"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

A FARRA DO BNDES


Hoje vou abordar um assunto que considero “a joia da coroa” do assalto feito aos cofres públicos do Brasil.
Um crime que tem as digitais de vários partidos, com forte predominância das do PT e seus simpatizantes e/ou dirigentes. Aqueles mesmos que se acham “injustiçados e perseguidos” por uma elite coxinha e por uma mídia comprometida com a direita latino-americana e mundial, grandes inimigos dos “programas sociais” elaborados pelo Foro de São Paulo, criado com o fim único de encher os bolsos dos líderes bolivarianos.
Refiro-me ao assalto continuado, realizado de maneira vergonhosa ao caixa do BNDES.
Como exemplos, apenas para citar os mais conhecidos, temos:
  1. A doação de mais de 1.6 milhões de reais ao MST, movimento que não tem personalidade jurídica nem gera empregos;
  2. A doação de 600 mil reais ao Instituto Paulo Freire para promoção de palestras ministradas por LULA, FREI LEONARDO BOFF e FERNANDO HADDAD;
  3. A doação de 100 mil reais ao Sindicato dos Químicos do ABC – mais um braço do PT – destinado à publicação de um livro com tiragem de 3.000 exemplares.
Estão achando pouco? Então vejam e somem (com uma calculadora, por favor) os financiamentos e perdões de dívidas ao exterior:
  1. República Dominicana = 8 bilhões de dólares;
  2. Argentina = 8 bilhões de dólares + 600 milhões de dólares para compra de aviões da Embraer (que a Sra. KIRCHNER evidentemente não pagou);
  3. Venezuela = 11 bilhões de dólares (metrô e outras obras);
  4. Bolívia = 200 milhões de dólares (Projeto de infraestrutura EL NORTE);
  5. Nicarágua = 1.5 milhões de dólares (Projeto da hidrelétrica de Tumarín);
  6. Moçambique = 200 milhões de dólares (construção do aeroporto de Nacala) + 460 milhões de dólares (construção da Barragem de Moamba);
  7. Equador = 125 milhões de dólares (construção da hidrelétrica de Manduriacu);
  8. Cuba = 110 milhões de dólares (reforma do porto de Mariel) + 170 milhões de dólares (modernização de cinco aeroportos);
  9. Guiné Equatorial = 2 bilhões de dólares de PERDÃO de DÍVIDA (o filho do velho ditador local veio, depois, passear no carnaval carioca com honras de um “premier” e comprar uma bela e caríssima cobertura em Ipanema, na Av. Vieira Souto defronte ao mar).
Pessoal, estamos falando de MAIS de UM TRILHÃO E SETECENTOS MILHÕES DE DÓLARES, cerca de CINCO TRILHÕES E MEIO DE REAIS (quase o dobro da nossa dívida interna) ao câmbio oficial de hoje.
E isto que todas as informações sobre as operações do referido Banco de Desenvolvimento oficial eram (ou foram) consideradas um segredo de Estado, guardadas sob o mais severo sigilo.
Esta “festa” patrocinada com o dinheiro público deve ter rendido muitos milhões de dólares de propina. E a desculpa fajuta de que os financiamentos trouxeram benefícios ao país porque foram feitos através de construtoras brasileiras, não se sustenta ao lembrarmos que o desastre de Mariana/MG não recebeu nenhum incentivo financeiro do BNDES.
Se os nossos congressistas tiverem um resquício de seriedade irão realizar uma completa CPI para buscar punir a todos os beneficiários, diretos ou indiretos, desta farra irresponsável.
O Brasil decente exige isto!
 Marcelo Aiquel – advogado (31/10/2016)

Nenhum comentário:

Postar um comentário