"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

sábado, 31 de dezembro de 2016

A CONSULTA DO PACIENTE SEM HISTÓRIA.

Milton Pires.

- Bom dia, tudo bem??

- É ...se estivesse “tudo bem” eu não 'tava aqui né, doutor??

O que um ser humano, não necessariamente um médico, mas alguém capaz de fazer História, deveria responder é o seguinte:

- Seu pensamento só tem lógica, seu raciocínio só pode ser verdadeiro, se tudo aquilo que o senhor viveu até hoje e aquilo que ainda tem pela frente se resumisse a este momento ...a esta sua consulta agora...Não estou lhe perguntando nada sobre seu corpo nem sobre sua doença – essa pergunta é sobre sua VIDA. A VIDA é mais do que o corpo e mais do que a doença – ela é feita de História.

Animal algum que responde para um médico dentro de UPA como este paciente acima respondeu é capaz de se dar conta disso. Se fosse, não se preocuparia com o resultado de "Olaria x Criciúma", não assistiria “Faustão”, não votaria num marginal como Lula...não procuraria uma UPA com “coceira no pé” a uma hora da manhã do dia 31 de dezembro...

Apesar disso, há ainda aqueles que dizem que ele “não tem história”, que ele só é esse “animal” mal-educado porque “não teve chance”, porque alguém lhe tirou a História e a própria Esperança … que alguém lhe “deve alguma coisa”...que ele é “excluído”, “segregado”, “despossuído” por culpa até mesmo do “médico que lhe atende naquele momento”

O Ministério da Saúde pode colocar um médico ou dez a cada doze horas dentro de uma UPA. Jamais vai funcionar como deveria porque jamais deveria funcionar de maneira alguma.

UPAS existem para esconder que faltam Hospitais e Postos de Saúde no Brasil.

O problema do Brasil NÃO é a Saúde...é a Esperança e a Esperança NINGUÉM tira de NINGUÉM.

Ela desaparece sozinha porque a pessoa se entrega, ela desiste porque finalmente compreende que só pode existir Esperança onde existe Justiça e que ela mesma não tem História.



31 de dezembro de 2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário