: a democracia voltou; agora elegemos nossos presidentes, governadores e prefeitos por voto direto; chegou a hora de acertar as contas com quem nos traiu, com quem traiu a nossa democracia, e ajudou a criar os obstáculos que impediram a juventude brasileira de ter vivido as alegrias e liberdades dos anos 60 e 70.
O Brasil ainda deve isso a si mesmo. Este ano, faz cinquenta anos que ocorreu um golpe de Estado, que instaurou um longo pesadelo totalitário no país. A nossa mídia, contudo, que hoje se traveste de paladina dos valores democráticos, esquece que foi justamente ela a principal assassina dos valores democráticos. E através de uma campanha sórdida e mentirosa, que enganou milhões de brasileiros, descreveu o golpe de 64 como um movimento democrático, como uma volta à democracia!
A ditadura enriqueceu a Globo, transformou os Marinho na família mais rica do país. E mesmo assim, eles patrocinam esquemas mafiosos de sonegação de imposto?
O caso da sonegação da Globo é emblemático, e deve ser usado como exemplo didático. Se o Brasil quiser combater a corrupção, terá que combater também a sonegação de impostos. Se estamos numa democracia, a família mais rica no país não pode ser tratada diferentemente de nenhuma outra. Se um brasileiro comum cometer uma fraude fiscal milionária e for pego pela Receita, será preso sem piedade, e seu caso será exposto publicamente.
Por que a Globo é diferente? A sonegação da Globo deve ser exposta publicamente, porque é uma empresa que sempre viveu de recursos públicos, é uma concessão pública, e se tornou um império midiático e financeiro após apoiar um golpe político que derrubou um governo eleito – uma ação pública, portanto.
Esperamos que a Polícia Federal cumpra sua função democrática de zelar pelo interesse público nacional. E esperamos também que as Comissões da Verdade passem a investigar com mais profundidade a participação das empresas de mídia nas atrocidades políticas que o Brasil testemunhou durante e depois do golpe de 64. Até porque sabemos que a Globo continuou a praticar golpes midiáticos mesmo após a redemocratização, recusando-se a dar visilidade (e mentindo e distorcendo) às passeatas em prol de eleições diretas, manipulando debates presidenciais e, mais recentemente, tentando chancelar a farsa de um candidato (o episódio da bolinha de papel).
O Brasil se cansou de ser enganado e, mais ainda, cansou de dar dinheiro àquele que o engana. Se a Globo cometeu um grave crime contra o fisco, como é possível que continue recebendo bilhões em recursos públicos?
- See more at: http://www.ocafezinho.com/2014/01/27/policia-federal-confirma-abertura-de-inquerito-contra-sonegacao-da-globo/#sthash.kuNNjLZO.dpuf

FINALMENTE O PRIMEIRO MÁRTIR

Esse que está na foto aí abaixo é o "Fabrício"..o rapaz que foi baleado pela PM de SP durante os protestos contra a Copa no sábado. Sobre isso, eu e o Inglourious Doctor, damos os nossos parabéns aos black blocks e aos seus patrões do PT, o partido associado ao narcotráfico que governa o Brasil sob as ordens do Foro de SP. O motivo é o seguinte: se ele, Fabrício, morrer vocês - escória e verdadeira ralé da humanidade - vão ter aquilo que sempre sonharam: seu primeiro cadáver para transformar em mártir. A nós, nenhum de vocês vagabundos engana, seus desgraçados!

sábado, 25 de janeiro de 2014

ENQUANTO ISSO NA NOVELA DAS 8...

Félix, agora que soltaram o Justin Bieber..eu não VEJO motivo para vocês dois não reatarem e não se tornarem membros do Diversidade Médica..Afaste-se desse louco do Milton e dessa gente do Inglourious Doctor! É a última vez que eu lhe aviso !

RÚSSIA, EUA, E BRASIL


O PREÇO DA ESCRAVIDÃO: INTERCAMBISTA C...

perito.med: ESCÂNDALO -O PREÇO DA ESCRAVIDÃO: INTERCAMBISTA C...: Denúncia de colegas de Brasília dão conta do grave estado social em que se encontram intercambistas cubanos nos postos da periferia do GD...

ESCÂNDALO -O PREÇO DA ESCRAVIDÃO: INTERCAMBISTA CUBANA PASSA FOME EM BRASÍLIA APÓS SER OBRIGADA A ABORTAR EM CUBA

Denúncia de colegas de Brasília dão conta do grave estado social em que se encontram intercambistas cubanos nos postos da periferia do GDF.

As cubanas são proibidas de engravidar, para evitarem ter filhosbrasileiros. Já existe o relato de pelo menos 3 cubanas que tiveram que viajar de volta a Cuba para abortarem (procedimento comum por lá).

Uma dessas (identidade proibída) foi "devolvida", como se fosse mercadoria, a uma dos 12 postos de saúde (?) de Ceilândia-DF e aparentemente está sendo punida pelos governos cubano e brasileiro. Por conta disso, ficou sem receber salário por 2 meses, passando fome, sendo alimentada por doações feitas por funcionários do posto, que estão transtornados com o que ela está passando.

Dos 10 mil que Dilma paga a Fidel, ela só recebe 1.800, quer dizer, recebia. Além disso, provando que não é médica de verdade, trata a maioria dos casos com chás e ervas, como se curandeira fosse.Aliás, esse é o apelido dela no posto.

Sem dinheiro para o ônibus, tinha que ir a pé da casa pro trabalho. Abriu bolhas em todos osdedos dos pés.

Então vejamos: Está aqui por vontade do Estado. Tem mais de 80% de sua renda confiscada pelo Estado cubano. Não recebe o salário diretamente do empregador (Estado brasileiro). Nãotem dinheiro trabalhista. Foi obrigada a abortar (!!!) em Cuba, pois aqui seria crime. Ficou 2 meses sem receber salário. Passou fome e abriu bolha em pé porque não tinha passagem de ônibus. Se esse inferno em que a cubana vive em plena capital da república não é escravidão, então não sabemos mais o que seria.

CARNE PARA LEÕES

Milton Pires

Há mais de 20 anos atrás, ainda um estudante de medicina, fui coautor de um artigo intitulado “Aspectos Inconscientes do Ensino Médico”. Trabalho medíocre e sem qualquer repercussão, jamais imaginei que algum dia eu voltasse a pensar sobre ele. Na época eu era um marxista ferrenho. Na bibliografia citava, dentre outros, Herbert Marcuse e o seu “Eros e a Civilização” como fonte inspiradora. Minha ideia era discorrer sobre os sentimentos de culpa e vergonha infligidos ao estudante de medicina durante a sua formação – coisa que continua até hoje, mas que sem dúvida nenhuma passou a ser manobrada politicamente de forma magistral.
Não sei se existe uma faculdade em que possa haver uma competição maior entre os estudantes. Nunca fiz (e era meu sonho fazer Filosofia) outra depois da Medicina. Outro dia, conversando com um amigo, eu me recordava de uma cena marcante, ainda lá nos anos 80, em que testemunhei colegas (futuros médicos) arrancando das paredes do antigo Instituto de Biociência da UFRGS os avisos sobre as vagas e datas de prova para os concursos de “monitoria”...Todo mundo queria ser monitor de alguma cadeira da faculdade: Pontos no currículo, dinheirinho para cerveja, prestígio com a mulherada..enfim: razão não faltava. 1989 era um “esquizofrênico pra mim”. Primeira eleição para presidente da república depois de décadas, Muro de Berlin desmoronando, massacre da Praça da Paz Celestial na China e uma greve dos professores do ensino superior que nos deixou semanas (ou meses? Confesso que não lembro mais..) parados aqui em Porto Alegre. Entre decorar todos os ramos do plexo radial e uma passeata ao lado de Lula eu literalmente “tomava todas” sem conseguir entender como deveria me sentir apoiando no Brasil uma ideia que desmoronava no mundo inteiro. Eu não tinha, ainda, lido Millor Fernandes e a sua “Bíblia do Caos” para saber que “quando uma ideologia fica bem velinha e quer se aposentar; vem morar no Brasil”...mas enfim..isso são lembranças..Não foi para isso que comecei o texto.
Escrevo aqui para todos os estudantes de medicina do Brasil Petista em 2014. Não tenho uma ideia muito exata de como eu deva me dirigir a vocês...Eu sempre detestei aquela coisa de “vocês são o futuro” que jogavam pra cima da gente na faculdade. Ao mesmo tempo, como todo bom paranóico, eu prenuncio as críticas dos futuros psiquiatras ao lerem tudo isso pensando: “coitado..é um frustrado que agora quer tirar a esperança da garotada..rsss” Pois bem, “garotada”, eu sequer sei se os mais lúcidos de vocês tem alguma esperança que possa ser “tirada” por mim...rsss. Quem tira a esperança das pessoas no Brasil é a classe política, e político eu jamais fui nem pretendo ser. Escrevo para vocês como quem cumpre uma obrigação: sem esperar nada em troca. Cabe a mim, depois de quase 20 anos de profissão, ex-petista fanático e “trabalhador da saúde” (como a ralé comunista gosta de chamar os médicos brasileiros) pedir que se afastem de todo e qualquer tipo de “movimento estudantil”. Não percam tempo com UNE, DCE, Centros Acadêmicos ou seja lá o que for. Essa gente é a escória da profissão! Foi desse tipo de coisa que nasceram “marginais do poder” como Alexandre Padilha e tantos outros médicos que hoje fazem da nossa profissão um lixo. Estudem tudo que puderem e tratem seus colegas de forma melhor do que eu tratei. Senão por uma questão de caridade; por uma questão tática. É interessante que vocês briguem...que vocês se ofendam e persigam uns aos outros. O PT é uma organização criminosa que percebe muito bem os conflitos entre nós...Ele explora tudo isso..Treina pessoas para se aproveitarem disso ensinando-lhes a prática da denúncia..dos memorandos e das comunicações internas que qualquer um de vocês, hoje doutorando, conhece melhor do que eu.
Não aceitem que a vida de vocês seja dirigida por essa gente como eu, e milhares de médicos hoje mais velhos do que vocês, permitimos que tivesse acontecido. Estudem tudo que for possível..Façam estágio fora do Brasil ...Pensem inclusive em ir embora do país para sempre e, se decidirem ficar aqui busquem a iniciativa privada...Afastem-se o máximo possível desse sistema público imundo...Desse SUS que espera a formatura de vocês a cada fim de ano... ansioso...dessa máquina de humilhar médicos que vigia vocês...carne fresca da nossa profissão...cheia de fé e esperança ...Carne para os Leões...

Dedicado aos estudantes de Medicina da Universidade Gama Filho..

Porto Alegre, 25 de janeiro de 2014.






Poder de Polícia às Forças Armadas - As FFAA serão chamadas em caso de distúrbio de massa usando a GLO na Copa do Mundo (Grifo meu: Paulo Roberto)

Poder de Polícia às Forças Armadas - As FFAA serão chamadas em caso de distúrbio de massa usando a GLO na Copa do Mundo (Grifo meu: Paulo Roberto):

Para Anistia, documento é 'vago, arbitrário'

Wilson Tosta / RIO - O Estado de S.Paulo

O diretor executivo da Anistia Internacional no Brasil, Átila Roque, considerou "vago, arbitrário e potencialmente danoso à democracia" atribuir às Forças Armadas poder de polícia, tendo como um dos objetivos o controle da população. "Ao considerar movimentos e organizações como forças oponentes, perturbadoras da ordem pública, o documento pode abrir um perigoso caminho para a repressão e a criminalização dos protestos."

Para o Ministério da Defesa, a inclusão de "movimentos e organizações" entre as "forças oponentes" teve o objetivo de não designar especificamente nenhuma entidade, o que, na visão da assessoria jurídica da pasta, elimina o perigo de criminalizar movimentos. "Hoje, as operações de Garantia da Lei e da Ordem estão muito bem definidas fática e legalmente, sendo excepcionais, temporárias e episódicas, definidas onde ocorrerão e por quanto tempo", disse a assessoria de imprensa da Defesa.

O ministério lembrou que a Constituição já define a participação das Forças Armadas em Operações de GLO. Para a Defesa, a existência de um documento estabelecendo procedimentos nessas ações é uma "arma" da população, que poderá verificar se seus direitos estão sendo respeitados.

O professor de Relações Internacionais da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ) Márcio Scalércio, estudioso de questões militares, considera que o documento não representa "nenhum arroubo" dos militares. "A ideia é que, caso as forças policiais, em uma situação de distúrbio de massa, não deem conta, as Forças Armadas sejam chamadas, mas não para uso de força letal", afirmou.

Fonte:  Estadão.com

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

"ESPIRITISMO DO B"


Atenção meus amigos, militantes gayzistas que se dizem "espíritas" vem fazendo afirmações na internet a respeito do homossexualismo usando da palavra do Dr.Bezerra de Menezes. Sobre isso eu AFIRMO o seguinte: Não há, em toda obra de Alan Kardec uma só palavra, uma só referência ao homossexualismo. Se estou errado; desafio qualquer um a me provar o contrário. Essa corja do movimento gay (que é corja por ser petista; não por ser gay) quer agora dominar o Espiritismo Brasileiro e transformá-lo em "Espiritismo do B"...Nada mais resta a fazer do que rezar para esse bando de infelizes.

Milton Pires

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

FILÓSOFOS E PICARETAS

"A diferença entre um filósofo e um picareta é que o primeiro busca a verdade, o segundo; a política. Não há qualquer possibilidade de comparação entre eles. A maior parte daquilo que se ensina hoje dentro das faculdades de filosofia serve apenas para respaldar..para reforçar e confirmar uma verdade - a verdade "política" escolhida por quem deveria formar pensadores livres. Toda filosofia brasileira morreu e só pode renascer com a Morte do PT."

Milton Pires

GAÚCHO NA PRAIA

GAÚCHO NA PRAIA (FINAL)
Morram de inveja, esta é outra das coisas de gaúcho! 

Atenta a essas questões, nossa indústria da construção civil, conhecida mundialmente por suas soluções criativas e inéditas, inventou um sistema maravilhoso que nos permite veranear no litoral a uma distância não inferior a quinhentos metros da areia e, na maioria dos casos, jamais ver o mar: os famosos condomínios fechados.

A coisa funciona assim: a construtora adquire uma imensa área de terra (areia), em geral a preço barato porque fica longe do mar, cerca tudo com um muro e, mal começa a primavera, gasta milhares de reais em anúncios na mídia, comunicando que, finalmente agora você tem ao seu dispor o melhor estilo de veranear na praia: longe dela. Oferece terrenos de ponta a ponta, quanto mais longe da praia, mais caro é o terreno. Você vai lá e compra um.

Enquanto isso a construtora urbaniza o lugar: faz ruas, obras de saneamento, hidráulica, elétrica, salão de festas comunitário, piscina comunitária com águas térmicas, jardins e até lagos e lagoas artificiais onde coloca peixes para você pescar. Sem falar no ginásio de esportes, quadras de tênis, futebol, futebol-sete, se o lago for grande, uma lancha e um professor para você esquiar na água e todos os demais confortos de um condomínio fechado de Porto Alegre, além de um sistema de segurança quase, repito, quase invulnerável.

Feliz proprietário de um terreno, você agora tem que construir sua casa, obedecendo é claro ao plano-diretor do condomínio que abrange desde a altura do imóvel até o seu estilo.

O que fazemos nós, gaúchos, diante dessa fabulosa novidade? Aderimos, é claro.

Construímos as nossas casas que, de modo algum, podem ser inferiores às dos vizinhos, colocamos piscinas térmicas nos nossos terrenos para não precisar usar a comunitária, mobiliamos e equipamos a casa com o que tem de melhor, sobretudo na questão da tecnologia: internet, TV à cabo, plasma ou LCD, linhas telefônicas, enfim, veraneamos no litoral como se não tivéssemos saído da nossa casa na cidade.

Nossos veraneios costumam começar aí pela metade de janeiro e terminar aí pela metade de fevereiro, depende de quando cai o Carnaval. Somos um povo trabalhador, não costumamos ficar parados nas nossas praias.

Vamos para lá nas sextas-feiras de tarde e voltamos de lá nos domingos à noite. Quase todos na mesma hora, ida e volta.

É assim que, na sexta-feira, pelas quatro ou cinco da tarde, entramos no engarrafamento. Chegamos ao nosso condomínio lá pelas nove ou dez da noite. Usufruímos nosso novo estilo de veranear no sábado – manhã, tarde e noite – e no domingo, quando fechamos a casa.

Adoramos o trabalhão que dá para abrir, arrumar e prover a casa na sexta de noite, e o mesmo trabalhão que dá no domingo de noite. E nem vou contar quando, ao chegarmos, a geladeira estragou, o sistema elétrico pifou ou a empregada contratada para o fim-de-semana não veio.

Temos, aqui no Sul, uma expressão regional que vou revelar ao resto do mundo:

- Graças a Deus que terminou essa bosta de veraneio!
O AUTOR
A coluna recebeu o divertido texto de um leitor. O autor é o escritor e advogado Paulo Wainberg. Publicou mais de dez livros. Entre eles: Nem tudo é podre no reino do lixo (romance, Ed. Mercado Aberto)A mãe judia o gênio cibernético e outras histórias (crônicas e contos, Ed. AGE) e Os malditos (romance, Ed. Bertrand). Ao autor ficam os cumprimentos do colunista.

fonte original do artigo aqui: http://www.rogeriomendelski.com.br/

O Carnaval está chegando....Cuidado !


Gaúcho na Praia

http://www.rogeriomendelski.com.br/

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

A procissão de imagens perturbadoras mostra ao mundo a cara do Brasil real

A procissão de imagens perturbadoras mostra ao mundo a cara do Brasil real

TUMA JÚNIOR NO RODA VIVA

COLABORAÇÃO DO AMIGO ADILSON MINOSSI - DE SC

Tuma Júnior falará tudo sobre "Assassinato de Reputações" no Roda Viva

Será dia 27 o programa Roda Viva no qual o jornalista Augusto Nunes entrevistará o delegado Tuma Júnior, autor do livro "Assassinato de Reputações".
. O jornalista, ex-diretor de redação de Zero Hora e blogueiro da revista Veja, avisou que não haverá "perguntas proibidas".
. O alvo central da entrevista será a denúncia feita no livro, segundo a qual o ex-presidente Lula foi recrutado pelo pai de Tuminha, Romeu Tuma, então delegado do Dops, para operar como alcaguete da ditadura militar, infiltrado no meio sindical e na oposição para entregar seus companheiros. No livro, o delegado Tuma Júnior conta detalhes da colaboração, fornece nomes de testemunhas, datas, locais e horários, inclusive o codinome de Lula, "Barba". Tuma Júnior afirma que possui elementos probatórios suplementares ao que publicou, inclusive memórias que seu pai deixou ao morrer e que até hoje não foram publicadas. A colaboração entre Lula e Romeu Tuma foi tão intensa que o ex-presidente chegou a "habitar" a poltrona do gabinete anexo ao do delegado para "cumprir" sua prisão política durante a ditadura.

. O livro, lançado há 45 dias, já vendeu 60 mil exemplares, mas é boicotado na maioria das grandes redes de livrarias. Ele é vendido também na versão e-book pela Amazon.
Postado por – Porto Alegre

PROTEJAM SEUS FILHOS DOS PETISTAS

Nenhuma criança pode ficar sozinha sob os cuidados de um petista sem a observação de um adulto não ligado a esse grupo criminoso. Não deixem seus filhos perto desses animais!

Milton Pires

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

NEW YORK TIMES A SERVIÇO DA PETRALHADA

Quanto mais eu leio o New York Times, mais eu fico com nojo desse jornal..Se existia alguma dúvida de que o PT manda dinheiro para essa gente, agora ela acabou. Olhem o que esse tal de Nocera escreveu:

Does Brazil Have the Answer?

 
Not long after I got back from my recent trip to Brazil, I called some economists to gain a better understanding of where the country stood economically. To me, Rio de Janeiro felt a little like Shanghai: there was plenty of high-end shopping in neighborhoods like Ipanema — and plenty of poverty in the favelas, or slums. There was also a lot in between. What is most striking to a visitor is how many middle-class citizens there seem to be. Cars were everywhere; traffic jams, I’ve come to believe, are a sign of a growing middle class. It means people have enough money to buy automobiles.
What I saw was no illusion. Though its starting point was quite extreme, Brazil is a country that has seen income inequality drop over the last decade. Unemployment is at near record lows. And the growth of the middle class is quite stunning. By most estimates, upward of 40 million people have been pulled out of poverty in the last decade; extreme poverty, says the government, has been reduced by 89 percent. Per capita income has continued to grow even as G.D.P. growth has slowed.
Nevertheless, the economists I spoke to were uniformly bearish about the short-term future of the Brazilian economy. They pointed, for starters, to that slowdown in G.D.P., which they didn’t expect to pick up anytime soon. Despite the country’s enormous economic gains since the beginning of this century, there has been very little accompanying productivity gains. Indeed, several economists told me that the main reason unemployment was so low was that the economy was terribly inefficient. Too much of the economy was in the hands of the state, I was told, and, what’s more, it was a consumption-based economy that lacked necessary investment. And on and on. I got the sense that many economists believe that Brazil had been more lucky than good, and now its luck was running out. In a recent article about the Brazilian economy, The Economist put it starkly: “The Deterioration,” read its headline.
As I listened to the economists, though, I couldn’t help thinking about our own economy. Our G.D.P. growth was more than 4 percent in the third quarter of 2013, and, of course, our productivity has risen relentlessly. But, despite the growth, unemployment can’t seem to drop below 7 percent. And the middle class is slowly but surely being eviscerated — thanks, at least in part, to those productivity gains. Income inequality has become a fact of life in the United States, and while politicians decry that fact, they seem incapable of doing anything about it. Which made me wonder: Whose economy runs better, really?
A few years ago, Nicholas Lemann of The New Yorker wrote a lengthy article about Brazil in which he quoted from an email he received from Brazil’s president, Dilma Rousseff. “The main aim of economic development must always be the improvement of living conditions,” she told him. “You cannot separate the two concepts.”
In other words, Brazil’s admittedly leftist government doesn’t spend a lot of time worrying about growth for its own sake, but rather connects it with alleviating poverty and growing the middle class. Thus, it has a high minimum wage, for instance. It has laws making it exceedingly difficult to fire a laggard employee. It controls the price of gasoline, helping to make driving affordable.

LINK ORIGINAL  http://www.nytimes.com/2014/01/21/opinion/nocera-does-brazil-have-the-answer.html?partner=rssnyt&emc=rss&_r=0

domingo, 19 de janeiro de 2014

Conspiração, teoria e prática

Conspiração, teoria e prática

18/01/2014
 às 5:31

Conspiração, teoria e prática

Leiam trecho do artigo da senadora Kátia Abreu na Folha deste sábado.
*
Há um projeto em curso, que quer restringir e relativizar a propriedade privada e a economia de mercado ”Teoria da conspiração” tornou-se uma espécie de mantra para banir qualquer avaliação mais profunda da conjuntura política. O termo é invocado mesmo quando já se está diante não de uma tese, mas da própria prática conspirativa. Os fatos estão aí: há um projeto em curso, que pretende restringir e relativizar a propriedade privada e a economia de mercado. Em suma, o Estado democrático de Direito. O setor rural é o mais visado.  Usa-se o pretexto da crise social para invasões criminosas a propriedades produtivas: sem-terra, quilombolas e índios têm sido a massa de manobra, incentivada por ativistas, que, no entanto, não querem banir a pobreza.
Servem-se dela para combater a livre iniciativa e estatizar a produção rural. Espalham terror nas fazendas e, por meio de propaganda, acolhida pela mídia nacional, transformam a vítima em vilão. Nos meios acadêmicos, tem-se o produtor rural como personagem vil, egoísta, escravagista, predador ambiental, despojado de qualquer resquício humanitário ou mesmo civilizatório. No entanto, é esse “monstro” que garante há anos à população o melhor e mais barato alimento do mundo, o superavit da balança comercial e a geração de emprego e renda no campo.
Nada menos que um terço dos empregos formais do país está no meio rural, que, não tenham dúvida, prepara uma nova geração de brasileiros, apta a graduar o desenvolvimento nacional. Enfrenta, no entanto, a ação conspirativa desestabilizadora, que infunde medo e insegurança jurídica, reduzindo investimentos e gerando violência, que expõe não os ativistas, mas sua massa de manobra, os inocentes úteis já mencionados.
Vejamos a questão indígena: alega-se que os índios precisam de mais terras. Ocorre que eles –cerca de 800 mil, sendo 500 mil aldeados– dispõem de mais território que os demais 200 milhões de compatriotas. Enquanto estes habitam 11% do território, os índios dispõem de 13%. Não significa que estejam bem, mas que carecem não de terras, e sim de assistência do Estado, que lhes permita ascender socialmente, como qualquer ser humano.
Mas os antropólogos que dirigem a Funai não estão interessados no índio como cidadão, e sim como figura simbólica. Há o índio real e o da Funai, em nome do qual os antropólogos erguem bandeiras anacrônicas, querendo que, no presente, imponham-se compensações por atos de três, quatro séculos atrás.
(…)
Por Reinaldo Azevedo

sábado, 18 de janeiro de 2014

Claudinha Manchete..



Milton Pires

Meus amigos, hoje vou apresentar a vocês mais uma personagem do meu inconsciente...rsss..Ela, às vezes virá nos visitar no Facebook ou em alguma outra rede social: A Claudinha Manchete.

Claudinha é jornalista da equipe de plantão da Folha de São Paulo. Pesando mais ou menos 45 quilos, dependendo de ter vomitado ou não antes de subir na balança, com cabelo cortado máquina zero, ela, que já trabalhou antes na Zero Hora e na Rede Globo, é uma das responsáveis pelas notícias sobre “movimentos sociais” desse importante jornal. Antes de falar mais sobre sua biografia, importante é dizer que Claudinha foi uma das poucas jornalistas brasileiras selecionadas para estagiar no Núcleo de Diversidade da New York University! Quem honra, hein??

O dia da Cláudia começa cedinho! 6 horas da manhã ela já está na redação. Chega sempre com um enorme copo de café preto (evidentemente descafeinado) e uma camiseta branca 3 números maiores que o seu escrito “PEACE” na parte da frente. Charme total, né?

Claudinha trabalha com fones de ouvido..Ela gosta de escutar Ênia ou Coldplay enquanto escreve suas matérias entre um beijinho e outro que troca com sua atual namorada, Ana Paula Redação, que fica numa mesa próxima. Sobre sua mesa, além do computador apenas a foto de seu gato siamês albino, Imago... Depois de muito insistir eu consegui fazer uma entrevista “exclusiva” com ela aqui para o Inglourious Doctor. Segue a transcrição..

Eu – Cláudia, conte-nos um pouco sobre você e o sucesso que vem fazendo com as matérias na Folha de São Paulo.

Claudinha – Aahah..não sei sabe, Milton? Foi como se tivesse “batido uma energia”..uma coisa diferente entre eu e o pessoal da Direção da Folha...Nem sei te dizer...a gente tava numa festa rave aqui em SP..conversando e quando vi, no dia seguinte, eu já estava dentro da redação..legal, né??

Eu – Sim...muito...Mas me diga o seguinte: qual sua experiência prévia em jornalismo antes de escrever para Folha, quer dizer..depois de terminar a faculdade, o que você fez...??

Claudinha – Ah foi super legal, cara...a gente formou um grupo e viajou pelo interior da África..Publicamos várias matérias...Algumas para o Jornal das Nações Unidas...sobre preconceitos sexuais nas tribos da Namíbia..a repercussão em Nova Iorque foi muito positiva, sabe??

Eu – Sei...Você tem alguma religião, Cláudia??

Claudinha – Ai cara, olha só:...meu lance é uma mistura de xintoísmo com a Igreja Ortodoxa Russa...Super legal, né??

Eu – Muito...muito mesmo...mas me diga, você acredita em Deus, Claudinha??

Claudinha – Cara, olha só, meu,....tipo assim..eu acredito numa energia superior eternamente boa, que sabe de tudo que acontece, que está em toda parte e que tá superligada no que fizemos, sabe?? Mas olha só, meu..isso não tem nada a ver com Deus!

Eu – Sim..claro que não...qualquer um sabe a diferença...

Claudinha – Pois é..então,né??

Eu – Pois é...Claudinha, deixe eu lhe fazer uma pergunta: Olha só, além do seu trabalho na Folha você às vezes tem tempo para alguma coisa extra..um lance profissional por fora..??

Claudinha – Meu, olha só..às vezes aparecem, tipo assim, algumas coisas menores..que não são tão conhecidas na mídia ou não tem tanta importância para o Brasil, daí a gente faz...

Eu – Entendo..Tem algum exemplo??

Claudinha – Olha só..tempo atrás um pessoal do Conselho Federal de Medicina queria, tipo assim, que eu fizesse alguma coisa por eles, sabe meu?? Fiquei com pena dos médicos...tá rolando uma energia super-negativa entre eles e o Governo. Então se houver algo que eu possa fazer...Meu, por falar nisso..agora eu lembrei: pra fechar um contrato parece que tinha que falar com uma tal de “Entidades Médicas”, cê sabe de alguma coisa??

Eu – Eu?? Não ...não tenho idéia..mas se souber eu te aviso..Claudinha olha só, foi muito legal você ter nos recebido aqui.. Agradecemos muito e vamos publicar a entrevista no Facebook, pode ser??

Claudinha – Ai cara...tipo assim, meu,superlegal sabe??...Ah..e manda uma beijoca pra todo mundo da Medicina...e se souber alguma coisa das “Entidades Médicas”..pede para elas ligarem tá?...beijuuuuuuuuu...


Porto Alegre, 18 de janeiro de 2014 PVC (posterior a vinda dos cubanos)





DOSE DE INSULINA.

CUBANADA ASSASSINA VERSÃO "BOLIVARIANA" - VENEZUELANA PRESCREVE DOSE LETAL DE INSULINA REGULAR - ENFERMEIRA DESCONFIA E CHAMA MÉDICO BRASILEIRO QUE EVITA O PIOR. OS "MAIS MÉDICOS" NÃO SÃO MÉDICOS.

Mais um clássico exemplo de que os Mais Médicos não são médicos de verdade. Apesar dessa não ser de cubano, é uma legítima "cubanada". Venezuelana contratada pelo Mais Médicos para atender em Santos, com toda "pompa" (que nenhum governante jamais deu a um médico brasileiro) prescreveu uma dose LETAL de Insulina Regular para um cidadão usuário do SUS.

Na receita do Mais Médicos está prescrita dose FATAL, pelo menos cinco vezes superior ao recomendado para um adulto de 75 kg, de Insulina Regular SC, para "uso contínuo". Se tivesse recebido a dose da manhã, o paciente não teria visto o Sol se por.


Além da dose muito superior de Insulina regular ao recomendado por kg/dia, a receita não especifica que a mesma tem que ser tomada no máximo 30 minutos antes da refeição, sob pena de induzir hipoglicemnia fatal.

É a Dilma, Padilha e os gestores corruptos do SUS ajudando a matar brasileiros inocentes.
_______________________________

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

"Mais Médicos" não resolve caos na saúde pública do Brasil

"Mais Médicos" não resolve caos na saúde pública do Brasil: Este é o Brasil do programa "Mais Médicos", mas o governo não pensa em importar gestores, macas, remédios, ventiladores, cirurgiões, faxineiras. Acompanhe esta reportagem do Jornal da Band de quarta-feira a noite. O material vai em link, integral, a seguir:



Caos na saúde do Rio de Janeiro. No maior hospital
carioca, faltam ventiladores, a água é racionada, doentes em maca sustentam
pendurados

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

O NASCIMENTO DO PARTIDO-RELIGIÃO


Às vezes eu fico me perguntando quanto tempo as pessoas ainda vão reclamar dos “rolezinhos” e dos black blocks...Até quando elas vão se escandalizar com a Marcha das Vadias ou lamentar as invasões promovidas pelo MST além de lamentar o que aconteceu com a nossa Universidade e com a Educação como um todo...Quantos “grupos de médicos” ainda vão ser formados no Facebook e quantos blogs vão surgir para denunciar as barbaridades feitas pelos agentes cubanos?..De uma maneira geral, eu fico curioso em saber até que ponto vai a capacidade das pessoas sentirem que cada vez mais coisas “terríveis” estão acontecendo no Brasil sem que aceitem apelar para uma síntese...para uma visão conjunta do todo que, ao mesmo tempo que esclarece, assusta de uma maneira terrível aqueles que não suportam serem vistos como adeptos de uma “Teoria da Conspiração”..
Tudo que se escreve hoje no meio acadêmico a respeito do andamento da História precisa ter uma base material..Na melhor das hipóteses, pode inclusive não ter base alguma e ser explicado, elegantemente, como mero acaso. É a filosofia da história; não a história da filosofia que nos oferece nesse momento o maior debate, não é mesmo?
Quando li pela primeira vez “O Status Ontológico da Teoria da Conspiração”, de Hakim Bey, mais claro do que a ideia de que ela pudesse servir à Direita ou à Esquerda, o que ficou para mim foi o conceito de “alternativa”....de uma via de saída para aqueles que se negam a aceitar que a história seja um mecanismo..uma máquina com leis próprias de funcionamento que, se conhecidas, podem nos fornecer a “chave da felicidade aqui na Terra”..
Algum de vocês já reparou na confusão que existe entre os termos “Teoria da Conspiração” e “Nova Ordem Mundial”?? Alguém é capaz de separar uma coisa da outra ou vamos aceitar de saída que a “Nova Ordem” nada mais é do que uma das tantas teorias conspiratórias??
Meus amigos, seja entre leigos ou acadêmicos, a ideia de que um grupo de pessoas possa se reunir em segredo tomando grandes decisões em relação ao destino da humanidade se tornou algo risível..alguma coisa digna de “pena” e que não pode ser levada a sério, não é?? De onde vem, pergunto eu, toda essa capacidade de escárnio? Da percepção da fraqueza intrínseca de determinado tipo de pensamento ou da sacralização, eu diria da “santificação”, do discurso que se apresenta como opositor??
Afirmo aqui, e esse é o ponto do texto, que o materialismo dialético permanece invicto como método de análise e como força de entendimento em relação a tudo aquilo que ousamos chamar de “história”... De fato, naquilo que diz respeito a gênese do pensamento marxista, é ele – o materialismo dialético – que ainda fornece, dentre toda baboseira do discurso de esquerda, a fonte de eterna renovação para política econômica e social dos partidos que se autoproclamam higienicamente de “centro-esquerda”. Nada poderia, portanto, ser mais devastador do que uma história “sem lei científica”....do que uma história feita pela unificação de interesses escusos que desconhecem as mais rudimentares regras de conflito entre as classes sociais, não é??
O que faz de qualquer Teoria da Conspiração, do ponto de vista ontológico, um desafio ao exercício intelectual é justamente aquilo que se diz ser a função superior de toda consciência – a capacidade de síntese; jamais de análise pois sabe-se que desta o materialismo dialético apropriou-se de tal modo que pouco resta a fazer na difícil tarefa de enfrentamento intelectual com a Nova Esquerda do mundo ocidental.
Se me fosse pedido para resumir em termos mais simples tudo que escrevi acima, eu diria que é na possibilidade de “juntar as pontas”...de “unificar hipóteses” que reside a força de cada Teoria Conspiratória..de cada “tese absurda” que surge ela mesma, tese, como alternativa ao entendimento de um mundo fragmentado onde tudo parece acaso ou resultado de leis tão complicadas que só podem ser compreendidas por um Partido Salvador...por uma casta de intelectuais (orgânicos como diria Gramsci) cuja função é conduzir os simples mortais à felicidade aqui mesmo, nesse mundo, sem morrer antes...e desgraçadamente por causa dessa busca, sem jamais ter vivido...Quem consegue entender isso, consegue entender como nasceu o Partido-Religião..

Em memória de Maria Mercedes Simon (1917-1995)

Porto Alegre, 16 de janeiro de 2014.