"O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso." (Hannah Arendt 1906-1975)

sábado, 22 de julho de 2017

ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA PETISTA DEU 723.000.000.000 (BILHÕES) DE REAIS A AMIGOS ESCOLHIDOS

EXCLUSIVO: GOVERNOS DO PT DERAM 723 BILHÕES EM SUBSÍDIOS A ESCOLHIDOS:

O Antagonista obteve em primeira mão nota técnica elaborada pela Secretaria de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda com levantamento de benefícios financeiros e creditícios concedidos pelo governo federal de 2007 a 2016.

O valor assusta: R$ 723 bilhões...



uploads%2F1500685098469-BENEFICIOS.png


Momento Antagonista: O rombo de quase 1 trilhão deixado pelo PT

Momento Antagonista: O rombo de quase 1 trilhão deixado pelo PT:

Claudio Dantas comenta o rombo de R$ 723 bilhões deixado pelas gestões do PT com a concessão de subsídios a empresários amigos. Entenda também o arquivamento da investigação contra os caciques do PMDB.



uploads%2F1500688936443-20170721_230058.


sexta-feira, 21 de julho de 2017

Macat Analysis Videos- Introductions to the World's Greatest Ideas

Estudantes da UFRGS denunciam fraudes no ingresso por cotas raciais

Estudantes da UFRGS denunciam fraudes no ingresso por cotas raciais:

Estudantes da UFRGS denunciam fraudes no ingresso por cotas raciais
Um grupo de estudantes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) entregou à instituição de Ensino Superior uma denúncia em que diz reunir centenas de casos de fraude à política de cotas raciais. Na UFRGS, como definido por lei federal, parte das vagas é reservada para pretos, pardos e indígenas. De acordo com o Movimento Balanta, responsável pela denúncia, cerca de 400 pessoas brancas fraudaram a autodeclaração racial e ingressaram na instituição por meio das cotas raciais.

"Convém ser negro para essas pessoas brancas quando isso possibilita roubar a vaga de estudantes negros, negras e indígenas, entrando na universidade sem ter que enfrentar diariamente com o racismo genocida brasileiro", afirmou o grupo, em uma postagem no Facebook.

Leia mais:
Aumento de denúncias leva UFRGS a estudar critérios contra fraudes raciais
Com 50% de vagas para cotistas, UFRGS mira diversidade

A Coordenadoria de Acompanhamento do Programa de Ações Afirmativas (CAF) da universidade informa que aumentou, nos últimos meses, o número de denúncias registradas. No início do ano, a Reitoria da UFRGS constituiu uma comissão de estudos sobre possíveis critérios para a verificação da autodeclaração, visando elaborar instrumentos adicionais que possibilitassem garantir a devida destinação das vagas reservadas às ações afirmativas.

"As denúncias sobre a existência de cerca de 400 alunos da UFRGS, supostamente fraudadores, de iniciativa dos coletivos negros da Universidade, é compreendida como busca de resguardo da política de ações afirmativas e representam a legítima atuação no controle social realizado pelos movimentos sociais, especialmente o movimento negro", informou a instituição.

O movimento espera que os alunos denunciados tenham sua matrícula reavaliada. Conforme a UFRGS, o caso será transformado em processo disciplinar encaminhado à ouvidoria da UFRGS, que remete essas denúncias à Pró-Reitoria de Graduação, órgão que estabelece o vínculo dos estudantes classificados no vestibular e no Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Para esse fim, a universidade informa que constituiu uma comissão para efetivar a apuração das denúncias por meio de processos administrativos individuais — atualmente, seriam oito em andamento.

A reportagem tentou falar com representantes do movimento para saber como chegou ao número de fraudes e obter mais informações sobre a denúncia, mas não conseguiu contato até a publicação desta matéria.

POLÍBIO BRAGA - LGTB de Porto Alegre não terá mais dinheiro dos contribuintes de Porto Alegre


O prefeito Marchezan Júnior decretou que não sairá um só tostão da prefeitura para a Parada Gay de Porto Alegre, programada paro dia 26 de novembro.

Não sairá dinheiro do povo sequer para palco, luz, sistema de som, trio elétrico e banheiros químicos.

A ONG Nuances procurará verbas (R$50 mil) junto aos gays, lésbicas e transsexuais.

FONTE - POLÍBIO BRAGA

JOGADA ENSAIADA - Pacientes dos SUS colocados em filas de madrugada por MARGINAIS DO GOVERNO são assaltados por MARGINAIS DE RUA.


Moradora de Muriaé, Fernanda Nogueira Dutra foi assaltada na fila do Instituto de Endocrinologia e Diabetes (IEDE), no Centro Foto: Fabiano Rocha / Agência O Globo

20/07/17 10:42 Atualizado em 20/07/17 10:45


Um "golaço" do CRIME no Brasil: Pacientes são assaltados enquanto esperam atendimento em fila de hospital.


RIO - Além de amargarem a penúria do sistema de saúde do estado por causa da crise financeira, pacientes do Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia (IEDE), cujo laboratório está fechado há três meses, tiveram que viver outros dramas nesta quinta-feira. Na porta da unidade, na rua Moncorvo Filho 90, no Centro, pelo menos quatro pacientes que aguardavam na fila desde a madrugada foram assaltados por um grupo de quatro bandidos — entre eles uma mulher — que chegaram num carro.
Por volta das 5h, os criminosos saltaram do veículo com armas em punho e roubaram pacientes que vieram ao Rio de outras cidades e até de outro estado. Eles roubaram a mochila de uma criança de aproximadamente 10 anos que veio de Campos com a mãe para se tratar no Instituto, além de celulares, documentos e jóias de outras pessoas. Fernanda Nogueira Dutra, 32 anos, de Muriaé, Minas Gerais, perdeu o celular e a bolsa com documentos.
— Chegamos às 5h da manhã e ficamos na fila. Tinham umas quatro pessoas. E aí, de repente, parou um carro com um monte de gente. Mulher, homem... e foram puxando tudo da gente. Estavam armados, ninguém reagiu. Como é que a gente ia reagir? Deixamos levarem. Uma pessoa que estava na fila foi embora, porque eu tinha avisado que o laboratório de sangue não estava funcionando. Ela tinha acabado de sair. Uma senhora com uma criança entrou para ir ao banheiro — disse Fernanda chorando.
Fernanda disse que chegou a pedir ao segurança da cabine do IEDE para aguardar na parte interna do Instituto, por causa do horário. No entanto, não recebeu autorização e teve todos os seus pertences roubados. O segurança nem teria visto o crime no local.
— Eu tinha falado com segurança (da cabine do Instituto) para deixar a gente entrar, porque eram 5h da manhã. Mas ele disse que não tinha ordem para deixar o pessoal ficar ali e ninguém viu nada. Roubaram tudo da gente. Estou sem documento, sem dinheiro, sem nada. Liguei para minha amiga para me ajudar. Ela veio me buscar para tentar pegar um documento para eu poder ir embora, e ainda preciso registrar um BO (boletim de ocorrência) — contou ela.

Bandidos assaltaram pessoas na fila no Instituto de Endocrinologia e Diabetes (IEDE), no Centro do Rio
Bandidos assaltaram pessoas na fila no Instituto de Endocrinologia e Diabetes (IEDE), no Centro do Rio Foto: Fabiano Rocha / Agência O Globo

DIFICULDADE PARA REGISTRAR CRIME
Além do sofrimento de ter perdido a bolsa com documentos e o celular, Fernanda ainda passou por outro constrangimento. Com ajuda de uma amiga, a técnica de enfermagem aposentada Maria de Lourdes Aquino, foi na 17ª Delegacia de Polícia (DP), em São Cristóvão, para tentar registrar o assalto. Mas não foi possível, já que, segundo Maria de Lourdes, um policial identificado como inspetor Luiz se recusou a fazer o registro justificando tratar-se de uma pessoa de outro estado.
— Ele não quis registrar, porque ela estava sem identidade e sem CPF. Se o documento dela fosse do Rio, tudo bem, mas é de Muriaé. Então não pudemos registrar — lamentou Maria de Lourdes.
Depois, com a ajuda da amiga, Fernanda conseguiu pegar a cópia dos documentos no Instituto de Diabetes e Endocrinologia. Ela seguiu para 4ª DP (Central do Brasil) para fazer o registro do assalto e deu mais detalhes de como o assalto aconteceu.
— Uma mulher magra, morena, desceu do carro e pegou as coisas da gente. Tinham umas quatro pessoas na fila. A mãe e o pai da criança tinham entrado no IDE para ir ao banheiro e deixaram ela comigo. Aí (os bandidos) chegaram num carro chique. Achei que fosse gente para entrar na fila. Mas saltou do carro com uma arma. Eu entreguei o celular e falei: "Pelo amor de Deus, não leva a bolsa, que só tinha roupa e documentos daqui do Instituto". Mas foi puxando e levou tudo. Gritamos por socorro. Eram pessoas, mas fazer o quê? Tinha um homem, parece que guardador de carro, que disse que só deu tempo de guardar o celular.
Uma mulher que chegou minutos depois do assalto contou o que ouviu:
— Cheguei minutos depois do assalto e as pessoas estavam apavoradas. A filha de 8 a 10 anos de uma das mães, que vieram de Campos, ficou em pânico ao ter que entregar sua mochila. A mãe dela tinha ido ao banheiro e quando ouviu os gritos da filha correu para socorrê-la. Eu vim de Casimiro de Abreu com meu marido em uma van que a prefeitura cede para nós. Graças a Deus que não houve nada de mais com elas fisicamente, porque a violência não tem hora nem lugar — comentou Crenilda Oliveira.
Uma equipe de reportagem do "Bom Dia Rio", da TV Globo, foi a primeira a chegar no Instituto logo após o assalto. Às 5h20m, A equipe telefonou para o 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM) avisando sobre o assalto. Mas somente às 7h um carro da Polícia Militar apareceu. em frente ao Instituto com policiais. Alguns pacientes que foram assaltados ainda estão dentro do Instituto a espera de atendimento.
OUTRO LADO
"Segundo informações do 5º BPM (Praça da Harmonia) policiais foram acionados na manhã desta quinta-feira (20/07), para verificar um assalto no Instituto de Diabetes que fica na rua Moncorvo Filho, Centro. No local, os agentes foram informados que bandidos estavam roubando pacientes que estavam na fila para consulta. Os policiais fizeram um cerco, mas não conseguiram capturar os assaltantes. De acordo com eles, ninguém quis ir á delegacia registrar o caso".

Não conseguem me derrotar e querem ganhar na Justiça, diz Lula



Não conseguem me derrotar e querem ganhar na Justiça, diz Lula:

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou nesta quinta feira de um ato na Avenida Paulista, em São Paulo, contra a sua condenação na Operação Lava Jato. Sentenciado pelo juiz federal Sergio Moro a nove anos e meio de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, Lula reafirmou o discurso de que a condenação se deu sem provas e é parte de uma perseguição política para evitar sua candidatura à Presidência em 2018.

“Como não conseguem me derrotar na política, eles querem me derrotar no processo. É todo dia processo, é todo dia depoimento, todo dia inquérito”, afirmou, do alto do trio elétrico estacionado em frente ao Museu de Arte de São Paulo (Masp).

Na única vez em que citou Moro em seu discurso, Lula declarou que a força-tarefa da Lava Jato não provou que ele recebeu “sequer cinco centavos” no petrolão. O petista foi condenado por ter sido beneficiado com 2,2 milhões de reais em propina da empreiteira OAS por meio da construção e a reforma de um tríplex no Guarujá (SP).

“Eu gostaria até que o Ministério Público da Lava Jato, a Polícia Federal da Lava Jato e o juiz Moro, se tiverem uma denúncia com uma prova de que o Lula recebeu cinco centavos, por favor me desmoralizem. Façam um processo e me prendam se eu fizer algo ilegal na vida.”

O restante da fala do petista diante de militantes de movimentos sociais, de centrais sindicais e partidos de esquerda foi destinado a críticas ao presidente Michel Temer (PMDB) e à defesa de eleições diretas.

“Derrubaram a Dilma quando ela tinha 8% [de popularidade]. Temer tem 3%, é menos que a margem de erro da Folha de S. Paulo. Se o Temer tivesse o mínimo de compromisso com o país, ele renunciaria e mandaria uma emenda ao Congresso convocando eleição direta em caráter emergencial pra escolher o homem ou a mulher que vai dirigir esse país”, disse Lula. A ex-presidente Dilma Rousseff (PT), que a princípio participaria do ato na Paulista, não compareceu.

Além do peemedebista, o discurso do petista mirou o Congresso, o Judiciário e a imprensa, alvo recorrente do ex-presidente.

“Esse país está sem autoridade e credibilidade. O poder Judiciário já não cumpre sua função de garantir a Constituição. Nós sabemos que o presidente não apita nada, nós sabemos que a Câmara e o Senado estão desacreditados e sabemos do desgaste dos partidos políticos”, enumerou Lula.

O ato em desagravo a Lula foi convocado pela Frente Povo Sem Medo, que inclui, entre outros, a Central Única dos Trabalhadores (CUT), o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e a Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB). Além de atacarem a condenação do ex-presidente, com o lema “eleição sem Lula é fraude”, os manifestantes protestaram contra as reformas previdenciária e trabalhista do governo Temer.

Outras capitais tiveram manifestações a favor do petista nesta quinta. Simpatizantes do ex-presidente fizeram atos tímidos na Cinelândia, no Rio de Janeiro, e na Praça dos Três Poderes, em Brasília. Protestos com baixa adesão também ocorreram em Belo Horizonte, Salvador, Florianópolis, Fortaleza, Porto Alegre, Aracaju, entre outras cidades.


(Ricardo Matsukawa/VEJA.com)" description="O ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva">

(Ricardo Matsukawa/VEJA.com)" description="Protesto em apoio ao ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva">

(Ricardo Matsukawa/VEJA.com)" description="O ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva">

(Ricardo Matsukawa/VEJA.com)" description="O ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva">

(Ricardo Matsukawa/VEJA.com)" description="Protesto em apoio ao ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva">

(Ricardo Matsukawa/VEJA.com)" description="Gleisi Hoffmann">

(Ricardo Matsukawa/VEJA.com)" description="Protesto em apoio ao ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva">

(Ricardo Matsukawa/VEJA.com)" description="Protesto em apoio ao ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva">

(Ricardo Matsukawa/VEJA.com)" description="O ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva">

(Ricardo Matsukawa/VEJA.com)" description="Protesto em apoio ao ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva">

(Ricardo Matsukawa/VEJA.com)" description="O ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva">

(Ricardo Matsukawa/VEJA.com)" description="Protesto em apoio ao ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva">

(José Lucena/Futura Press/Folhapress)" description="Protesto em defesa de Lula e Dilma/contra Michel Temer - RIO">

(José Lucena/Futura Press/Folhapress)" description="Protesto em defesa de Lula e Dilma/contra Michel Temer - RIO">

(Marlon Costa/Futura Press/Folhapress)" description="Protesto contra condenação do ex-presidente Lula no Recife.">

Arquivado em:Política

Anexos originais:


ad516503a11cd5ca435acc9bb6523536?s=96&r=G


Lula: “Você não sabe o que esse moleque sofreu por ser dono da Friboi”

Lula: “Você não sabe o que esse moleque sofreu por ser dono da Friboi”:

Bem, antes de mais nada gostaríamos de dizer que o vídeo abaixo é comovente […] se você tem problemas cardíacos ou tendência à depressão, por favor, não assista!
Em um depoimento comovente feito ontem (20), Lula faz um apelo ao juiz Sérgio Moro:
“Então eles (a PF e o MPF) apresentam uma desgraça de um power-point em que eles criam uma fantasia […] e na fantasia deles eu sou o chefe e escolhi todo mundo pra roubar”
E agora a parte triste:
“Eu peço ao Moro (se ele estiver me ouvindo), ao grupo de procuradores da Lava-Jato e à PF que apresentem uma prova, nem que for um pedaço de papel higiênico assinado. Pelo amor de Deus, porque assim vocês me ajudam.”
“A internet passou 6 anos falando que meu filho era dono da Friboi. Você não sabe o que esse moleque sofreu por ser dono da Friboi”
PS: Nós não inventamos nada ... foi o próprio petista que disse isso 'sem querer querendo'. Confira no vídeo abaixo:




abaixo o vídeo original e sem cortes para não haver dúvidas sobre a fala do ex-presidente (minuto 57:40):






Marcos Valério diz que Andrade Gutierrez pagou sua defesa no mensalão, a mando do PT

Marcos Valério diz que Andrade Gutierrez pagou sua defesa no mensalão, a mando do PT:



6019415_x720.jpg
Imagem: Reprodução / Redes Sociais
O operador Marcos Valério Fernandes relatou, em acordo de colaboração premiada assinado com a Polícia Federal (PF), que a Andrade Gutierrez teria pago, em 2005, R$ 5 milhões aos advogados das empresas de publicidade mineiras investigadas no processo do mensalão, das quais era sócio. Em seu relato, Valério contou ter sido informado por Paulo Okamotto, então presidente do Sebrae e braço-direito do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sobre o pagamento aos advogados, que teria como objetivo tentar proteger o governo. Para ter valor jurídico, a colaboração de Valério depende de homologação do Supremo Tribunal Federal (STF).
Mais informações »


Delírio na Paulista

Delírio na Paulista:

Não da massa, que não compareceu, mas de Lula:



uploads%2F1500598750687-20170720_215851.


A massa cabe em um quarteirão

A massa cabe em um quarteirão:

A "multidão" que foi defender Lula na Paulista:



uploads%2F1500595616795-Screen+Shot+2017


21 de Julho de 1542: O Papa Paulo III cria a Congregação do Santo Ofício

640px-Titian_-_Pope_Paul_III_-_WGA22962.

21 de Julho de 1542: O Papa Paulo III cria a Congregação do Santo Ofício:

O Santo Ofício foi fundado pelo Papa Paulo III em 21 de Julho de 1542 para combater a heresia. Tem as suas raízes num tribunal romano chamado a “Inquisição Romana”, fundado por Inocêncio III no século XIII, para confrontar os albigenses. No século XVI, devido aos avanços do protestantismo, Paulo III reorganizou a Inquisição Romana fazendo dela o supremo tribunal doutrinário para todo o mundo. O Santo Ofício teve seu nome mudado em 1966 para Congregação para a Doutrina da Fé.

O condenado pelo Santo Ofício era muitas vezes responsabilizado por uma "crise da fé", pestes, terramotos, doenças e miséria social, sendo entregue às autoridades do Estado, para que fosse punido. As penas variavam desde o confisco de bens e perda de liberdade, até à pena de morte, muitas vezes na fogueira. O seu significado era basicamente religioso, simbolizava a purificação, configurando a ideia de desobediência a Deus e ilustrando a imagem do Inferno.

Fortemente influenciada pelo poder civil, a Inquisição tornou-se, por vezes, meio de desembaraçar-se de inimigos políticos indesejáveis e culpada de crueldades e torturas que hoje são vigorosamente repudiadas.

A Inquisição Medieval desenvolveu-se como instituição nas primeiras décadas do século XIII, quando foram constituídos tribunais eclesiásticos para julgar os albigenses. De acordo com os decretos do Concílio Francês (1229) em cada paróquia devia instalar-se um tribunal eclesiástico presidido por um legado de Gregório IX e constituído por um sacerdote e dois leigos.

Estes tribunais foram substituídos pela Inquisição Papal, instituída directa­mente por Gregório IX, confiada por ele aos dominicanos. Entre 1230 e 1235, Gregório IX enviou inquisidores a várias partes da Europa para julgar casos de suspeita de heresia. Estes juízes constituíram a Inquisição Medieval. Embora nomeados pela Santa Sé, só era permitido aos inquisidores trabalhar com a cooperação do bispo diocesano.

Quando um acusado de heresia era levado ante a Inquisição, a confissão e o arrependimento davam como resultado apenas um castigo simbólico. Porém, se o acusado se obstinava na sua heresia, era entregue às autoridades seculares, pois o estado considerava a heresia uma traição à pátria. Ao réu era negada a defesa, permitia-se o testemunho de hereges e excomungados contra eles e  usavam-se  muitas vezes torturas cruéis para arrancar confissões. 
Uma variante da Inquisição Medieval foi a Inquisição Espanhola fundada pelos Reis Católicos em 1478, que julgavam a uniformidade religiosa desejável e útil ao Estado. Exerceram grande pressão sobre judeus e mouros para que se convertessem ao cristianismo. Para evitar a expulsão do país, muitos cederam. Diante de incontáveis denúncias, fundamentadas amiúde em questiúnculas pessoais, os reis criaram a Inquisição para examinar a sinceridade das convicções cristãs de suspeitos hereges.

Os principais inquisidores eram sempre clérigos aprovados pela Igreja. Judeus e mouros convertidos, chamados cristãos novos ou marranos, despertavam mais facilmente a suspeita de ter recaído na heresia. Eram logo denunciados à Inquisição, julgados e punidos. Outros crimes além de heresia estavam sob a jurisdição deste tribunal. 
Fontes: Opera Mundi
wikipedia (imagens)
640px-Rafael_-_Alessandro_Farnese.jpg

Cardeal Alessandro Farnese, futuro Paulo II - Rafael

AÇÃO & REAÇÃO - Resposta para "Casa Grande e Senzala" CIRCULANDO PELAS REDES


quinta-feira, 20 de julho de 2017

"O SUS É PERFEITO"


MAIS UM MOTIVO PARA MÉDICOS SE AFASTAREM DO SUS


Petistas fazem imagem para comparar Lula com Jesus e causam revolta

Petistas fazem imagem para comparar Lula com Jesus e causam revolta:



8.png
Imagem: Reprodução / Redes Sociais
Militantes petistas da cidade de Recife utilizaram, em um ato com cerca de 20 pessoas, uma cruz em que a imagem do ex-presidente Lula, condenado a nove anos e meio de cadeia, é colocada em uma cruz, juntamente com a imagem de Jesus Cristo, com os dizeres "condenados sem provas". Também voltaram a circular nas redes sociais imagens de um protesto realizado em Recife em setembro do ano passado, em que sindicalistas já tinham colocado a imagem de Lula em uma cruz, comparando-o a Jesus Cristo. As comparações ofenderam profundamente diversos grupos cristãos. 
Mais informações »

URGENTE - MORO MANDA BLOQUEAR R$ 9 MILHÕES DE PLANOS DE PREVIDÊNCIA DE LULA



R$ 9 MILHÕES DE PLANOS DE PREVIDÊNCIA DE LULA SÃO BLOQUEADOS:

R$ 9 MILHÕES DE PLANOS DE PREVIDÊNCIA DE LULA SÃO BLOQUEADOS


A Brasilprev, empresa de previdência complementar do Banco do Brasil, bloqueou 9 milhões de reais em planos de Lula, atendendo à decisão do juiz Sergio Moro, que acolheu pedido do MPF para sequestrar os bens do ex-presidente após condenação no caso do triplex.
O petista tinha dois planos: um em nome dele e outro empresarial em nome da LILS.

Janaína Paschoal pressiona o STF para que aprove delação de Marcos Valério: 'A Lei é clara: Marcos Valério tem direito a fazer a delação; o Brasil tem interesse em ouvi-lo. Peço ao STF que homologue o acordo com a PF!'

Janaína Paschoal pressiona o STF para que aprove delação de Marcos Valério: 'A Lei é clara: Marcos Valério tem direito a fazer a delação; o Brasil tem interesse em ouvi-lo. Peço ao STF que homologue o acordo com a PF!':

janaina-stf.png
Imagem: Produção Ilustrativa / Gazeta Social


A professora de Direito Janaína Paschoal, autora do pedido de impeachment de Dilma, fez um apelo aos ministros do STF para que homologuem a delação de Marcos Valério, que há anos tenta um acordo. 
Mais informações »

As barbaridades de Gleisi no Foro de São Paulo

Jornalista destroça Gleisi após ela chamar Moro de covarde: 'E você é um...

20 de Julho de 1969: Neil Armstrong torna-se o primeiro homem a pisar a Lua

20 de Julho de 1969: Neil Armstrong torna-se o primeiro homem a pisar a Lua:

No dia 20 de Julho de 1969, o astronauta norte-americano Neil Armstrong, torna-se o primeiro homem a pisar a lua. Naquele dia, após descer do módulo lunar Eagle (águia), ele pronuncia estas palavras:“Este é um pequeno passo para o homem, mas um  salto gigantesco para a humanidade".
 
O esforço norte-americano de enviar astronautas à lua teve origem num apelo do presidente John Kennedy feito numa sessão especial conjunta do congresso, em 25 de Maio de 1961. "Acredito que esta nação pode comprometer-se em atingir este objectivo antes que esta década termine, em colocar um homem na lua e fazê-lo retornar à Terra", disse o presidente na ocasião.

Na época, Os Estados Unidos ainda estavam atrás da União Soviética em conquistas espaciais. A corajosa proposta de Kennedy foi bem recebida pela opinião pública norte americana. Em 1966, após cinco anos de trabalho feito por uma equipa internacional de engenheiros e cientistas, a NASA dirigiu a primeira missão Apolo não tripulada, testando a integridade estrutural do veículo de lançamento proposto combinado com a nave espacial. Em 27 de Janeiro de 1967, uma tragédia abateu-se no centro espacial de Cabo Canaveral, quando o fogo se instalou na cabine da Apolo ainda na plataforma de lançamento. Três astronautas morreram no acidente.

A despeito do contratempo, a NASA prosseguiu e, em Outubro de 1968, a missão Apolo 7, a primeira tripulada, orbitou a Terra e testou com sucesso muitos dos sofisticados sistemas necessários para concretizar uma viagem à lua. Em Dezembro do mesmo ano, a Apolo 8 levou três astronautas ao lado oculto da lua, trazendo-os de volta. Em Março de 1969, a Apolo 9 testou o módulo lunar pela primeira vez em órbita terrestre. Em Maio, finalmente, os três astronautas da Apolo 10 fizeram o primeiro voo orbital em torno da lua num ensaio geral para a missão de desembarque lunar programada para Julho.

No dia 16 de Julho, a Apolo 11 parte do Centro Espacial Kennedy com os astronautas Neil Armstrong, Edwin Aldrin Jr.e Michael Collins a bordo. Armstrong, um piloto de provas civil de 38 anos, era o comandante da missão. Depois de percorrer 385 mil quilómetros em 76 horas, a Apolo 11 entrou em órbita lunar no dia 19 de Julho. No dia seguinte, o modulo lunar Eagle, tripulado por Armstrong e Aldrin, separou-se do módulo de comando, onde Collins permaneceu. Duas horas mais tarde, o Eagle começou a sua descida à superfície lunar. 
Cinco horas após a programação oficial, Armstrong abriu a escotilha do módulo lunar. À medida que descia a escada do módulo lunar, uma câmara de televisão acoplada ao aparelho registava as suas acções e transmitia o sinal à Terra, onde centenas de milhões de olhos colados às televisões o acompanhavam com enorme excitação. Entretanto Armstrong pronuncia a sua famosa frase, que mais tarde sustentou ter sido levemente alterada. 

"Buzz" Aldrin juntou-se a ele posteriormente e juntos tiraram fotos do terreno, colocaram uma bandeira dos Estados Unidos, fizeram algumas experiências científicas simples e falaram com o presidente Nixon via Houston. Entretanto ambos os astronautas regressaram ao módulo lunar e a escotilha foi fechada. Os dois dormiram naquela noite na superfície da Lua. Já no dia 21 a Eagle começou a levantar voo lentamente para se acoplar novamente ao módulo de comando. Entre os vários itens deixados na superfície da lua havia uma placa que dizia: "Aqui, homens do planeta Terra pisaram pela primeira vez o solo da lua – Julho de 1969 d. C.. Viemos em paz em nome de toda a humanidade."  

. Fontes: Opera Mundi
  wikipedia (imagens)
800px-Apollo_11.jpg
Neil ArmstrongMichael Collins e Edwin Aldrin
640px-Buzz_Aldrin_and_the_U.S._flag_on_t
Buzz Aldrin em continência à bandeira  norte americana




quarta-feira, 19 de julho de 2017

MANIFESTO DO CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA ENTREGUE AO MINISTRO DA SAÚDE

Médicos entregaram ao ministro o Manifesto em Defesa da Saúde Pública e mais de 15 mil páginas impressas com os relatórios de fiscalização de 2.936 ambulatórios e postos de saúde, pelos CRMs
Médicos entregaram ao ministro o Manifesto em Defesa da Saúde Pública e mais de 15 mil páginas impressas com os relatórios de fiscalização de 2.936 ambulatórios e postos de saúde, pelos CRMs


Representantes do Conselho Federal de Medicina (CFM) e dos 27 Conselhos Regionais de Medicina (CRMs) entregaram ao ministro da Saúde, Ricardo Barros, um manifesto onde expõem a insatisfação dos médicos brasileiros com os rumos adotados na condução das políticas públicas para área, cujas medidas não têm sido suficientes para livrar a rede pública de assistência de um quadro crise que se arrasta há anos. O encontro aconteceu nesta quarta-feira (19), em Brasília (DF).
CONFIRA A ÍNTEGRA DO DOCUMENTO ABAIXO
Além do Manifesto em Defesa da Saúde Pública, o CFM e os CRMs entregaram mais de 15 mil páginas impressas com os relatórios de fiscalização de 2.936 ambulatórios e postos de saúde, distribuídos por todos os Estados e Distrito Federal. Nas visitas realizadas entre janeiro de 2015 e junho de 2017, os fiscais dos Conselhos encontraram uma série de irregularidades nos serviços que comprometem a qualidade dos serviços e do atendimento à população.
Inconformados com o que chamam de “abandono” do Sistema Único de Saúde (SUS), as lideranças dos Conselhos de Medicina denunciam que, diante dos inúmeros relatos de problemas na oferta de assistência à saúde para a população brasileira, nos diferentes níveis de complexidade e com base e suas prerrogativas legais, “atuarão nas esferas judiciais e extrajudiciais, inclusive em fóruns internacionais, buscando levar os gestores dos serviços prejudicados a tomarem as medidas necessárias à normalização dos atendimentos, bem como a sua responsabilização legal em casos de irregularidade”.
No Manifesto, os médicos destacaram dificuldades que têm prejudicado pacientes e profissionais ao longo das décadas. Entre elas, estão: a redução sistêmica no número de leitos; o sucateamento da infraestrutura rede de atendimento; a falta de medicamentos básicos, como penicilina; além de fatores diretamente relacionados ao desempenho da gestão, como a redução do Estado no custeio e investimento em despesas com saúde e a má administração dos serviços nas esferas federal, estaduais e municipais.

Falta de leitos – Para os conselheiros, um dos grandes gargalos atuais do SUS está na oferta limitada de leitos para internação. Em cinco anos (de 2010 a 2015), o Brasil perdeu 23,6 mil unidades desse tipo - destinados a pacientes que precisam permanecer num hospital por mais de 24 horas. O total baixou de 335,5 mil para 312 mil, no período, o que representa uma queda de 13 leitos por dia. O cálculo foi feito com base em informações do próprio Ministério da Saúde.
Para o presidente do CFM, está situação atrasa diagnósticos e tratamentos e, consequentemente, provoca aumento nas taxas de morbidade (adoecimento) e de mortalidade. Outro efeito colateral dessa redução de leitos está na sobrecarga nos serviços de urgência e emergência (prontos-socorros e prontos-atendimentos). “Há milhares de pacientes que, sem acesso aos serviços, lotam as salas de espera aguardando para fazer uma cirurgia ou pelo menos receber um cuidado, uma medicação, que alivie uma crise aguda, mas que não traz a solução definitiva para seu problema de saúde”, explica.
Psiquiatria, pediatria cirúrgica, obstetrícia e cirurgia geral são as especialidades que mais sofreram o impacto do fechamento dos leitos de internação, em nível nacional. “Na realidade atual, só resta ao usuário do SUS rezar para não adoecer, não precisar de internação hospitalar. Mas, como a doença não avisa, as filas de espera não param de crescer e o que vemos são doentes fragilizados, se acumulando em cadeiras e macas improvisadas nos corredores dos prontos-socorros”, lamenta o 1º secretário do CFM, Hermann Tiesenhausen.
Em números absolutos, os estados das regiões Sudeste e Nordeste foram os que mais sofreram redução no período. Só no Rio de Janeiro, por exemplo, pouco mais de sete mil leitos foram desativados no período. Na sequência, aparece Minas Gerais (-3.241 leitos) e São Paulo (-2.908). No Nordeste, a Bahia sofreu o maior corte (-2.126). Entre as capitais, foram os fluminenses os que mais perderam leitos na rede pública (-2.503), seguidos pelos fortalezenses (-854) e brasilienses (-807).
Terapia Intensiva -  Também foi denunciado pelos Conselhos de Medicina que apenas 505 municípios brasileiros possuemUnidades de Terapia Intensiva (UTI) no Brasil, ou seja, 10% do total. Isso deixa sem esse tipo de cobertura os moradores de 5.065 cidades. “Todos os dias nós, médicos, testemunhamos a morte de pessoas que poderiam ser salvas pela disponibilidade de um leito de UTI. Para os governos, quando um paciente morre, trata-se apenas de mais um número. Para a família, no entanto, é uma tragédia”, critica Mauro Ribeiro, 1º vice-presidente do CFM.
Segundo o levantamento do CFM, em 70% dos estados não há o número de leitos de UTI preconizado pelo Ministério da Saúde para garantir o bom atendimento de sua população. De acordo com a Portaria Ministerial nº 1.101/2002, deve existir de 2,5 a 3 leitos hospitalares por cada 1 mil habitantes. Já a oferta necessária de leitos de UTI deve ficar entre 4% e 10% do total de leitos hospitalares, o que corresponde a um índice de um a três leitos de UTI para cada 10 mil habitantes. Se consideradas as unidades públicas, o SUS conta com 0,95 leitos de UTI para cada grupo de 10 mil habitantes.
Em 19 unidades da federação, o índice de UTI por habitante na rede pública é inferior ao preconizado pelo próprio Ministério – todos os estados das regiões Norte (exceto Rondônia), Nordeste (exceto Pernambuco e Sergipe) e Centro-Oeste, além do Rio de Janeiro e Santa Catarina. No Acre, Roraima, Amapá e Maranhão o índice permanece abaixo do ideal mesmo se considerados os leitos privados disponíveis nestes estados.
A má distribuição geográfica dos leitos também é um agravante. Só o Sudeste concentra 47% das UTIs brasileiras disponíveis no SUS. Já o Norte tem a menor proporção: apenas 2.058 5,7%. Os dados revelam ainda que os sete estados da região Norte possuem juntos menos leitos de UTI no SUS do que todo o estado do Rio de Janeiro: 1.141 e 1.289, respectivamente.
Na avaliação de Mauro Ribeiro, o lado mais desumano e perverso dentro do caos que assola a saúde pública no Brasil está na falta de leitos de UTI, onde pacientes entubados em ventiladores improvisados morrem de causas evitáveis. “Por mais que os médicos e toda a equipe multiprofissional se dediquem a salvá-los, esses pacientes não estão onde deveriam estar. A gama instrumental de uma UTI, aliada à capacidade da equipe que atua nela, permite que muitas pessoas sejam salvas”, afirmou Ribeiro.
Sem conseguir acesso aos leitos, pacientes e seus familiares recorrem à Justiça. Informações do Ministério da Saúde revelam que o gasto governamental decorrente de ações judiciais que exigem, principalmente, um leito de UTI e medicamentos de alto custo, atingiu a cifra de R$ 838,4 milhões somente em 2014.

Subfinanciamento – Todas as denúncias e números negativos apresentados pelos Conselhos de Medicina têm origem na má gestão e no baixo comprometimento do Estado com as despesas em saúde no País. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), em seu último relatório (divulgado em junho), o Brasil é terceiro pior das Américas em termos de gastos públicos com a área. Os dados revelam que, em 2014, apenas 6,8% do orçamento público brasileiro foi destinado à saúde, sendo a terceira pior taxa entre os 35 países que compõem os continentes americanos – a frente apenas do Haiti e da Venezuela e abaixo da média mundial (11,7%).
O levantamento da OMS aponta que, ao longo dos anos, o percentual gasto pelo Governo com saúde no Brasil oscilou entre 4,1% (2000) e 9,9% (2010), incluindo as três esferas de gestão (União, Estados e Municípios). Atualmente, a taxa brasileira é também inferior à média do que se gasta na África (9,9%), dividindo a posição no ranking com Gana, Tajiquistão, Omã e Mongólia.
Análise do Conselho Federal de Medicina (CFM) mostra ainda que, entre 2003 e 2016, o Ministério da Saúde (MS) deixou de aplicar cerca de R$ 155 bilhões no SUS. No período apurado, cerca de R$ 1,5 trilhão foi autorizado para o Ministério da Saúde no Orçamento Geral da União (OGU), segundo os dados oficiais do próprio Governo. Os desembolsos, no entanto, foram de R$ 1,3 trilhão (89% do previsto). Desse montante “devolvido” pelo Ministério da Saúde, quase um terço (R$ 66,4 bilhões) se refere a verba que seria destinada a investimentos, como construções e reformas ou compra de equipamentos.

 
MANIFESTO EM DEFESA DA SAÚDE PÚBLICA
  
A grave situação enfrentada pela saúde pública no estado do Rio de Janeiro é o exemplo mais recente da crise que afeta a rede pública de assistência em todo o País. Inconformados com o desamparo e o abandono dos cidadãos e dos profissionais, e indignados com a ausência de respostas concretas oferecidas pelos gestores federais, estaduais e municipais, o Conselho Federal de Medicina (CFM) e os Conselhos Regionais de Medicina (CRMs) vêm a público denunciar que:
 
1) diante dos inúmeros relatos de problemas na oferta de assistência a saúde para a população brasileira, nos diferentes níveis de complexidade, conforme extensas e sucessivas denúncias divulgadas pela imprensa e pelos órgãos de fiscalização e controle não apenas no Rio de Janeiro, mas em todo o território nacional, agirão de forma proativa na defesa dos direitos individuais e humanos;
 
2) os esforços desencadeados têm como base as prerrogativas legais do CFM e dos CRMs, que atuarão nas esferas judiciais e extrajudiciais, inclusive em fóruns internacionais, buscando levar os gestores dos serviços prejudicados a tomarem as medidas necessárias à normalização dos atendimentos, bem como a sua responsabilização legal em casos de irregularidade;
3) as reinvindicações dos Conselhos de Medicina terão como foco a ampliação do acesso da população ao atendimento; a manutenção de condições dignas para o acolhimento dos pacientes e para o trabalho dos médicos e demais profissionais da saúde; a melhora da qualidade dos serviços realizados; o uso racional dos recursos públicos, bem como a ampliação da participação do Estado no financiamento das despesas em saúde; e a busca de uma gestão eficiente e transparente;
4) a população tem no CFM e nos CRMs parceiros com os quais pode contar para garantir seus direitos constitucionais, conforme expressos na Carta Magna de 1988; assim como os médicos têm suporte do CFM e dos CRMs para reivindicar condições mínimas para o ético exercício profissional, evitando-se a sobrecarga e os excessos cometidos pela gestão, que tem muitas vezes transferido para esse grupo de profissionais a responsabilidade pelas falhas da rede pública.
O risco de comprometimento e de falência do Sistema Único de Saúde (SUS), como recentemente registrado no Rio de Janeiro e em outras localidades do País, não pode ser ignorado pelas autoridades e pela sociedade brasileira. Cabe a todos, inclusive aos representantes dos médicos, buscar uma solução definitiva para esses problemas, que têm causado graves transtornos e até mortes evitáveis.
 
O CFM e os CRMs estão do mesmo lado da população e dos médicos brasileiros: o lado de quem defende a saúde e a medicina de qualidade.

Brasília (DF), 19 de julho de 2017.  
CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA
CONSELHOS REGIONAIS DE MEDICINA

Médicos do SUS processarão estado se não houver condições de trabalho

Organização CRIMINOSA Vagabunda Petista lança "NOTA OFICIAL" sobre bloqueio de Dinheiro do seu Chefe

Nota oficial do PT sobre bloqueio dos bens de Lula

PT repudia mais esta arbitrariedade e vai reagir, por todos os meios, para impedir que se consume essa violência inominável
 19/07/2017 18h26

Depois de condenar o ex-presidenteLula sem provas, de propagar mentiras e contradizer sua própria sentença, o juiz Sergio Moro decidiu agora vingar-se de um inocente. Ao bloquear os bens de Lula, em decisão revelada hoje (19), Moro decretou uma pena de asfixia econômica que priva o ex-presidente de sua casa, dos meios para subsistir e até para se defender das falsas acusações.
Foi uma decisão mesquinha, tramada em segredo ao longo de 9 meses com a Força Tarefa de Curitiba, e concluída após a forte reação da sociedade e do mundo jurídico à sentença injusta no caso do tríplex. É um caso típico de retaliação, de quem se vale da cumplicidade com a Rede Globo para cometer todo tipo de arbitrariedades contra o maior líder popular do País.
A cada decisão que profere, Moro escancara as contradições do processo do tríplex. Ele condenou Lula por ser o suposto dono do imóvel, mas fugiu à prova da inocência, argumentando que a propriedade não seria relevante para o caso.
Reconheceu que a construção do prédio foi financiada por um fundo gerido pela Caixa, mas, contraditoriamente, condenou Lula alegando que a obra teria sido paga por uma suposta conta de propinas. E, mesmo admitindo que Lula não recebeu recursos desviados da Petrobrás, condenou Lula a ressarcir a estatal em R$ 16 milhões.
A decisão revelada hoje é ainda mais grave porque os efeitos da pena de asfixia econômica são imediatos. A alegação de Moro para o bloqueio de bens é mais uma injúria assacada pelo juiz contra Lula, mais uma iniquidade como as que foram cometidas contra Dona Marisa e a família do ex-presidente. Moro mostrou mais uma vez que não tem equilíbrio, discernimento, nem a necessária imparcialidade para julgar ações relativas ao ex-presidente Lula.
Depois de três anos de investigação, de quebrar o sigilo fiscal e bancário de Lula, seus familiares e colaboradores, o juiz Sérgio Moro sabe que o ex-presidente não tem contas ocultas nem patrimônio inexplicável. Sabe também que o patrimônio e os bens de Lula são aqueles atingidos pelo bloqueio, compatíveis com o de uma pessoa de 71 anos que trabalha honestamente desde criança.
A cada ato de violência, como os praticados por Sergio Moro, fica mais claro para o povo brasileiro que Lula é vítima da mais avassaladora perseguição judicial, midiática e política que já se viu neste País. O PT repudia mais esta arbitrariedade e vai reagir, por todos os meios, para impedir que se consume essa violência inominável.
São Paulo, 19 de julho de 2017
PARTIDO DOS TRABALHADORES

BANDIDO Eliseu Padilha não quer votação em microfone no Caso Temer como fizeram para MARGINAL e TERRORISTA do PT - Dilma Rousseff


Padilha não quer votação em microfone no Caso Temer:
O ministro Eliseu Padilha disse esta tarde que o governo negocia com parlamentares visando alterar a forma de votação, de nominal, para registro no painel do plenário. “Por enquanto a votação será nominal, mas o voto no painel é a regra normal e este será um dos pontos de negociação”, disse Padilha, em entrevista para o programa Esfera Pública, da Rádio Guaíba. Padilha sabe que votação em microfone expõe e fragiliza o deputado. O ministro avisou que a votação agendada para o dia 2 não está garantida. Ela só sairá quando o governo quiser, porque só ele tem, 342 deputados para garantir o início da sessão.

fonte - POLÍBIO BRAGA

Juíza destroça esquerdistas ao apontar que cuspe de Jean Wyllys foi muito mais grave que vídeo de Danilo Gentili

Juíza destroça esquerdistas ao apontar que cuspe de Jean Wyllys foi muito mais grave que vídeo de Danilo Gentili:



danilo-gentili-jean-wyllys.png
Imagem: Produção Ilustrativa / Folha Política 
O Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) indeferiu, nesta terça-feira (18/7), uma ação movida pela Câmara dos Deputados para que o comediante Danilo Gentili retirasse do ar um vídeo em que aparece rasgando e esfregando nas partes íntimas uma correspondência oficial enviada pela deputada federal Maria do Rosário (PT-RS), informa o Correio Braziliense.
Mais informações »


Quebra do sigilo telefônico de Cunha revela contatos com integrantes do STJ, TCU e CNJ

Quebra do sigilo telefônico de Cunha revela contatos com integrantes do STJ, TCU e CNJ:



cunh.jpg
Imagem: Reprodução / Redes Sociais
Relatório inédito da Procuradoria-Geral da República sobre a quebra do sigilo telefônico do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) detectou conversas com autoridades do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Tribunal de Contas da União (TCU) e Conselho Nacional de Justiça (CNJ). A análise, que está sob sigilo, abrangeu o período de 2012 a 2014 e foi autorizada pela Justiça Federal do Rio Grande do Norte para trazer elementos às investigações em curso no estado. Os dados foram considerados relevantes pelos investigadores porque mostram o trânsito de Cunha com autoridades do Judiciário.
Mais informações »