"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

segunda-feira, 31 de março de 2014

50 ANOS DEPOIS

Milton Pires

31 de março de 1964: Há 50 anos atrás as Forças Armadas (FFAA) tomavam o poder no Brasil. Cansado como estou de escutar as reportagens..os depoimentos e os documentários..Esgotado com as entrevistas daqueles que “sobreviveram” à prisão e às torturas, farto de escutar uma única versão eu hoje aqui vou me dirigir à “esquerda”...aos bravos combatentes da luta armada que mais tarde ajudaram a formar o PT e restaurar, como querem fazer crer, a normalidade da vida institucional no país.
Muito eu poderia escrever no sentido de revelar quem vocês na verdade são..no intuito de relatar o que fizeram e o que disseram que fariam. De tudo que me ocorre, tenho como mais importante deixar uma só mensagem, lançar uma só pedra que, com o peso e tamanho de uma montanha, há de os colocar no devido lugar quando as futuras gerações a vocês se referirem. Vocês, seus mentirosos, seus covardes assassinos, jamais em momento algum lutaram pela democracia no Brasil. O que os movia era a intenção de implantar aqui o comunismo. Derrotados, vocês mudaram de tática, mas jamais de objetivo final. Cada deputado subornado, cada refinaria velha comprada no estrangeiro é a manifestação do mesmo fenômeno passado, do mesmo fanatismo hediondo que os levou a matar, roubar, fraudar e sequestrar tudo e todos de quem vocês se aproximaram! Deus me livre de viver num país que encontra em vocês o ideal de herói, a noção de mártir e o conceito de bravura. Que cada criança brasileira com acesso a internet e ao Google possa, olhando fotos em preto e branco dos anos 60, encontrá-los em fotografias com Mao Zedong, Fidel Castro e Che Guevara..Que todas elas tenham acesso aos dois lados de uma história cujo único narrador hoje é a organização criminosa que vocês fundaram 16 anos depois da intervenção militar e que, com o nome de “Partido dos Trabalhadores”, arrasta o Brasil em direção à Venezuela. Que todo aquele que, comovido e assistindo ao Jornal Nacional, vendo pessoas sendo presas e tanques desfilando, lembre daqueles que perderam a vida nos atentados que vocês perpetraram no Aeroporto de Guararapes, nos bancos das grandes cidades ou nas matas do Araguaia e entenda que os militares se apropriaram do poder; vocês do direito de contar a história do país..
Vermes como vocês, que em 68 falavam na “vontade do povo”..que em 72 diziam lutar pela “democracia” são hoje aqueles que roubam o futuro das nossas crianças com seu gayzismo histérico ensinado nas escolas públicas...que matam os doentes nos hospitais públicos de onde roubam tudo que podem e que reduzem os policiais brasileiros à definição de bandidos fardados a ser vendida nos jornais que vocês controlam! Vocês, seus miseráveis, não merecem homenagem alguma do país..ninguém lhes deve pedido de perdão nenhum e o lugar de vocês na história é a lata de lixo reservada aos assassinos como Stalin, Fidel e Mao que, sendo heróis de vocês, não o são do povo que desgraçadamente vocês governam.
As desculpas pedidas hoje por José Eduardo Cardozo, ministro por vocês escolhido para defender a Justiça no Brasil, nada significam para gente simples..para o povo humilde que acredita em Deus, que reza pela família, que é contra o casamento gay e que nada sabe ou quer saber sobre a fraude do aquecimento global. Recomendo a vocês divulgar pesquisas sobre que “roupas usar para que uma mulher não seja violentada” e celebrar sempre a luta do passado, bandidos petistas, pois o presente não convém a vocês e o futuro não se pode fraudar...mesmo 50 anos depois..

Porto Alegre, 31 de março de 2014.

sexta-feira, 28 de março de 2014

TEORIA DA VACINAÇÃO

"Teoria da Vacinação" - consiste em compreender que o Brasil decidiu comprar essa merda (vacina do HPV) superfaturada que já foi proibida no Japão e depois fazer o dinheiro voltar para os cofres do PT após vacinar meia dúzia de meninas pobres ou de emprestar crianças brasileiras para serem objeto de estudo de efeitos colaterais da Vacina...

PS - Alguém ai tem um exemplar do "Apanhador no Campo de Centeio" ?

quinta-feira, 27 de março de 2014

PETROBRÁS

Mundo pequeno, gente menor ainda......


Este senhor aí da foto abaixo, é Albert Frère, um megaempresário belga. O homem mais rico daquele país. Ele era o dono da refinaria Pasadena, por meio da Astra Transcor Energy, que foi comprada por U$ 42 milhões como sucata e vendida por U$ 1,12 bilhão para a Petrobras. Ele comprou esta refinaria em 2005 e vendeu 50% para a Petrobras em 2006, já por mais de U$ 300 milhões.
Este senhor possui 8% das ações da GDF Suez Global LNG, ocupando a cadeira de vice-presidente mundial nesta mega organização, maior produtora privada de energia do planeta. A GDF Suez possui negócios com a Petrobras no Recôncavo Baiano, mas seu principal negócio no Brasil é a Tractebel Energia, dona de um faturamento de quase R$ 6 bilhões anuais. É dona de Estreito, Jirau, Machadinho, Itá e dezenas de hidrelétricas, termelétricas, eólicas.
A Tractebel, que é da GDF Suez, que tem como um dos principais acionistas o senhor Albert Frère, que é um dos donos da Astra Transcor Energy, que passou a perna no Brasil em U$ 1,12 bilhão, foi uma grande doadora da campanha de reeleição de Lula, em 2006. A doação de R$ 300 mil chegou a ser contestada na sua legalidade. Também foi uma das patrocinadores do filme Lula, Filho do Brasil. Já em 2010, para a eleição de Dilma, a Tractebel doou quase R$ 900 mil.
O dinheiro que ajudou a reeleger Lula e eleger Dilma veio, assim, mesmo que indiretamente, da Petrobras. Daquela bolada que ela pagou, inexplicavelmente, pela Refinaria Pasadena. 
Como é pequeno este mundo da corrupção e como são menores ainda as pessoas que o habitam!
Vejam Lula e Dilma, presenças constantes nas inaugurações dos empreendimentos da Tractebel. Essa foto é de 2009.






quarta-feira, 26 de março de 2014

SOBRE O FEMINISMO


Milton Pires

"Toda miséria do feminismo reside na farsa da “posse” do corpo da mulher e fundamenta-se na verdade de que esse “corpo” jamais poderá ser só seu...Ele é do filho querido que procura e toma o seio da mãe com uma “força” muito maior que a do marido para alimentar seu pequeno corpo.. e de cada homem que se apossa dessa mulher e tira dela o alimento para sua alma revelando a lembrança da fragilidade de um filho, ou a promessa daquele que poderá ter...Esse corpo, da menina que se transforma em mulher ou da velha que simboliza a Morte, não é uma metáfora do Tempo; é uma recordação contínua do milagre da Vida... e da própria existência de Deus."

Porto Alegre, março de 2014.

sexta-feira, 21 de março de 2014

CRONOLOGIA


Milton Pires

1964 – Fica claro às Forças Armadas (FFAA) que membros do Movimento Revolucionário que atuavam no Brasil desde 1961 pretendem implantar no país um regime comunista. As FFAA deixam os pracinhas e a Guerra do Paraguai pra trás e tomam o poder.

1966 – Ocorre o primeiro grande ato violento dos revolucionários: o atentado no Aeroporto de Guararapes. A inteligência do Exército Brasileiro, depois de ser informada pela CIA, descobre que bombas matam e machucam muito as pessoas.

1967-68 – Membros da luta armada, por ordem do General Golbery do Couto e Silva, são presos na Ilha Grande (RJ) com os primeiros traficantes de maconha do país. A luta armada sofre repressão efetiva e seus militantes optam pela luta cultural e pela “tomada do poder por dentro”. Fica mais fácil fazer revolução tomando chope e escutando bossa nova do que levando tiro de fuzil.

1980 – Treze anos depois dessas prisões em 67, o submundo do sindicalismo associado ao tráfico de drogas no país e à Universidade funda a maior organização criminosa da história política do Brasil – o Partido dos Trabalhadores. O pensamento brasileiro sofre traumatismo craniano e o país entra em coma intelectual.

1990 – Dez anos depois do PT “nascer”. Lula e Fidel Castro criam um órgão que vai transformar aquilo que era um plano de poder para o Brasil em plano para toda América do Sul – o Foro de São Paulo. Nasce um câncer chamado SUS e avança o “Direito Alternativo”

2003 – Dez anos depois do Foro de SP, a organização criminosa conhecida como PT chega ao Poder Federal no Brasil. Fora da veadagem, do Aquecimento Global e da “não internação” dos viciados em crack não há salvação.

2005 – Fica claro, para todo Brasil, através do Mensalão, que a organização criminosa é uma organização criminosa. A situação é tão grave que a “verdade está na boca dos bandidos” (Roberto Jefferson)

2013 – O PT inunda o Brasil com médicos cubanos. Apesar dos vinhos, ternos caros e loiras lindas, as pessoas se dão conta de que o PT “não mudou”Ele foi, é, e sempre será um Partido Revolucionário. Se o comunismo não morreu, “foi sacanagem ter enterrado ele com vida”..

Março de 2014 - As pessoas, até porque são brasileiras, “decidem” que entre março e outubro de 2104 vão mudar com passeatas, caminhadas, marchas e cartazes ou seja lá o que for, tudo isso que eu descrevi e que levou 50 anos para acontecer !

Dedicado às crianças da primeira do ensino fundamental

Porto Alegre, 21 de março de 2014. 

quarta-feira, 19 de março de 2014

LIVRARIA CULTURA EM PORTO ALEGRE. 19 DE MARÇO DE 2014


CHAMEM O EXÉRCITO !


Milton Pires


1. A Polícia não dá conta de toda criminalidade? Chamem o Exército!

2. Choveu muito e há pessoas desabrigadas? Chamem o Exército!

3. Traficantes estão entrando pelas fronteiras? Chamem o Exército!

4. Não há segurança para Copa do Mundo? Chamem o Exército!

5. O Papa vem nos visitar? Chamem o Exército!

6. Vai haver confusão no dia das Eleições? Chamem o Exército!

7. Precisamos ajudar o Haiti e a Indonésia? Chamem o Exército!

8. Tem criança na Amazônia que não foi vacinada? Chamem o Exército!

9. Ninguém mais encontra o avião que caiu na Amazônia? Chamem o Exército!

10. Minha mulher está me colocando guampas e as crianças não param de chorar? Chamem o Exército!

“Apenas não se esqueçam, seu bando de imbecis, que o Exército não é um cachorro que pode ser chamado quando queremos e que ninguém lembrou dele quando foram colocados no poder os traficantes, mensaleiros e assassinos de prefeitos que agora nos estão transformando na Venezuela e, em breve, em Cuba!”

Porto Alegre, 19 de março de 2014.  

terça-feira, 18 de março de 2014

O EXÉRCITO COM FOME


Milton Pires

A proximidade da data que comemora os 50 anos da Intervenção Militar de 1964 e nova edição da Marcha da Família seguem aquecendo, pelo menos nas redes sociais, o debate sobre o eventual papel das Forças Armadas (FFAA) na manutenção da democracia no país. Quando escrevi “O Exército Fantasma” deixei clara minha opinião a respeito do erro que se faz ao colocar a pergunta em termos de “vontade” de tomar o poder no país. Procurei mostrar que não há, para as FFAA, outra alternativa que não seja fazer isso ou desaparecer. Nesse artigo, quando eu escrever “Exército”, peço que os leitores considerem o conjunto das três forças: Marinha, Exército e Aeronáutica.
O que me leva novamente a abordar o tema é o fato de que, em alguns debates nas redes sociais, tenha sido levantada a hipótese de transformação do Exército Brasileiro(EB) num exército revolucionário. Mencionou-se a estratégia gramsciana e o “aparelhamento” dessa força como mecanismos capazes de transformar o EB num exército como o chinês ou o cubano. Sobre isso afirmo o seguinte: é possível subornar, corromper ou até mesmo comprar o EB...é possível sufocá-lo deixando-o sem mantimentos e munição e até – como eu já deixei claro no artigo anterior que vai acontecer – extingui-lo, mas não é possível fazer dele um Exército Revolucionário. Toda história recente dos grandes exércitos comunistas (soviético, chinês, cubano e norte-coreano) mostra uma gênese, uma formação completamente diferente. Todas essas forças que menciono entre parênteses nasceram “dentro da revolução”; não depois dela. Para entender isso que escrevi e compreender a diferença com o Brasil, necessário é aceitar que aqui a revolução já aconteceu. O PT já está no poder e não conta, ele mesmo, com o EB como garantia de seu projeto de poder. Toda representação armada, todo “acoplamento” existente entre poder político e militar que existe no Brasil hoje se dá exclusivamente entre o PT, os militantes de uma guerrilha camponesa disfarçada de movimento social (MST) e uma massa carcerária de meio milhão de condenados e usuários de drogas que estão dentro dos presídios brasileiros.
Tomando como exemplo aquilo que aconteceu na China, lembro que o Exército de Libertação nasceu do que foi o 8ºExército Revolucionário – força militar que atravessou o país na Grande Marcha combatendo não só os japoneses como os nacionalistas de Chiang Kai-shek. Recordando a Revolução Cubana, eu peço a vocês que considerem a Tomada do Quartel de Moncada como evento que, depois, deu origem ao grupo que formaria a Guerrilha de Sierra Maestra e mais tarde o Exército de Fidel Castro. Nada disso é passível de acontecer no Brasil e o PT sabe perfeitamente do que estou falando. É por isso que o plano desse partido não é converter o EB ao comunismo; mas destruí-lo...sufocá-lo aos poucos em termos de verbas enquanto aumenta cada vez mais no país o poder da Força de Segurança Nacional.
Para terminar, e no que toca a Marcha do próximo sábado, 22 de março, afirmo que o EB não estará junto com os manifestantes, que pouco ou praticamente nada disso que escrevi aqui faz sentido ao Exército e não fará até que ele sinta na própria pele a verdade sobre o que estou escrevendo..até que ,além da munição,faltem médicos nos quartéis..até que comecem a fechar, um depois do outro os Colégios Militares...até que o Exército se torne, irreversivelmente, um Exército com Fome.

Publique-se. Intime-se”

Porto Alegre, 18 de março de 2014.



segunda-feira, 17 de março de 2014

A RAZÃO MENOR


Milton Pires

Quando Nietzsche deu a entender que toda razão ocidental estava doente, ele o fez atribuindo à moral cristã a causa disso. Penso não estar errado quando afirmo, já no início desse artigo, ser possível definir a razão como minha capacidade de julgar e, seguindo a mais kantiana das tradições aceito, para efeito de discussão, que a verdade é a concordância da razão com seu objeto. O que não parece claro, a mim mesmo, nesse início é o fato de que percebo como sendo externo...como sendo algo dado à minha consciência, como posto perante ela e passível de ser percebido, isso que chamei de “objeto” sobre o qual minha razão se detém. Proponho aqui chamar de “positiva” esse tipo de razão e os convido agora a imaginar uma inversão: acreditar, por um momento, que todos os valores, todos os conceitos de certo e errado pudessem, por um momento, partir da ideia de um mundo que não existe..de algo por vir a ser construído e, imediatamente, lembro que trataríamos aqui de um paraíso na própria terra...da felicidade a ser conquistada nessa vida; não depois da morte – caso esse em que eu chamaria de “transcendental” o tipo de razão que tem como objeto a investigação metafísica.
O que eu tentei fazer nesse primeiro parágrafo foi sugerir ao leitor que considero como “positiva” ou como “transcendental” toda razão que se pretende sadia...todo ordenamento interno da consciência que supõe ser externo ou transcendente aquilo que ele mesmo, “ordenamento”, entende como sendo objeto de sua investigação. Quando apelo ao conceito de razão “positiva” ou razão “transcendental” eu o faço na tentativa de distinção daquilo que vou chamar aqui de razão “negativa”...de uma capacidade de julgar fiel à ideia do movimento revolucionário que entende a possibilidade de um paraíso aqui e agora...nesse nosso próprio mundo em que nos encontramos. Do conflito surgido entre a percepção de uma realidade em movimento e a ideia de um paraíso nela mesma nasce a patologia do pensamento revolucionário que, ao decretar a morte da metafísica e da razão transcendental...ao zombar de um “Deus que não sabe dançar” e da “vontade dos fracos no cristianismo” reduz às cinzas toda possibilidade de ordenamento moral na História.
Necessário é agora afirmar que nasceu do marxismo e da psicanálise a força necessária para desconstrução de uma razão que pudesse elevar-se além da realidade material e da morte física. Partindo da ideia de que a história é uma luta de classes e que sua gênese pode ser compreendida pela economia política, funda-se a possibilidade do paraíso terrestre; explicando a crença em Deus como solução para o medo da morte, rotula-se como doença toda investigação metafísica. Nasce assim uma razão revolucionária..um pensamento capaz de “formatar” o andamento da história conforme lhe convenha e onde não há espaço algum para própria moralidade. Daí a necessidade constante de lembrar àqueles que criticam o movimento revolucionário pela sua “imoralidade” e (por exemplo, nas Marchas das Vadias, da Maconha, ou do Aborto) que é infrutífera...que é vã e até mesmo perigosa a ideia de aceitar essa discussão com seus adeptos.
Quando mais nada puder ser lembrado como legado deixado por Nietzsche, filósofo que foi responsável pelo nascimento daquilo que chamei de “desconstrução”, ainda vai ser necessário recordar que lhe devemos esse certo “olhar clínico”...essa típica classificação etiológica capaz de nos remeter a uma origem comum entre Filosofia e Medicina e que foi, ela mesma, desgraçadamente, uma das fontes do pensamento revolucionário e do nascimento de uma razão doentia...de uma razão que vou chamar de “negativa”....de uma Razão Menor.

Em memória do amigo e professor, Dr. Celso Blacher

Porto Alegre, 17 de março de 2014.

sexta-feira, 14 de março de 2014

SONHO DO PT NO BRASIL


POR QUE NÃO SOU PETISTA


Milton Pires

Eu não sou petista por que acredito:

1. No Esforço; não na Inveja.

2. No Trabalhador; não no Sindicato.

3. Na Ciência; não no Aquecimento Global.

4. No Ser Humano; não na Cor da Pele.

5. Na Música; não na Obscenidade.

6. Na Literatura; não na Autoajuda.

7. Na Pintura; não na Esquizofrenia.

8. Na Mulher; não na “Diferença de Gênero”

9. Na Medicina; não nas Eleições.

10. Na Filosofia; não no Fanatismo.

Eu não sou petista, porque acredito que toda Caridade se faz em silêncio...que a verdadeira Justiça não é desse Mundo, e que longe de Deus não há Salvação...

Porto Alegre, 14 de março de 2014

quinta-feira, 13 de março de 2014

CURSO PARA FORÇA NACIONAL


Meus amigos, boa noite! Informo que estão abertas as inscrições para o Primeiro Curso de Espancamento de Médicos. O Governo Federal do Brasil deve trazer ao país os integrantes da Guarda Bolivariana da Venezuela que bateram nos médicos em Caracas. O curso destina-se a Polícia Militar e especialmente aos integrantes da Força Nacional de Segurança. O currículo inclui os seguintes temas:

1. Escolhendo um Médico para Bater
2. Noções Básicas de Espancamento
3. Espancamento Avançado
4. Uso de bombas de gás, choque elétrico e cacetetes
5. Como manipular imagens de TV e mentir em Entrevistas
6. Versões para Imprensa sobre o que Aconteceu

O "investimento" é de 350,00 reais. Desconto para membros do PT.

Será fornecido Certificado no Final do Curso e só depois de realizada prova prática na Passeata de 22 março.

A SITUAÇÃO DO PMDB

Meu caro Milton. Poderias colocar no teu blog e também no Inglourios Doctors?  O Higídio é aquele meu amigo, advogado em ESTEIO.
Ele tem um comentário semanal numa emissora de rádio. Veja abaixo....
Grande abraço,

Adilson Minossi

 COMENTÁRIO ....
  
Já há algum tempo eu vinha pretendendo abordar aqui a questão das defecções de Partidos Políticos de peso, da base aliada do Governo Federal, ou seja, das deserções.  No ano passado, depois de 11 anos integrando a base aliada, o PSB saiu fora, abandonou a coalizão. Agora é a vez de um Partido ainda maior acenar que está avaliando a possibilidade de fazer o mesmo, ou seja, abandonar a base aliada: O PMDB. Nesta semana três fatos relevantes ocorreram que me impedem de continuar adiando a abordagem do tema: o 1º, a manifestação do Vice-Presidente da República, Michel Temer, nesta segunda-feira, na visita ao nosso Estado para a abertura da EXPODIRETO, em Não-me-Toque, de que a aliança do PMDB e PT será mantida; o 2º, a decisão da Câmara dos Deputados, também na terça-feira, que criou Comissão Externa de deputados para investigar denúncias de propina na Petrobrás, contrariando o desejo do Governo Federal, que tentou evitar isso de todas as formas;  o 3º, ontem, quando novamente a Câmara dos Deputados, derrotando novamente o PT, aprovou a convocação de dez ministros do governo para prestar esclarecimentos naquela casa legislativa, além da presidente da Petrobrás.Com tudo isso, impõe-se questionar: Qual PMDB estaria mantendo a aliança com o PT como afirmado por Michel Temer?  O mesmo PMDB que impôs essa fragorosa derrota ao PT?
Essas decisões, de criar a tal comissão externa de deputados e de convocar dez ministros para depor na Câmara, mesmo contra os interesses do PT, é um recado de que a aliança confirmada por Temer não está tão confirmada assim?
Pois bem, antes de mais nada impõe-se destacar que num Presidencialismo de coalizão, como temos no atual governo federal, todos os Partidos que integram a base aliada e que aprovam tudo o que esse governo quer, são tão responsáveis quanto o partido do presidente, e, portanto, não poderão ali adiante pretender culpar só este partido pelos desmandos, crimes de responsabilidade e políticas equivocadas e irresponsáveis. Estando à frente de Ministérios e com bancada ampla que aprova tudo quanto é encaminhado ao Congresso Nacional pelo Governo, o PMDB, ou uma parte dele - pelo visto uma parte expressiva dele - deve ter-se dado conta de que estar no Governo não é apenas votar de acordo com as recomendações que chegam do Palácio do Planalto, mas também responder perante a Nação, inclusive criminalmente, pelo resultado das ações e omissões desse governo que integram; deve se ter dado conta de que essas orquestradas e sistemáticas tentativas do Governo de nos transformar em uma Venezuela estão sendo percebidas por uma ampla maioria da população brasileira, que cobrará um preço de todos os partidos governistas, inclusive do PMDB; deve ter-se dado conta de que o aparelhamento dos Tribunais, especialmente o Supremo Tribunal Federal, aonde foram colocados ministros para rasgarem votos de brilhantes e dignos juristas recém apanhados pela aposentadoria compulsória, não foi obra só do PT, mas também dos Partidos Políticos que lhe dão sustentação política;  devem ter se dado conta da indignação do povo brasileiro com as notícias dos suspeitíssimos perdões de dívidas de países africanos, para viabilizar novos empréstimos com evidências de que se destinaram a favorecer empreiteiras que ajudaram a financiar campanhas eleitorais;  devem ter se dado conta de que, se ajudarem a aprovar qualquer medida que implique em mordaça ou censura à imprensa, ao livre pensamento e livre manifestação, o preço que pagarão será muito caro.
Se não é isso que está ocorrendo com expressiva parcela dos PMDBistas, então a afronta ao PT nada mais foi do que um recado ao próprio PT e ao Vice-Presidente da República e seus apoiadores incondicionais, de que a aliança só será mantida com mais cargos ao PMDB, com mais poder de decisão. Se for essa última a leitura correta dos acontecimentos desta semana, então a situação é calamitosa para nós brasileiros, pois teríamos que admitir que falta escala de valores a esses pretendentes de mais cargos, já que ser governo é muito, mas muito mais, do que ocupar cargos e acumular poder; ser governo é assumir responsabilidades, não só administrativa, mas moral, política, e até criminal. 
Portanto, não sei se dá para ter como certa a manutenção da aliança PMDB e PT. Se for mantida, o PMDB poderá estar assumindo um risco de pagar um preço tão elevado que poderá levá-lo ao esfacelamento. Se não for mantida, o PT dificilmente conseguirá bons resultados eleitorais só com os partidos nanicos que permanecerem na coalizão. Se é razoável antever enormes dificuldades de êxito mesmo com a manutenção da aliança com o PMDB,  sem ela o quadro se apresentará dramático na minha modesta opinião.
Quanto à tal Comissão Externa de Deputados, que terá a incumbência de investigar denúncias de propina na Petrobrás, nada investigará se a aliança for mantida; só fará de conta. Se não for mantida, ainda que não investigue nada, terá produzido um resultado que poderá ser catastrófico para o PT e que poderá estar salvando o PMDB de se esfacelar logo ali adiante. Mas isso teremos que aguardar para ver no que isso tudo vai dar.
De qualquer forma, a criação dessa comissão de deputados para investigar denúncias tão graves, deverá servir para que o Ministério Público, se já não estiver investigando, passe a fazê-lo de imediato, até mesmo porque ele não necessita de relatórios de CPIs ou equivalentes para agir.

Higídio Dassi – Advogado
Comentário de  hoje pela manhã – 13.03 - na Rádio Equipe 78.9FM, de Sapucaia do Sul/RS

PT e PMDB Negociando o Brasil


PERGUNTA PARA DILMA


Câmara aprova emissão de visto pela internet para turistas 

Câmara aprova emissão de visto pela internet para turistas : O turista estrangeiro está mais perto de ganhar um novo estímulo para visitar o Brasil. A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira (12), o projeto de lei de autoria do deputado Carlos Eduardo Cadoca (PCdoB-PE), que prevê a emissão do visto pela internet. Este é último passo antes de iniciar a apreciação pelo Senado.

Comentário meu: Agora sim, está feito o convite formal para todos os terroristas do mundo entrarem no Brasil. Gostaria de saber qual o país que aprovou um absurdo como esse antes !

Aqui está a notícia completa retirada o site imundo da Esquerda no Brasil: o Portal Vermelho

13 DE MARÇO DE 2014 - 9H59 

Câmara aprova emissão de visto pela internet para turistas 



O turista estrangeiro está mais perto de ganhar um novo estímulo para visitar o Brasil. A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira (12), o projeto de lei de autoria do deputado Carlos Eduardo Cadoca (PCdoB-PE), que prevê a emissão do visto pela internet. Este é último passo antes de iniciar a apreciação pelo Senado. 


visto eletrônico é considerado um grande avanço pelo deputado Cadoca. “É um estímulo para quem quer vir ao Brasil por ser um procedimento rápido, moderno e seguro. Se podemos votar, fazer transações interbancárias ecompras pela internet, por que não podemos solicitar e emitir vistos pela rede? Instrumentos de segurança já estão disponíveis”, destaca Cadoca.

Ele ressalta ainda que o mecanismo é importante para ajudar o país a se livrar de uma estatística pífia: que é a marca de aproximadamente seis milhões de turistas estrangeiros por ano, de acordo com números do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur).

Até 2012, a marca era de cinco milhões de turistas estrangeiros por ano. Um número ainda pior do que o atual e que ficou congelado por dez anos. O deputado Cadoca avalia que o visto eletrônico, ao simplificar o processo, poderá ajudar significativamente a reverter a situação

Para obter o visto via internet, segundo o projeto de lei, o interessado deve preencher e enviar formulário eletrônico que estará disponível no Portal Consular do Ministério das Relações Exteriores; apresentar por meio eletrônico os documentos solicitados; pagar as taxas cobradas; e seguir o rito procedimental previsto nas normas do manual do Serviço Consular e Jurídico do Ministério das Relações Exteriores.

A autoridade consular brasileira poderá solicitar a apresentação dos originais dos documentos para tirar dúvidas e também pedir documentos adicionais para a instrução do pedido.

Da Redação em Brasília
Com informações da Ass. Dep. Cadoca

quarta-feira, 12 de março de 2014

MEDICINA INTEGRAL COMUNITÁRIA

Posted on 6 de enero de 2013

Valentina Ovalles, El Universal
Desde que en el 2005 se propuso la creación de un sistema de enseñanza de Medicina fuera de las universidades tradicionales, nació la preocupación de los expertos en la materia.
Ahora, tras graduarse y llevar a estos nuevos médicos a los hospitales, los temores se consolidan: las fallas en su desempeño son muestra de la improvisación.
José Félix Oletta
Mucho se había dicho respecto al tema, lo cierto es que ahora la Academia Nacional de Medicina realizó una evaluación que confirmó las fallas.
Es la primera evaluación externa que se ha hecho“, explicó José Félix Oletta, ex ministro de salud.
El análisis forma parte de un documento llamado “Educación Médica”, firmado por 11 expertos en la materia, en el apartado: “La enseñanza de la medicina fuera de las escuelas universitarias formales: la Medicina Integral Comunitaria”.
“Un aspecto curioso además es que los jóvenes carecen de lenguaje médico”
Entre enero y abril de 2012, se entregaron instrumentos para calificar las competencias de los médicos integrales comunitarios en hospitales de Distrito Capital y Miranda.
En el 2011, también se evaluó el desempeño de quienes hacían pasantías correspondientes al último año de la carrera.
Quienes fueron asignados al Hospital J.M. de los Ríos no fueron incluidos en la evaluación, pues abandonaron el centro sin terminar la rotación.
El resultado de ambos grupos fue el mismo: deficiencias en competencias básicas para el ejercicio de la medicina.
“Son incapaces de realizar un examen físico completo. A ningún estudiante se le pudo asignar pacientes de sala para que fueran responsables de su ingreso y seguimiento, debido a las debilidades mostradas”, dice en el apartado de “resultados de la evaluación”.
“Pasiente muy gasífero… grasias”
Un aspecto curioso además es que los jóvenes carecen de lenguaje médico.
Emplean términos cubanos que no se usan en otros países. Nosotros necesitamos ser entendidos de aquí a China”, explicó la doctora Yubisaly López, directora de la escuela de medicina Vargas.
Al no poder culminar un examen físico, también se ven incapacitados para realizar un diagnóstico y aplicar un tratamiento adecuado.
“… y descarsa”
Durante las revistas médicas se identificaron fallas elementales de ciencias básicas como características anatómicas, conceptos básicos de fisiología, fisiopatología y bioquímica. También se explica que, a pesar de todas las fallas, los estudiantes eran promovidos. “El sistema de evaluación es complaciente”.
La evaluación se hizo en una escala de Excelente a Malo pero en ninguna de las competencias fueron clasificados con el rango más alto.
Por el contrario, 80% de los especialistas consultados clasificaron con “Malo” la evaluación del primer mes, en ciertas habilidades categorizadas como indispensables.
“Se notan carencias de conocimientos en el manejo de la anatomía y fármacos…”, explicó uno de los médicos residentes.
Los galenos también lamentan que sean pocas las exigencias para los nuevos estudios. María Yánez, presidenta de la Red de Sociedades Científicas y Médicas, destacó los récords quirúrgicos que deben cumplir estudiantes de Cirugía general u Obstetricia, para poder graduarse en la especialidad.
“Favor tirarle una placa de espalda al pasiente…”
Lo que más preocupa ahora a los representantes del sector salud, es que médicos quienes fueron preparados solo para atención primaria, en ambulatorios, se adentren en el sistema hospitalario con evidentes fallas en nociones básicas.
“Nebulizar con 4 gotas de lo que haya…”
Profesores poco capacitados
Los docentes designados para formar a los médicos integrales comunitarios fueron los médicos cubanos que laboraban en Barrio Adentro, sin ninguna experiencia en la docencia, a diferencia de los profesores de las universidades tradicionales, que se han preparado para la instrucción.
Niño enyesado por un médico integral comunitario.
Para la enseñanza de materias como Histología y Anatomía ni siquiera cuentan con laboratorios ni microscopios, no tienen práctica de ninguna ciencia básica.
Los expertos catalogan este sistema como “un verdadero fraude educativo“.
“La preocupación es muy grande, pues si no se puede garantizar que estos médicos cuenten con competencias básicas, la calidad del servicio será muy baja y los riesgos muy altos para la población“, afirmó Oletta.
Agregó que Es extremadamente grave que si no tienen conocimientos básicos tomen decisiones que requieren de juicio clínico”.
“Rx de pierna derecha. Dx: Emergencia hipertensiva”.
Mientras tanto, nada compensa que un facultativo -que ni siquiera puede llenar una historia médica- se pueda convertir en pediatra, cirujano y hasta neonatólogo.
“…el corazón está trabajando muy lento…”
Postgrados
Una resolución conjunta entre el Ministerio de Educación Superior y el Ministerio de Salud, estableció la creación de estudios de posgrado para los Médicos Integrales Comunitarios. En total son 22 las especialidades a las que ya pueden optar. Con dicha medida se pretende solventar el déficit de galenos en diferentes especialidades.
Son 974 plazas abiertas para posgrados en especialidades clínicas y el resto en Medicina General Integral (MGI).
Hasta ahora hay muchas dudas al respecto, se desconoce el contenido programático, la metodología y profesores. A diferencias de los posgrados tradicionales, a los que los médicos cirujanos aspirantes deben comprobar sus conocimientos y someterse a pruebas.
Aún así, 6.500 de los MIC en todo el país dieron inicio al posgrado de Medicina General Integral Comunitaria.
Otros podrán especializarse en áreas como Anestesiología, Terapia Intensiva Pediátrica, Neonatología, Radioterapia, Anatomía Patológica, Cirugía General, Obstetricia, Medicina Crítica de Adulto, Pediatría, Psiquiatría y Traumatología.
“… posee una infención crítica y una macha…”
Datos
• De los 8.152 médicos integrales comunitarios graduados en la primera cohorte, 25% fueron asignados a cargos en medicaturas rurales y 75% ingresaron a hospitales.
• En promedio hay unos 14 mil egresados como médicos integrales comunitarios, en dos promociones. La primera, en 2011, con 8.152 y la segunda, egresada el 2013 con 6.200.
Evaluación deficiente
Entre enero y abril de 2012, los médicos integrales comunitarios que se desempeñaban en hospitales de Distrito Capital y Miranda fueron evaluados. He aquí algunos de los resultados:
• “Son incapaces de realizar un examen físico completo. A ningún estudiante se le pudo asignar pacientes de sala para que fueran responsables de su ingreso y seguimiento, debido a las debilidades mostradas“.
• Carecen de lenguaje médico. “Emplean términos cubanos que no se usan en otros países“·, dijo para entonces la doctora Yubisaly López, directora de la escuela de medicina Vargas.
• Durante las revistas médicas se identificaron fallas elementales de ciencias básica como: características anatómicas, conceptos básicos de fisiología, fisiopatología y bioquímica.
• Sin poder culminar un examen físico, tampoco pueden realizar un diagnóstico correcto y aplicar un tratamiento adecuado.
• En el informe detalla que, a pesar de todas las fallas, los estudiantes eran promovidos. “El sistema de evaluación es complaciente“.
• En ninguna de las competencias fueron evaluados con el rango máximo de “Excelente”. 80% de los especialistas consultados clasificaron con “Malo” la evaluación del primer mes, en ciertas habilidades categorizadas como indispensables. El resultado no cambió para final del cuatrimestre.
• La única competencia indispensable que fue calificada como “Buena”, por 20% de los especialistas, fue “descripción de síntomas encontrados”. Otra habilidad que se resaltó como “Buena” fue la correspondiente a la “Comunicación con el paciente”.

terça-feira, 11 de março de 2014

O BRASIL VERDADEIRO


"DIVÓRCIO"

"PT e PMDB se divorciando: O acordo foi que o PMDB fica conosco durante a semana mas o PT pode nos ver nas manifestações e na eleição de outubro"..

Milton Pires

O SISTEMA "PERFEITO"



Peço a vocês que me respondam, se forem capazes: Onde está a decência, a caridade e sobretudo a justiça ao se manter um assassino, estuprador ou traficante, paraplégico por causa de um tiro da PM, ocupando um leito de UTI durante meses com TUDO pago enquanto um trabalhador, um pai ou mãe de família agoniza com um tubo para respirar na maca de algum pronto-atendimento imundo???? Ora, vão todos para PUTA QUE OS PARIU! O nosso é o sistema de saúde mais covarde e desonesto do MUNDO !

Milton Pires

segunda-feira, 10 de março de 2014

O EXÉRCITO FANTASMA


Milton Pires

Em 1964 as forças armadas “escolheram” intervir no Brasil. Com frase simples inicio esse artigo que espero chegar aos comandantes da Marinha, Exército e Aeronáutica. O que aqui vai ser dito entra em total oposição com um texto anterior de minha autoria que chamei de “Oração às Forças Armadas”. Escrevo essas linhas em função da proximidade dos 50 anos da Revolução de 64 e dos apelos que agora proliferam nas redes sociais pedindo, mais diretamente ao Exército, a tomada do poder no Brasil. Não é minha intenção defender o que foi feito no passado, exaltar o papel dos militares ou lamentar o que está acontecendo no país. Começo, retomando a primeira frase, numa tese muito simples e pretendo que seja ela o próprio corpo dessa argumentação. Afirmei na primeira linha que as forças armadas “escolheram” intervir no Brasil; hoje essa escolha não existe mais.
Tudo que tem sido dito na internet, todas as manifestações dos militares da reserva e de uma população civil desesperada com aquilo que o PT está fazendo no Brasil partem, portanto, de uma premissa absolutamente errada: a idéia de que seus apelos, como aquele que fiz no artigo que chamei de “Oração”, possam determinar um ato de vontade, uma tomada de decisão..uma espécie de resolução militar para salvar o Brasil do destino da Venezuela. Isso simplesmente não vai acontecer por dois motivos: primeiro pela covardia e egoísmo de uma parte dos militares que pensa, como qualquer funcionário público brasileiro, na sua aposentadoria. Segundo, e esse é o motivo mais perigoso, por uma pequena parcela (pequena, mas poderosa e muito bem informada) deles que vem apostando numa política de terra arrasada...numa lógica do “quanto pior melhor” no sentido de garantir perante à população civil o respaldo à futura tomada de poder.
Quero aqui me dirigir aos três comandantes, sendo eu mesmo um militar da reserva, para dizer que os dois grupos hão de fracassar. Nós não estamos mais em 1964. Não há tempo suficiente para entrar para reserva ou obter respaldo popular. Não se trata mais de impedir, como há 50 anos, que os comunistas cheguem ao poder. Os comunistas, senhores comandantes, ESTÃO no poder. São eles os seus chefes. São a eles que devem vocês prestar continência.
Dias após dia, ano após ano, os senhores tem visto batalhões de fronteira na penúria e agora desativados. Bases aéreas e, num futuro próximo navais, tem sido em sequência desativadas. O orçamento destinado aos senhores não cobre mais o rancho e o fardamento. Não há no Exército munição para sustentar um dia de guerra total. Pergunto-lhes, pois: não concordam vocês que não trata-se mais aqui de salvar o Brasil de coisa alguma mas sim da própria existência das forças armadas como instituição?
Todos nós, senhores comandantes, estamos cansados das manifestações da reserva...de certos “Rambos de pijama” que não percebem que aproxima-se o fim do Exército e que pensam, numa lógica que desconhece totalmente o pensamento revolucionário, ser possível negociar com o PT. Sobre isso afirmo o seguinte: meu posto é de segundo tenente da reserva. Jamais trabalhei em qualquer serviço de informação e pouco me importa o conhecimento da inteligência militar brasileira. Escrevo aqui como quem conhece, e muito bem, a inteligência petista: Não se enganem, senhores, com a promessa de novos caças, de mais porta-aviões ou de um submarino nuclear. Não acreditem em mais tanques ou no soldo melhor para os oficiais generais porque o que se aproxima é a penúria total. Entendam que em 1964 vocês tomaram o poder porque “queriam” salvar o país do comunismo. Em 2014 ou depois, terão que fazê-lo para salvar a própria pele. O verdadeiro exército petista está entre os integrantes do MST e da gigantesca massa carcerária brasileira, hoje mais de meio milhão de condenados, que esse Partido criminoso controla com mão de ferro.
Senhores comandantes, até hoje nada do que os senhores viram foi suficiente para lhes convencer da necessidade de intervenção..Tudo continua parecendo uma questão de “decisão”...de “momento certo”..e de respaldo da população civil como se estivéssemos nós todos em 1964 quando foi por um ato de vontade própria que o Exército colocou-se no poder. Vossa vontade, senhores, não mais está em questão..Aceitem meu aviso quando digo que dessa vez não é “só o Brasil” que está ameaçado mas o próprio Exército que aproxima-se, ainda que seja lentamente, da própria extinção. Ou os senhores compreendem isso e tomam a atitude que, salvando a si próprios há de salvar a democracia brasileira, ou em breve não serão mais que um Exército Fantasma.

Porto Alegre, 10 de março de 2014.


Paródia de Faroeste Caboclo : "Lula da santo Cristo"

domingo, 9 de março de 2014

DISSONÂNCIA, HARMONIA E CULTURA AMERICANA

Dissonance, Harmony, and American Culture

By Chet Richards

For many years I had a much older friend.  My friend was highly intelligent and musically cultured, but he had an odd quirk:  He listened to Arnold Schoenberg’s atonal, and highly dissonant, music for pleasure.  My friend maintained that this music was the epitome of beauty and that the philistine world would eventually see that beauty as he saw it.  Classical harmoneous music was hopelessly obsolete and banal.
Then, one day, my friend was exposed to Vaughan Williams’ “The Lark Ascending.”  Tears in his eyes he admitted that he had never imagined something could be so transcendently exquisite.  With this, his mind newly opened, he began a deep reevaluation of why the great musical classics were indeed classics.
I was not greatly surprised at his emotional epiphany.  After all, like myself, my friend was a product of U.C. Berkeley. There, my professor in the music history class was openly scornful of twentieth-century attempts to maintain the traditions of tonal music.  Music had to break free of such straitjacket restrictions. 
The music composition majors did not agree.  In order to survive in the music department, the students were constrained to write only atonal music – the more dissonant the better.  The students hated this injunction and went on strike.  This strike preceded the famous Free Speech Movement but it had its impact on that later student unrest.  The music faculty caved and reluctantly allowed tonal music to be a student’s thesis. 
Inspired by the rebellion of the music students the art students similarly went on strike -- successfully.  They had been forbidden to paint representational pictures.  Students who wanted to do that should take up architecture, not fine art.
Change of scene:  Recently the National Gallery of Art in Washington D.C. had an amazing exhibit of the works of Albrecht Durer, the Renaissance master.  The walls were jam packed with masterpiece after masterpiece.  After two floors of these treasures one was ushered out into a room of modern “masterpieces.”  I put quotes around the description of these works of Picasso and Braque because of the visible reaction of people as they transitioned from the Durer exhibit into this new room.  I stood and watched the migrating people for awhile.  For almost all, their reaction was the same as mine had been:  repulsion at the ugliness and a desire to leave the area as quickly as possible.
What is going on?  Why the visceral reaction of sophisticated people to the contrast between Durer and the modernists?  Why such totalitarian behavior on the part of a world class liberal arts faculty? The answer lies in the fact that the intellectual world of our era has been seduced by a fashion that had taken hold early in the twentieth century.
What is this oddly seductive idea?  It is the notion that human beings are born as blank slates.That is, humans have no preprogrammed behavioral and emotional inclinations.  If humans are indeed born blank then they can be programmed in any way that society deems appropriate. This idea fit perfectly with a certain brand of radical politics.  If people start out as blank slates, then a utopian socialist society of true equality and happiness can be created by leaders of great wisdom.  There is a busybody arrogance in this kind of thinking (guess who the proposed leaders will be). 
Does this sound Marxist?  Well, it is.  Am I being judgmental, am I being sarcastic?  You bet I am!  Is this idea obsolete?  It should be, but, within the walls of Academia and the trenches of Progressive Politics, the idea still rings with powerful echoes.
Actually, many scientific studies have developed convincing data which should have put this idea to bed long ago.  Most notable are the identical twin studies.  Such twins, reared separately, and with no mutual contact, are usually remarkably similar in behavior.  Conversely, adopted children, genetically different, but raised in the same family and environment, turn out very different. 
Then, too, there are wide variances in intelligence and talents.  Some things that are easy for one person are impossible for someone else.  That is obvious.  And yet, the very idea is bitterly reviled by many people who regard themselves as intellectuals.  Nonetheless, we all have practical experience with the idea that humans are not entirely the product of their environment.  Let us consider a couple of examples.
Four decades ago I was on an expedition into a little explored region of Africa.  There, we encountered a tribe which was completely unknown to the outside world and which knew nothing of that larger world.  This tribe was pre Neolithic.  They had successfully domesticated bees and had a very primitive kind of agriculture.  But the evidence was that they did not fully understand the connection between seeds and plant growth.  It was some kind of magic.
So, what happened when we, with twelve thousand years of further cultural development, came in contact with these Paleolithic people – with no spoken language or technology in common?  Actually, we all got along just fine.  Our body language turned out to be the same.  Our sense of propriety -- do’s and don’ts -- were the same.  And, surprisingly, there was a lot of communication amid the mutual laughter. Tell me again about blank slates.
The second, more contemporary, area where the blank slate concept has been extensively tested is in the arts.  If people are indeed completely malleable then they can be trained to love any kind of art.  With this in mind, composers started creating atonal and highly dissonant music.  Audiences hated it.  And they still do – despite the pressure to conform to modern fashion. 
The world of painting went through a similar period of experimentation with the idea of full human programmability.  Representation was deliberately broken down into complete abstraction.  That’s okay -- all art is, to a greater or lesser degree, abstract. And sometimes fully abstract art can be profound, or entertaining.  Witness Mark Rothko’s emulation of the vast spaces of the American West.  Or, the delights of Kandinski’s whimsical kaleidoscopes.
Unfortunately, people being what they are, most of these modernist experiments failed.  The results were ugly, or incomprehensible.  If you have any doubt about this just walk into any modern art museum and observe what is on the floor and the walls. The Smithsonian Hirshhorn Museum provides many excellent demonstrations of the ugliness of much contemporary art. So also are Francis Bacon’s portraits of his patrons as decomposing corpses. Then, too, there are scribbles pretending to be art and intended as a deliberate insult to the masses. 
In what was probably a childish reaction to the popular rejection of the new art, Progressives converted these artistic “experiments” into instruments of political aggression. Ugliness was deliberately promoted as a perverted positive value. Its purpose was made clear to me one evening, long ago.  It was at a Hollywood party that I chanced to chat with a film composer.  I thought I understood the uses of atonality in film scores but, to confirm my suspicions, I asked the composer if he used those techniques.  He did, but sparingly.  He used them to create tension, disorientation, to induce depression.
Induced depression. That is what is going on in much of today’s popular music, and the other arts. A lethal attack on our nation does not have to be military in nature. It can come through the destruction of our culture and our morale.  Really listen to contemporary popular music.  It has split into two incompatible strains. 
On the one hand we have brutal, heavy and highly dissonant music – often a type of monotonic chanting to pounding rhythms.  The words are those of violence and despair.  This is music that is deliberately intended to create depression and a loss of morale.  This music is full of hate, but it is seductive to immature minds that are still subject to peer pressure.  I live in a deep blue state and this type of music is all around me.
On the other hand we have newly composed, and beautifully performed, lyrical songs – some of them religious, some of them Country, some of them just plain lovely.  This type of music is popular in many parts of the nation, and outside of the cities in this state, as well.  As it was when I was young, people in those other parts of the country, but no longer in this, still sing – together and by themselves.
Which of these conflicting cultures will win out?  Beauty, of course.  I leave you with this:  About five thousand years ago a flute was deposited in an Egyptian tomb.  This now fragile instrument was carefully replicated in modern wood.  When played, this replica, to everyone’s surprise, produced our modern harmonies and could fit nicely in a modern orchestra.  Really, it should not have been a surprise.  Our musical scale is derived from the harmonics of a string and the very ancient Egyptians had stringed instruments.  But there is a deeper message:  The harmonics of strings and the harmonies that this instrument produced are, for unknown reasons, tuned to something that is deep within us.  Triads are harmonious, closer intervals are dissonant.  We are not blank slates.  Some sounds, some images, reach something primal within us.  We find them beautiful.  Art which resonates with those primal human elements will survive and flourish – and so will the associated culture.  Attacks on us by Progressives, through the arts, will have little impact in the long run.  We will survive quite nicely, thank you!